Menu
Busca segunda, 20 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS setembro21
Polícia

PF deflagra Operação para combater desvios de recursos públicos na saúde

Organização investigada teria recebido quase R$ 1 bilhão entre os anos de 2014 e 2019

04 agosto 2021 - 08h50Marcos Tenório

A Polícia Federal em Mato Grosso do Sul, juntamente com a Receita Federal e a Controladoria Geral da União, deflagram, na manhã desta quarta-feira (4), a Operação S.O.S. Saúde, que tem a finalidade de desarticular organização criminosa especializada na prática de condutas que podem configurar delitos como falsificação de documentos, dispensa irregular de licitação, peculato e organização criminosa. São cumpridos mandados em Campo Grande e nas cidades de São Paulo/SP, Goiânia/GO e Brasília/DF.

Inquérito foi instaurado, no dia 14 de fevereiro de 2019, para apurar diversas irregularidades praticadas por Organização Social (especialmente entre 8 de agosto de 2016 a 31 de julho de 2017 que administrava, na época, o Hospital Regional Dr. José Simone Netto, localizado em Ponta Porã).

O esquema criminoso investigado trabalhava da seguinte forma: A Organização Social firmou no dia 5 de agosto de 2016 realizou um contrato de gestão com o Governo do Estado do Mato Grosso do Sul, com isso passou a receber elevados valores com o compromisso de gerenciar o Hospital Regional de Ponta Porã, mas acabaram desviando os recursos que deveriam ser aplicados na área da saúde.

São alvos das medidas cautelares: os gestores da Organização Social que, na época, administrava o Hospital Regional de Ponta Porã; empresas que receberam irregularmente valores financeiros e seus respectivos sócios-administradores; além de dois contadores e seus escritórios de contabilidade.

Embora a Organização Social não possuísse fins lucrativos, cresceu muito desde a sua fundação (em 2011), passando a administrar diversas unidades de saúde espalhadas por vários Estados da Federação (MS, PB, SP, BA, GO, MT), o que implicou o recebimento de vultosos valores financeiros, quase 1 bilhão de reais entre 2014 e 2019.

Estão sendo cumpridos, ao todo, 34 mandados de busca e apreensão, em 25 endereços diferentes, dos quais 11 estão localizados no Estado de São Paulo, 10 em Goiânia/GO, três em Brasília/DF e um em Campo Grande, além do sequestro de bem, direitos e valores.

Os trabalhos estão contando com a participação de 112 Policiais Federais, 54 servidores da Receita Federal e 16 da Controladoria Geral da União. O nome da operação (S.O.S Saúde) faz alusão tanto ao principal investigado, que se trata de uma Organização Social (OS) que deveria fazer o correto emprego das verbas públicas destinadas à área da saúde, bem como a socorro (sigla S.O.S) prestado pelas instituições de controle ao serviço de saúde pública.

Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Mulher é sequestrada no Itanhangá Park e família paga R$ 18 mil em resgate
Polícia
Mulher perde R$ 1,9 mil após golpista se passar pela filha dela
Polícia
Rapaz de 23 anos atropela pedestre e morre após cair da motocicleta
Polícia
Festa clandestina com cerca de 2 mil pessoas é encerrada pela polícia
Polícia
Rapaz de 22 anos é morto a tiros na fronteira
Polícia
Prova objetiva do concurso da guarda civil será neste domingo
Polícia
Jovem de 24 anos é presa com cocaína pura dentro de ônibus
Polícia
Homem encontra pênis decepado dentro de pote no jardim da casa da mãe
Polícia
Homem fica com dois dedos estrangulados após colocar anel
Polícia
Mulher se muda e deixa cachorro sem água e comida por meses

Mais Lidas

Polícia
Homem encontra pênis decepado dentro de pote no jardim da casa da mãe
Saúde
Com 8 meses de vacinação, MS é o 1º Estado a atingir imunidade coletiva
Polícia
Homem encontra o pai morto em avançado estado de decomposição na Vila Carvalho
Brasil
Homem coloca fogo em casa com ex-mulher e filhos dentro