Menu
Busca quinta, 28 de janeiro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS Janeiro/21 juizado de transito
Brasil

Nova lei de terras 'esfria' interesse de americanos no agronegócio brasileiro

13 março 2011 - 11h58
A legislação do Brasil para a compra de terras nacionais por estrangeiros, que desde o ano passado ficou mais rígida e limitada à aquisição de áreas de no máximo cinco mil hectares, "esfriou" a disposição dos americanos em investir no agronegócio brasileiro. Para o norte-americano Michael Gretter, natural de Iowa e que desde 2005 planta soja e milho no Brasil, a postura mais rígida do governo reduziu um pouco o apetite dos produtores americanos em buscar propriedades e fixar residência no Brasil. “Eu acho que o interesse persiste mais entre os jovens. A fala do governo sobre regular os investimentos desacelerou um pouco, é uma lei complicada. Entre 2003 e 2005, era muito mais fácil encontrar americanos hospedados aqui em Luis Eduardo Magalhães (BA) procurando terras”. O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, diz que o governo prepara a flexibilização de tais restrições, já que o objetivo é apenas barrar movimento especulativo com a terra brasileiraDesde o ano passado, um parecer da Consultoria-Geral da União (CGU) aprovado pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e divulgado em agosto limitou a venda de terras brasileiras a estrangeiros ou empresas brasileiras controladas por estrangeiros a no máximo cinco mil hectares. A soma das áreas rurais controladas por estrangeiros também não poderá ultrapassar 25% da superfície do município. Na opinião de Gretter, a melhora global nos preços dos grãos desde o ano passado – que tornou o cultivo de soja mais lucrativo em todo o mundo, inclusive nos EUA – também pode ter contribuído para diminuir a motivação em deixar o próprio país para obter mais lucro com a atividade agrícola. "Quando eu vim, a rentabilidade estava mais baixa", diz. O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, diz que o governo prepara a flexibilização de tais restrições, já que o objetivo é apenas barrar movimento especulativo com a terra brasileira, como a compra de lotes por fundos de investimento ou investidores que não têm foco na produção. “A terra é um bem muito valioso no Brasil, e tem perspectiva de valorização muito grande. Não queremos transformar a terra brasileira em mais uma commodity para o mercado financeiro”, afirmou o ministro. Fonte: G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Conhecida por minimizar a covid, Ygona morre da doença
Brasil
Depois de Hulk e Faustão, William Bonner deve sair da Globo
Brasil
Bolsonaro pede que caminhoneiros não façam greve
Brasil
Reajuste do combustível começa a valer hoje; o que muda para o consumidor?
Brasil
Governo gastou R$ 15 mi em leite condensado e R$ 32,7 mi em pizza em 2020
Brasil
Covid: MS lidera ranking de distribuição de vacinas
Brasil
Personal trainer de Gusttavo Lima morre após infarto
Brasil
Vídeo: aos 81 anos, idosa comemora vacina dançando 'Bum Bum Tam Tam'
Brasil
Vídeo: acidente de ônibus deixa ao menos 19 mortos, no Paraná
Brasil
Acidente aéreo mata 4 jogadores e presidente do Palmas Futebol e Regatas

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio