Menu
Busca terça, 22 de outubro de 2019
(67) 99647-9098
Governo vitimas
Polícia

PRF apreende 275 mil maços de cigarros na BR-163

A carga estava no baú do veículo e não tinha documentação legal

10 dezembro 2018 - 09h56Da Redação

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu na manhã deste domingo (9), 275 mil maços de cigarros contrabandeados do Paraguai, em Dourados - MS.

Durante fiscalizações em frente ao Posto PRF, no km 267, da BR-163, foi dada ordem de parada ao caminhão VW/24.250, com placas de Mamanguape-PB. O motorista, um homem de 55 anos, declarou inicialmente que levava duas mudanças para Porto Velho-RO.

Em vistoria ao baú do veículo, foram encontradas várias caixas contendo cigarros estrangeiros. Ao todo, foram apreendidos 275 mil maços sem documentação legal.

O motorista confessou ter sido contratado em Campo Grande-MS para ir até o estado do Paraná carregar o caminhão e receberia a quantia de R$ 2.250 para transportar até Porto Velho-RO.

O preso, o veículo e a carga foram entregues à Polícia Federal de Dourados-MS.

Athus Ingles

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Idoso cai em golpe e perde mais de R$ 6 mil
Polícia
Mulher sofre ameaça ao cobrar aluguel atrasado
Polícia
Traficante é presa com quase 60 cápsulas de cocaína no estômago
Polícia
"Achei que era abandonado" diz homem que furtou Van com guincho
Polícia
Segurança de fazenda é encontrado morto
Polícia
Após bebê de 1 ano ser internada por suspeita de overdose, mãe responderá em liberdade
Polícia
Criança de 1 ano é internada com suspeita de overdose
Polícia
Mãe joga carrinho de bebê em avenida e afirma "prefiro matar à perder a guarda"
Polícia
Jovem se descontrola, ameaça amigos e é amarrado durante festa
Polícia
Protestos no Chile deixa 11 mortos até o momento

Mais Lidas

Geral
Cenas fortes - Vídeo mostra uma pessoa queimada em queda de avião
Geral
Pires da Moreninha I é flagrado com 273 produtos incomercializáveis
Internacional
Vídeo - MC Gui debocha de menina com câncer e CNA Três Lagoas cancela show
Justiça
Coluna social vira argumento do MP contra HC de Jamil