Menu
Busca segunda, 27 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
Gov - Estado que Cresce (set21)
Cultura

MIS tem Mostra de Cinema Boliviano esta semana

12 agosto 2013 - 10h08Via Notícias MS
Será realizada esta semana (de 12 a 16 de agosto - segunda à sexta), no Museu da Imagem e do Som, a Mostra Cinema Boliviano. As exibições acontecerão sempre às 19 horas, serão gratuitas e fazem parte do projeto CineMIS.

A mostra conta com a parceria do Grupo Folclórico Boliviano T´ikay e da Associação de Professores de Espanhol de Mato Grosso do Sul, com a colaboração das professoras Ingra Lidia F. Padilha (Uniderp) e Suzana Mancilla Barreda (UFMS/CPAN).

O CineMIS apresentará na Mostra uma programação de produções cinematográficas premiadas e contemporâneas realizadas por diretores consagrados pela crítica e pelo público boliviano. As exibições também celebram a independência da Bolívia (comemorada em 6 de agosto) e são uma excelente oportunidade de conhecer a sétima arte do país vizinho, considerando que as produções fílmicas bolivianas possuem trajetória conhecida em outros continentes, porém pouco divulgadas no circuito sul-mato-grossense.

Os filmes escolhidos para a Mostra desse ano são de produção recente, realizados entre os anos de 2004 e 2009 e dão um panorama sobre a produção boliviana atual, com dois dramas: Escríbeme – Postales a Copacabana (Escreva-me - Postais a Copacabana) e DíBuenDía a Papá (Dê bom dia a papai); duas comédias: Sina Quina e Quien mato lallamitablanca  (Quem matou a pequena lhama branca?) e um filme com enredo policial: El Atraco (O Assalto).

Destaque para DíBuenDía a Papá (Dê bom dia a papai) de Fernando Vargas Villazón, ganhador do Prêmio de Melhor película estrangeira em espanhol, 25ª Edição do Prêmio Goya da Academia da Espanha (2005) e El Atraco (O Assalto) de Paolo Agazzi ganhador do Grande Prêmio do XIX Festival de Cinema Latinoamericano de Trieste, Itália (2004).

O Grupo T´ikay reforça o convite para o grande público, que terá a oportunidade de assistir em idioma original a uma mostra significativa do ponto de vista cultural. “Queremos que os filmes bolivianos promovam e provoquem discussões diversas sobre aspectos históricos, culturais e sociais da Bolívia sob a ótica de uma cinematografia representativa”, analisa Ingra Padilha, professora da Uniderp.

Todas as sessões são gratuitas, têm início às 19 horas e exibirão os filmes em idioma original e sem legendas, uma vez que não existem cópias legendadas das obras audiovisuais selecionadas.

Confira as sinopses e a programação:
12 de agosto (segunda-feira)

Escríbeme – Postales a Copacabana (Escreva-me - Postais a Copacabana)
Escríbeme – Postales a Copacabana revela três mundos, três gerações, três mulheres, cada uma delas, à sua maneira, em busca de seu destino. O outro grande protagonista da história com sua majestosa beleza é o lago Titicaca, soberbo marco geográfico de uma história de sentimentos, frustações e esperanças.
Diretor: Thomas Kronthaler (Drama, 95min, 2009).

13 de agosto (terça-feira)
Sena quina
A história de dois vigaristas, um camba e um colla, que sobrevivem aplicando pequenos e engenhosos golpes. Suas vidas tomam um rumo inesperado quando, ao tentar aplicar mais um golpe, a vítima acaba sendo mais esperta do que eles.
Diretor: Paolo Agazz. (Comédia, 91min, 2005).

14 de agosto (quarta-feira)

El Atraco (O assalto)
Bolívia. Final dos anos oitenta. Uma camionete que leva uma remessa de dinheiro, salário de milhares de mineiros, é assaltada nas montanhas andinas: o motorista, o caixa e a polícia de escolta são vitimados traiçoeiramente. Após o crime se inicia uma investigação com denúncias de corrupção e impunidade onde até a polícia está envolvida.
Diretor: Paolo Agazzi (Policial, 126min, 2004).

15 de agosto (quinta-feira)
DíBuenDía a Papá (Dê bom dia a papai)
Em algum lugar do Vallegrande, Bolívia, se encontra enterrado Ernesto Che Guevara. Esta é a história de três gerações do vale, onde as vidas dos protagonistas se entrelaçam para narrar a história local, de um pequeno povo que, por 30 anos, escondeu os restos do grande líder revolucionário.
Diretor: Fernando Vargas Villazón. (Drama, 115 min, 2005).

16 de agosto (sexta-feira)
Quien mato lallamitablanca (Quem matou a pequena lhama branca?)
Jacinto e Domitila, um casal de índios bolivianos, são os criminosos mais procurados do país. Contratados para levar um carregamento de drogas até a fronteira com o Brasil, têm a viagem complicada quando são perseguidos por Cacho, um tenente corrupto e o aprendiz Maurício, um jovem cadete racista. Cheio de reviravoltas e bom humor, o filme é uma deliciosa comédia com elementos de roadmovie.
Diretor: Rodrigo Bellott (Comédia, 112 min, 2006).

Serviço
O projeto CineMIS de agosto (Mostra Cinema Boliviano) acontece de 12 a 16 de agosto no Museu da Imagem e do Som, que fica no Memorial da Cultura e da Cidadania, na avenida Fernando Correa da Costa, 559, 3º andar. Os filmes serão exibidos sempre às 19 horas e a entrada é franca. Informações pelo e-mail [email protected] e pelo telefone 3316-9178.
Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cultura
Evento com food truck e veículos raros acontece neste fim de semana na Capital
Cultura
Primeiro fim de semana com 'tudo liberado' promete agitar a Capital
Cultura
Batalha de Bandas acontece neste sábado para público 100% vacinado
Cultura
Fim de semana: Som da Concha, shows de rock, sertanejo e MPB agitam a Capital
Cultura
O adeus a uma lenda do blues sul-mato-grossense: Zé Pretim é encontrado morto em casa
Geral
Livro com a vida do ‘Seu Thomaz das esfihas’ será lançado hoje
Cultura
Som da Concha recebe General R3 and the Black Family neste sábado
Vídeos
Vídeo: Inês Brasil é ‘expulsa’ de “A Fazenda” e viraliza nas redes sociais
Cultura
Vídeo: Dupla Índio e Half chega ao fim após 15 anos
Cultura
Programa MS Cultura Cidadã encerra inscrições na sexta

Mais Lidas

Cidade
Incêndio atinge margens do rio Paraguai em Corumbá
Clima
Tempestade faz temperatura despencar 15 graus e destelha apartamento em Campo Grande
Polícia
Mulher é agredido e esfaqueia pênis de marido
Polícia
Homem é assassinado a tiros por dívida de R$ 100,00