Menu
Busca quarta, 12 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
TJMS agosto/20
Agronegócio

Ministério autoriza LabSenai Sementes a analisar forrageiras e feijão

12 julho 2020 - 09h30Joilson Francelino

Em tempos de pandemia mundial do novo coronavírus (Covid-19), o LabSenai Sementes, que integra o complexo do IST Alimentos e Bebidas (Instituto Senai de Tecnologia em Alimentos e Bebidas), localizado em Dourados (MS), está reforçando a atuação para atender as demandas da agroindústria de Mato Grosso do Sul. Diante desse esforço, o laboratório foi autorizado pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) a realizar testes de controle de qualidade em forrageiras, ampliando o portfólio.

Agora, o LabSenai Sementes pode realizar testes em 11 espécies diferentes de forrageiras, sendo 10 espécies de braquiária e uma de capim colonião, além de feijão. Na avaliação do diretor-regional do Senai, Rodolpho Caesar Mangialardo, a nova autorização representa o amadurecimento do LabSenai Sementes, que iniciou suas atividades a partir de outubro de 2019 e em menos de um ano já conseguiu ampliar os serviços.

“Na prática, essa autorização do Mapa demonstra que mesmo em um ano atípico, de pandemia e insegurança, conseguimos entender a importância da certificação de sementes na região centro-sul de Mato Grosso do Sul. Nosso objetivo é ter cada vez mais clientes e desenvolver ainda mais nossos serviços para apoiar todos os elos da agroindústria”, afirmou Rodolpho Mangialardo.

Para realizar os novos testes de controle de qualidade, o LabSenai Sementes precisou realizar pequenas adequações em sua estrutura, como o remanejamento interno de alguns equipamentos e aquisição de um soprador de sementes, equipamento obrigatório para a realização das análises em sementes forrageiras, que inicialmente foi garantido graças a uma parceria com a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal).

O laboratório ainda conta com uma estrutura de seis germinadores e cinco estufas, que permitem ter capacidade para atender até 3.000 amostras em um ano, comtemplando todo o escopo, desde soja e milho até o feijão e as forrageiras. “Fazemos com as forrageiras basicamente as mesmas análises que já fazíamos de soja e milho, que são análise de pureza, determinação de outras sementes por número, teste de germinação, teste de tretazólio, peso de mil sementes e verificação da espécie”, elencou a coordenadora do LabSenai Sementes, Maria Carolina Silva Pêgo.

Com relação ao feijão, é possível realizar ainda testes como germinação e envelhecimento acelerado que atesta o vigor das sementes. “A cadeia produtiva do feijão não é tão organizada como a da soja. Apesar de ser um produto nacional e consumido no mercado interno diariamente, não possui todos seus lotes de sementes certificados e apenas 20% das sementes utilizadas no País passam por um processo de análises e de certificação em laboratórios credenciados, sendo alvo de sementes piratas. Então o laboratório consegue análisar as sementes de diferentes cultivares de feijão comum”, explicou Maria Carolina Pêgo.

Para ela, a autorização do Mapa que permite a ampliação do escopo do LabSenai Sementes confirma a competência do laboratório na emissão de resultados válidos e confiáveis. “Para nós é um reconhecimento de que estamos no caminho certo. Além disso, nos tornamos referência como suporte para validação dos parâmetros de qualidade para o agronegócio de Mato Grosso do Sul, auxiliando as indústrias da região em todo o processo da cadeia”, finalizou.

Senar - agosto2020

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agronegócio
AO VIVO – Tereza Cristina fala sobre agronegócio brasileiro em escala global
Agronegócio
Exportação de carne de aves dispara em MS
Agronegócio
Brasil participa de reunião para definir estratégia contra nuvem de gafanhotos
Agronegócio
Estado cria comitê para monitorar nuvem de gafanhotos da Argentina
Agronegócio
Frente fria muda direção de nuvem de gafanhotos que se aproximava do Brasil
Agronegócio
Tereza Cristina diz que Ministério monitora "nuvem de gafanhotos"
Agronegócio
Nuvem de gafanhotos chega à Argentina e se aproxima do Brasil
Agronegócio
Em MS, vazio sanitário da soja tem início nesta segunda
Agronegócio
Segundo produtor de grãos do país, Paraná tem pior seca em 30 anos
Agronegócio
Rios de MS estão com baixos índices de navegação", alerta Verruck

Mais Lidas

Geral
Auxílio emergencial: Caixa deposita hoje para nascidos em julho
Saúde
Saiba onde pediatras e clínicos atenderão na manhã na capital
Oportunidade
Funtrab tem vaga para arquivista, açougueiro, eletricista e outras
Política
Prefeitura republica decreto e antecipa “bico seco” para amanhã