Menu
Busca quinta, 02 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Educação

Em 6 anos, número de jovens no ensino médio aumenta 7,7%

Os dados estão no Anuário Brasileiro da Educação Básica 2019

25 junho 2019 - 07h55Priscilla Porangaba, com informações da Agência Brasil

O número de jovens de 15 a 17 anos cursando o ensino médio aumentou de 61% em 2012 para 68,7% em 2018.

O percentual de jovens nessa faixa etária que frequentam a escola também vem crescendo e chegou a 91,5% em 2018.

Os dados estão no Anuário Brasileiro da Educação Básica 2019, divulgado nesta terça-feira (25) pelo movimento Todos pela Educação em parceira com a Editora Moderna e traz dados organizados de acordo com as metas do Plano Nacional de Educação (PNE).

O coordenador de projetos do Todos pela Educação, Caio Callegari disse que “é uma avanço estatisticamente significante, mas um avanço ainda tímido. O modelo que temos acaba fazendo com que adolescentes e jovens saiam da escola e, mesmo os que frequentam a escola, não veem um ambiente atrativo para seguir e encaixar a ideia de escolarização do ensino médio nos seus projetos de vida”.

A conclusão do ensino médio na idade adequada ainda é um desafio, como mostram os dados do relatório. Em 2018, apenas 63,6% dos jovens de 19 anos matriculados concluíram o ensino médio. Em 2012, 51,7% dos jovens de 19 anos haviam concluído essa etapa do ensino.

Desigualdades

As desigualdades socioeconômicas e de raça têm peso no acesso ao ensino médio, como aponta o anuário. Em 2018, 75,3% dos jovens brancos de 15 a 17 anos estavam matriculados na etapa. Já entre os jovens negros da mesma faixa etária esse percentual era de 63,6%, uma diferença de quase 12 pontos percentuais.

O anuário mostra também as disparidades em relação à distribuição de recursos. Enquanto São Paulo recebe a maior média anual de recursos vinculados à educação por aluno, R$ 6,5 mil, o Maranhão está no outro extremo com R$ 3,5 mil por aluno ao ano.

O coordenador acrescenta que “boa parte das desigualdade educacionais está relacionada a desigualdade de financiamento tanto em relação a garantia de recursos mínimos quanto a gestão de recursos. Estamos dando menos recurso para quem tem que corrigir um passivo histórico de investimento em educação”.

Professores

Em relação à formação dos professores a publicação mostra que desde 2012 houve aumento médio de cerca de cinco pontos percentuais no número de docentes com formação adequada para as disciplinas que lecionam.

Em 2018, 48,7% dos docentes dos anos finais do ensino fundamental, que vai do 6º ao 9º ano, tinham formação adequada. O dado representa um crescimento de 5 pontos percentuais em comparação a 2012. Já no ensino médio, essa taxa era de 56,3%, aumento de 5,4 pontos percentuais no mesmo período.

O Anuário Brasileiro da Educação Básica 2019 usa como base dados do Ministério da Educação e traz análises sobre os temas das 20 metas do PNE que foi sancionado em 2014 e estabelece metas para melhorar a educação até 2024.

 

 

Totem_Alcool Gel

Deixe seu Comentário

Leia Também

Educação
MEC define protocolo sanitário para volta às aulas
Educação
Sem prever retorno, MEC divulga normas para volta às aulas presenciais
Educação
Estudantes de direito elaboram “cartilha jurídica” sobre a pandemia
Educação
Estudantes optam por fazer o Enem em maio de 2021
Educação
Sesi dá dicas de entretenimento educativo para alunos que estão em casa
Educação
Consulta sobre nova data para o Enem termina hoje
Educação
Sesi auxilia pais a lidar com as emoções dos filhos na pandemia
Educação
Enquete que vai definir nova data do Enem termina nesta terça
Educação
Professor Carlos Alberto Decotelli é o novo ministro da Educação
Educação
“Não é momento para escolas particulares voltarem”, diz Marquinhos

Mais Lidas

Polícia
Comboio de 20 carros é apreendido transportando contrabando em MS
Saúde
Preocupante: mortes por coronavírus passam de 100 em MS
Política
"Projeto das Fake News gera interesse em 30 países", diz Nelsinho
Polícia
Com medidor sonoro, “festeiros” terão punições mais severas