Menu
Busca quinta, 08 de dezembro de 2022
(67) 99647-9098
Justiça

TSE proíbe transporte de armas e munições nas eleições

A decisão se tomou com o objetivo de proteger o exercício do voto de toda e qualquer ameaça

29 setembro 2022 - 14h24Brenda Leitte, com Agência Brasil

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu hoje (29), por unanimidade, proibir o transporte de armas e munições por colecionadores, atiradores e caçadores (CAC’s) no dia das eleições, bem como nos dias anterior e posterior à votação.

A proibição foi acrescentada à resolução que trata das disposições gerais sobre as Eleições 2022. “A medida tem por objetivo proteger o exercício do voto de toda e qualquer ameaça, concreta ou potencial. Além disso busca prevenir confrontos armados derivados da violência política”, disse o TSE, em nota, logo após a decisão.

Pelo texto aprovado, “o descumprimento da referida proibição acarretará a prisão em flagrante por porte ilegal de arma sem prejuízo do crime eleitoral correspondente”. A medida se baseia no poder de polícia da Justiça Eleitoral, diz a decisão do plenário do TSE.

Em seu voto, que foi seguido pelos demais ministros sem observações, Moraes ressaltou a existência de decreto presidencial que permite aos CAC’s o transporte de armas e munições quando se dirigem a clubes de tiro, o que na prática autoriza o porte das armas, motivo pelo qual se faz necessária a atuação do TSE, frisou o ministro. 

“No dia da eleição, no dia posterior e no dia anterior da eleição, principalmente pela grande aglomeração de pessoas, não se justifica essa verdadeira licença geral, esse verdadeiro habeas corpus preventivo, para que as pessoas possam transportar armas”, disse o presidente do TSE.

Decisão

Em 30 de agosto, o plenário do TSE já havia decidido proibir o porte de armas num raio de 100 metros das seções eleitorais. De acordo com Moraes, em reunião com os 27 chefes de Polícia Civil dos estados e do Distrito Federal, foi feito o pedido para que clubes de tiro fossem fechados no dia da eleição, evitando assim a circulação de armas autorizada pelo decreto. 

Em vez de fechar os clubes de tiro, Moraes decidiu propor a restrição ao transporte de armas pelos CAC’s, o que foi aceito pelos demais ministros do TSE.

 

Tenha em seu celular o aplicativo do JD1 e acompanhe em tempo real todas as notícias. Para baixar no IOS, clique aqui. E aqui para Android.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Justiça condena médium João de Deus a 109 anos de prisão
Justiça
Jerson aguarda parecer sobre eleição no TC
Justiça
JD1TV: Operação vira Tribunal de Contas "de ponta cabeça"
Justiça
Julgamento do STF sobre o orçamento secreto fica para semana que vem
Justiça
André Xavier assume Associação dos Advogados
Justiça
Ministério da Justiça prorroga emprego da Força Nacional no Estado
Justiça
Senado deve votar PEC da transição ainda nesta quarta
Justiça
Desembargador suspende compra bilionária de tanques pelo Exército
Justiça
Kayatt pode ser presidente do TC para não assumir
Justiça
STF forma maioria e rejeita ação de Bolsonaro contra Alexandre de Moraes

Mais Lidas

Educação
Fim da greve: professores voltam às salas de aula das escolas da REME
Polícia
Desaparecida no Aero Rancho, Maria é encontrada 'vivendo' em terreno baldio
Geral
Servidores estaduais e municipais folgam mais cedo em sexta de jogo do Brasil
Polícia
Adolescente é encontrado morto com vários tiros pelo corpo em fazenda