Menu
Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2024
Polícia

JD1TV: Envolvido em chacina no MT que matou ex-morador de MS se entrega à polícia

Ele justificou que está arrependido e disse que intenção era "poupar vidas"

23 fevereiro 2023 - 11h22Vinicius Costa

Edgar Ricardo de Oliveira, de 30 anos, segundo envolvido na chacina em Sinop, no Mato Grosso, que matou sete pessoas em um bar, se entregou à polícia na manhã desta quinta-feira (23). Ele estava na sua casa, mas após longa negociação com a DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa) decidiu se entregar.

Durante a prisão, ele argumentou que chegou a dizer para o comparsa, Ezequias Souza Ribeiro, de 27 anos, morto em confronto com o BOPE (Batalhão de Operações Especiais), que era para "poupar vidas". Ele tentou justificar que ainda não tinha intenção de matar nenhuma criança.

Na negociação, ele pediu a presença do seu advogado e que gostaria de ter sua integridade física preservada, conforme noticiado pelo site RD News.

“Ele está arrependido, mas não entrei nesse mérito com ele. Mas é visível o estado que ele conversa e sem dúvida ele está bem arrependido”, afirmou o advogado do suspeito logo após a prisão.

Morte

Ezequias Souza Ribeiro, de 27 anos, um dos suspeitos de ter cometido uma chacina em um bar no município de Sinop ontem (21), morreu durante um confronto com o Bope de Mato Grosso.

De acordo com sites locais, ele foi a cerca de 15 quilômetros da cidade após denúncias anônimas revelarem a localização de Ezequias nesta quarta-feira (22). Ao chegar no local indicado, o homem abriu fogo contra a equipe que revidou o acertando.

Com ele, foi apreendida uma pistola ponto 40, que foi encaminhada à perícia. Ezequias tem passagem por porte de arma ilegal, roubo, formação de quadrilha, lesão corporal e ameaça, além de possuir um mandado de prisão em aberto.

Sul-mato-grossense entre os mortos

O empresário, Josué Ramos Tenório, 48 anos, era morador de Mato Grosso do Sul. Ele foi criado em Fátima do Sul. Ele era conhecido como "Zué" e Familiares ainda residem na cidade, inclusive, um cunhado tem um estabelecimento comercial na região.

JD1 No Celular

Tenha em seu celular o aplicativo do JD1 e acompanhe em tempo real todas as notícias. Para baixar no IOS, clique aqui. E aqui para Android.

Reportar Erro
Assembleia - Maio24

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia Federal mira em empresas clandestinas de segurança em MS
Polícia
Polícia Federal mira em empresas clandestinas de segurança em MS
Ela levava os produtos em uma sacola, camuflada com a blusa de frio
Polícia
Funcionária é presa ao ser flagrada roubando refrigerantes de conveniência em MS
As inscrições devem ser feitas até 14 de junho no sistema SigFundect
Polícia
Com 600 bolsas, Fundect abre inscrições para Iniciação Científica e Tecnológica
Imagem Ilustrativa
Polícia
Pai é preso por estupro após criança ver palestra sobre violência sexual na escola
Jeep estava abandonado em frente a uma residência
Polícia
Jeep Renegade de corretora foi abandonado no Indubrasil um dia após o crime
Imagem de divulgação
Polícia
Moreninha II recebe o programa UEMS na Comunidade amanhã
Vítima procurou atendimento numa unidade de saúde no Buriti
Polícia
Mulher trans diz que foi agredida em estupro coletivo em saída de tabacaria na Capital
Investigação sobre crime contra corretora continua
Polícia
Polícia mantém silêncio em investigação após carro de corretora ser localizado
Polícia recupera computadores furtados de secretaria em Corumbá
Polícia
Polícia recupera computadores furtados de secretaria em Corumbá
JD1TV: Polícia encontra 12 kg de cocaína escondida dentro de botijão em Corumbá
Polícia
JD1TV: Polícia encontra 12 kg de cocaína escondida dentro de botijão em Corumbá

Mais Lidas

Amalha era corretora de imóveis
Polícia
Mulher encontrada morta no Porto Seco era corretora de imóveis
Frio em Mato Grosso do Sul
Clima
Mínima de 7°C: MS pode registrar 'o dia mais frio do ano' nos próximos dias
Carro da corretora é encontrado no Indubrasil
Polícia
JD1TV AGORA: Carro de corretora morta é encontrado no Indubrasil
Amalha trabalhava como corretora de imóveis
Polícia
Corretora assassinada iria encontrar 'ex-paquera' para cobrar dívida de R$ 20 mil