Menu
Busca quinta, 05 de agosto de 2021
(67) 99647-9098
Saúde

Leite materno transmite anticorpos contra a Covid-19, dizem pesquisas

Os resultados das pesquisas foram publicados nesta segunda-feira (14)

14 junho 2021 - 15h13Brenda Assis

O leite materno de mulheres infectadas com o coronavírus, ou que foram vacinadas, é um veículo transmissor de anticorpos para o bebê – é o que revelam dois estudos científicos feitos na Espanha e com resultados divulgados nesta segunda-feira (14). As informações são do O Globo.

Não se tratam dos primeiros estudos sobre a imunização conta o vírus Sars-Cov-2 pelo leite materno, tema que vem sendo investigado desde o início da pandemia, inclusive por pesquisadores brasileiros.

No caso das pesquisas espanholas, os estudos integram a iniciativa “MilkCorona”, desenvolvida pelo Conselho Superior de Pesquisas Científicas (CSIC) e pelo Departamento de Pediatria do Hospital Clínico Universitário de Valência, ambos públicos.

No primeiro deles, sobre lactantes infectadas com a Covid-19, foi detectado que “a maioria das amostras apresentou anticorpos específicos contra o vírus, com uma grande variabilidade entre mulheres”.

“Em nenhuma das amostras de leite materno fomos capazes de detectar o RNA do vírus, e encontramos que, na maioria das mulheres infectadas, havia presença de anticorpos, sugerindo que o leite materno é um veículo de transmissão de anticorpos“, afirmou María Carmen Collado, pesquisadora do CSIC.

Por isto, os resultados sustentam a “importância de recomendar o aleitamento materno de forma sistemática em todos os casos em que a mãe tenha pouco, ou nenhum, sintoma”, completou a médica Cecilia Martínez Costa, do serviço de pediatria do Hospital Clínico de Valência.

Lactantes imunizadas
No segundo estudo, foi analisada a presença de anticorpos em 75 mulheres lactantes, imunizadas com três tipos de vacinas: Pfizer (duas doses), Moderna (duas doses) e AstraZeneca (uma dose). Conforme o comunicado do CSIC, o trabalho “mostrou a presença de anticorpos específicos nas amostras”.

Curiosamente, os níveis de anticorpos “variaram de acordo com a vacina recebida”, completa o comunicado, mas sem explicar que versão produziu o maior nível de imunidade.

O estudo estabeleceu ainda que o leite das mulheres vacinadas com uma dose e que sofreram a doença tinha níveis de anticorpos equivalentes aos de mulheres saudáveis com as duas doses.

O objetivo do estudo foi dissipar dúvidas sobre o impacto do vírus na amamentação em mulheres positivas para o vírus Sars-CoV-2. “Há cada vez mais evidências que confirmam o papel relevante do leite materno no fornecimento de imunidade passiva ao gerar e transmitir anticorpos específicos contra o vírus”, dizem os pesquisadores que argumentam que a amamentação deve ser mantida enquanto os sintomas forem poucos ou nenhum.

 

Sennar - queimada

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Pessoas com 25 anos vacinam na quinta
Saúde
Pandemia aumenta casos de "Burnout"
Saúde
Covid: Estado recebe mais 45.630 doses da Pfizer
Saúde
Estudos de vacinação em massa já apresentam resultados positivos
Saúde
Covid: Vacinados com 2 doses têm menos risco de infecção pela Delta
Saúde
Especialista alerta sobre doenças respiratórias devido ao tempo seco
Vídeos
Vídeo: 75% terão segunda dose até o fim do mês, diz secretário
Saúde
MS ultrapassa 9 mil mortos por covid-19
Saúde
UPAs e CRSs atendem com 46 médicos durante o dia nesta terça-feira
Saúde
Mais de 800 mil doses de vacinas já foram aplicadas na capital

Mais Lidas

Internacional
Vídeo: ‘Vem de chicote, algema, corda de alpinista’, policiais são pegos transando em viatura
Internacional
‘A bonequinha não sabe brincar’, homem quebra pênis durante noite selvagem
Geral
Morre o advogado Marco Antônio na capital
Brasil
Vídeo: Amor de mãe? Casal homoafetivo tortura e mata menino de 7 anos