Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Brasil

Mais de 500 índios foram mortos desde 2003 no Brasil, aponta Cimi

14 junho 2012 - 08h30Marcello Casal Jr. / ABr

Levantamento feito pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi), órgão vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), indica que desde 2003 mais de 500 índios foram assassinados no país. Somente no ano passado foram 51 casos, o equivalente à morte de um indígena por semana. Em relação ao ano anterior, houve redução no número de índios assassinados – haviam sido 60 casos em 2010.

Os dados fazem parte do Relatório Anual de Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil que será divulgado na manhã desta quarta-feira (13) pelo Cimi. No dia em que será aberta a conferência sobre desenvolvimento sustentável Rio+20, no Rio de Janeiro, os dados indicam ainda crescimento de danos ambientais em terras indígenas.

Dos 51 mortos no ano passado, 41 eram homens, afirma o relatório do Cimi. Entre as 51 vítimas estavam ainda quatro menores de 18 anos – um deles um bebê de 9 meses que morreu esfaqueado em novembro do ano passado em meio a uma discussão em aldeia de Santa Helena de Minas (MG).

Dos casos apontados pelo conselho indigenista e registrados em 2011, em 28 situações a morte ocorreu por conta do uso de armas brancas, como facões ou foices. Foram 15 assassinatos com armas de fogo e cinco estrangulamentos. Segundo o relatório, "19 assassinatos foram resultado de brigas, sendo que em 13 casos houve consumo ou abuso de álcool como elemento facilitador".

De acordo com o Cimi, "as violências internas, praticadas entre os indígenas e as externas, cometidas contra lideranças, famílias, comunidades e contra os povos no estado têm como causa principal a questão fundiária". Para o órgão, o governo precisa agir para acelerar as demarcações de terras indígenas.

O relatório critica ainda a morosidade do Poder Judiciário "em reconhecer o direito dos povos indígenas" que "contribui sobremaneira para a perpetuação das invasões de terras indígenas no país."

Segundo dados da Fundação Nacional do Índio (Funai), o Censo Demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010 identificou 817 mil pessoas que se declaram indígenas no Brasil, 0,42% do total da população brasileira.

O estado com o maior número de índios é o Amazonas, com 168 mil indígenas. O estado onde a população indígena tem o maior percentual dentro do território na comparação com a população em geral é Roraima, com 11% da população total do estado.

Mato Grosso do Sul
Ainda conforme o relatório, o estado do Mato Grosso do Sul é o que mais registra casos de mortes entre índios. No ano passado, 62% dos índios do país foram assassinados no estado. Foram 32 pessoas mortas. Além dos casos registrados, o Cimi registrou ainda 27 tentativas de homicídio.

"Com uma taxa de homicídios de 100 por 100 mil pessoas, maior que a do Iraque, e quatro vezes maior do que a taxa nacional, o povo Guarani e Kaiowá, do Mato Grosso do Sul, enfrenta uma verdadeira guerra contra o agronegócio", destaca o relatório do Cimi.

Suicídios
O Cimi também revela preocupação com a quantidade de suicídios entre os indígenas. Em 2011, segundo o relatório, foram 26 casos. Os números são "alarmantes", indica o órgão.

"Uma pessoa ingeriu veneno, 20 pessoas se enforcaram e em 5 casos não houve informação sobre o meio empregado. Chama atenção o fato de o suicídio envolver, sobretudo, pessoas jovens e até muito jovens. Das vítimas, 6 eram menores, havendo uma concentração de casos na faixa de 15 a 19 anos, com 6 vítimas", indica o relatório.

Além dos homicídios e suicídios, o Cimi indicou ainda que foram registrados no ano passado 12 casos de mortes por atropelamento. "Chama a atenção o elevado número de ocorrências no estado do Paraná, com quatro casos registrados em 2011", destaca o texto.

Invasões
Ainda segundo os dados do relatório, no ano passado aumentou o número de casos de invasões a terras indígenas e exploração ilegal de recursos naturais nesses locais. Foram 42 casos em 2011 contra 33 no ano passado.

Segundo o documento, obras de infraestrutura e desmatamentos causados por grileiros e madeireiros estão entre as principais causas dos danos ambientais.

O documento afirma que a "morosidade" por parte do governo federal para a demarcação e homologação das terras indígenas expõe os territórios.

Via G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Silvio Santos vira alvo de investigação por pergunta sobre sexo para criança
Brasil
Michelle Bolsonaro quer tirar do ar música “Micheque”, do Detonautas
Brasil
Após fala de Bolsonaro, dona de casa cobra na Justiça auxílio de 1 mil dólares
Brasil
Motorista morre ao sofrer descarga elétrica em fazenda
Brasil
Cenas fortes: Mulher morre depois de ser esfaqueada em praça pública
Brasil
Homem agride mulher por ter adesivo "S.O.S Pantanal" no carro
Brasil
Bolsonaro se recupera bem após cirurgia na bexiga nesta manhã
Brasil
VÍDEO: Mulher é agredida com pedrada na cabeça e arrastada pela calçada
Brasil
Justiça Eleitoral torna Crivella inelegível
Brasil
Recriação do Ministério das Comunicações segue para sansão de Bolsonaro

Mais Lidas

Cidade
Lei que prevê multas e punições para quem passar trote no 190 e 193 foi sancionada hoje
Justiça
Bolsonaro sanciona lei sobre maus-tratos a animais acompanhado do pitbull Sansão em Brasília
Polícia
Jovem é assassinada com oito tiros na Capital
Cidade
Funsat Itinerante vai atender na Vila Popular nos dias 01 e 02 de outubro