Menu
Busca domingo, 08 de dezembro de 2019
(67) 99647-9098
TJMS Dezembro-19
Polícia

Empresário de 63 anos é preso por "estupro"

Fadil Bahmad pode responder por estupro de vulnerável e exploração sexual de adolescente

13 agosto 2019 - 11h51Sarah Chaves, com informações da assessoria

A Polícia Civil de Ladário, prendeu o empresário, Fadil BAhmad, 63 anos, por estupro de vulnerável e favorecimento de exploração sexual de adolescentes, praticados. A investigação policial perdurou por meses, apurou o estupro de vulnerável e favorecimento de exploração sexual de adolescentes, praticados, em tese, por ele.

Segundo informações da polícia, o acusado é um empresário bem sucedido em Ladário,e teria se aproveitado de tal situação. "Explorando sexualmente meninas de famílias carentes da cidade, oferecendo dinheiro, presentes, tratamento de beleza e até mesmo alimentação, em troca de favores sexuais, em alguns casos com a conivência dos próprios pais".

Durante a investigação, ficou comprovado que o empresário "estuprou uma adolescente de 13 anos, ao chamar a garota para passear de carro e fazer compras". Conforme relatos da vítima, durante o trajeto o homem teria passado as mãos e acariciado as partes íntimas dela. Além disso, o acusado constantemente fazia com que a menor enviasse fotos íntimas a ele.

As investigações mostraram ainda, que o empresário explorava sexualmente mais duas adolescentes, com oferta de dinheiro e presentes, em troca de favores sexuais.

Para o delegado Luca Venditto Basso, responsável pelas investigações, o caso assumiu contornos peculiares, pois o investigado é conhecido e bem relacionado em Ladário. “Isso fez com que outras pessoas, ainda que indignadas, não colaborassem com a investigação, assim como as próprias famílias das vítimas, que estavam sendo supridas financeiramente pelo acusado”, explica.

O empresário foi preso no dia 29 de julho último, em cumprimento a um mandado judicial de prisão preventiva, sendo ainda indiciado pelos crimes de estupro de vulnerável, com pena de 8 a 15 anos de reclusão, e de favorecimento de exploração sexual de adolescente, com pena de 4 a 10 anos de reclusão.

“Embora concluída a investigação, os trabalhos da Polícia Civil continuam, por isso pedimos que outras meninas que por ventura tenham sido vítimas de exploração ou abusos sexuais, que procurem a Delegacia de Ladário para as providências cabíveis”, finaliza o delegado Luca Venditto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Criança de dois anos morre em acidente fatal
Polícia
Assassinato de índios Guajajara provocam manifestação em rodovia
Polícia
Juiz determina volta de Jamil Name para Campo Grande
Polícia
Bombeiros são informados que homem que procuravam estava em casa dormindo
Polícia
Mãe pede ajuda para encontrar filho que desapareceu no Parati
Polícia
Vídeo - Assaltantes roubam mercado Bom Preço
Polícia
Duas pessoas morreram em grave acidente na BR-262
Polícia
Presos confeccionam e barateiam custo de uniforme escolar
Polícia
Homem morre preso nas ferragens do carro após acidente
Polícia
Vídeo: Confusão no centro, estacionamento fecha e mulher fica "a pé"

Mais Lidas

Saúde
Ação de prevenção ao cancêr de pele foi realizada em hospitais da Capital
Geral
Encontrado Gabriel, após dois dias desaparecido
Polícia
Criança de dois anos morre em acidente fatal
Política
Bolsonaro publica revogação de decisão que excluía atividades de MEI