Menu
Busca sexta, 22 de outubro de 2021
(67) 99647-9098
Gov 44 anos
Brasil

Nova lei de terras 'esfria' interesse de americanos no agronegócio brasileiro

13 março 2011 - 11h58
A legislação do Brasil para a compra de terras nacionais por estrangeiros, que desde o ano passado ficou mais rígida e limitada à aquisição de áreas de no máximo cinco mil hectares, "esfriou" a disposição dos americanos em investir no agronegócio brasileiro. Para o norte-americano Michael Gretter, natural de Iowa e que desde 2005 planta soja e milho no Brasil, a postura mais rígida do governo reduziu um pouco o apetite dos produtores americanos em buscar propriedades e fixar residência no Brasil. “Eu acho que o interesse persiste mais entre os jovens. A fala do governo sobre regular os investimentos desacelerou um pouco, é uma lei complicada. Entre 2003 e 2005, era muito mais fácil encontrar americanos hospedados aqui em Luis Eduardo Magalhães (BA) procurando terras”. O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, diz que o governo prepara a flexibilização de tais restrições, já que o objetivo é apenas barrar movimento especulativo com a terra brasileiraDesde o ano passado, um parecer da Consultoria-Geral da União (CGU) aprovado pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e divulgado em agosto limitou a venda de terras brasileiras a estrangeiros ou empresas brasileiras controladas por estrangeiros a no máximo cinco mil hectares. A soma das áreas rurais controladas por estrangeiros também não poderá ultrapassar 25% da superfície do município. Na opinião de Gretter, a melhora global nos preços dos grãos desde o ano passado – que tornou o cultivo de soja mais lucrativo em todo o mundo, inclusive nos EUA – também pode ter contribuído para diminuir a motivação em deixar o próprio país para obter mais lucro com a atividade agrícola. "Quando eu vim, a rentabilidade estava mais baixa", diz. O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, diz que o governo prepara a flexibilização de tais restrições, já que o objetivo é apenas barrar movimento especulativo com a terra brasileira, como a compra de lotes por fundos de investimento ou investidores que não têm foco na produção. “A terra é um bem muito valioso no Brasil, e tem perspectiva de valorização muito grande. Não queremos transformar a terra brasileira em mais uma commodity para o mercado financeiro”, afirmou o ministro. Fonte: G1
Unica - primavera

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Paralisação dos caminhoneiros já resulta em falta de combustível em alguns postos
Brasil
Ministro do STF determina prisão e extradição de Allan dos Santos
Brasil
Vídeo: Homem se desespera ao ver que racha com os amigos acabou em morte
Brasil
Lei proíbe sacrifício de cães e gatos saudáveis por órgãos de zoonose
Brasil
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
Brasil
Morador de Anastácio é vítima de grave acidente em Minas Gerais
Brasil
Governo lança edital para novo trecho da transposição do Rio São Francisco
Brasil
Juízes afegãos ameaçadas pelo Talibã chegam ao Brasil hoje
Brasil
Não exportação de carne para a China pode ser positivo, diz empresário de MS
Brasil
Vídeo: ‘Hmm cheirinho de droga’, dois são presos por esconder cocaína em sabonete

Mais Lidas

Polícia
Homem pula o muro e flagra a ex-mulher com outro e transtornado agride ela e tranca os dois
Brasil
Vídeo: Homem se desespera ao ver que racha com os amigos acabou em morte
Geral
Com oito filhos, mãe anuncia gravidez de gêmeos e dispara: 'queremos mais'
Geral
Pastor embolsa R$ 30 milhões da Igreja Universal e foge