Menu
Busca segunda, 06 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Educação

Estudantes ocupam UFMS e denunciam corte de água e energia elétrica

O grupo com cerca de 150 pessoas é contra o corte na eduação e pretende ficar no local até 15 de maio, quando uma greve geral ocorre no país

14 maio 2019 - 08h30Rayani Santa Cruz

A tarde de segunda-feira (13) foi marcada pela ocupação de estudantes em blocos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Aproximadamente 150 alunos, dos cursos de filosofia, psicologia, biologia, nutrição e enfermagem decidiram em assembleia, pela ocupação do campus até o dia 15 de maio, data que ocorre a Greve Nacional da Educação em todo o país.

Os alunos se organizaram, após o anúncio de corte de verba feito pelo Ministério da Educação, que reduz 30% do orçamento da universidade.

A mobilização é uma ação do movimento estudantil. O bloco 6 da UFMS, teve as entradas interditadas por cadeiras e os alunos repassaram indicações de organização via redes sociais. Questões sobre como colaborar ou chamar a atenção da sociedade foram disseminadas. Em mensagens nas redes sociais, os colaboradores apontavam que os estudantes que não puderem ocupar podem auxiliar o movimento levando alimento aos colegas, ou ficando no local por um determinado período.

Na manhã desta terça-feira (14), a página do Centro Acadêmico de Ciências Sociais (Caciso), no Facebook, divulgou que houve o corte de energia elétrica, água e internet do bloco. O administrador da página atribuiu o fato como uma “retaliação” da direção da universidade.

“Salientamos que a ocupação, tem como objetivo principal garantir o direito à educação, lutando contra o desmonte das universidades públicas. Isso posto, fica claro que posicionamento de suspensão de fornecimento de serviços essenciais, como água e energia, é no mínimo contraditório aos valores que a própria instituição tem defendido nestes anos: Educação Pública, Gratuita e de Qualidade”, diz o texto.

A Caciso ainda comentou que o Movimento Estudantil no Brasil tem uma história de defesas importantes, passando desde a abolição da escravatura à luta contra o regime ditatorial, no Mato Grosso do Sul.

Os estudantes atribuem a ocupação no sentido de defender a UFMS, com um ato político que pretende se unir à luta nacional de todos os estudantes, professores e trabalhadores, que se organizam para a paralisação na quarta-feira (15).

Totem_Alcool Gel

Deixe seu Comentário

Leia Também

Educação
A partir de hoje, estudantes com Fies podem suspender parcelas
Educação
Inscrições para o Sisu começam amanhã
Educação
Universidades e institutos terão cerca de R$ 200 milhões do MEC
Educação
Renato Feder é escolhido ministro da Educação, mas falta oficializar
Educação
MEC define protocolo sanitário para volta às aulas
Educação
Sem prever retorno, MEC divulga normas para volta às aulas presenciais
Educação
Estudantes de direito elaboram “cartilha jurídica” sobre a pandemia
Educação
Estudantes optam por fazer o Enem em maio de 2021
Educação
Sesi dá dicas de entretenimento educativo para alunos que estão em casa
Educação
Consulta sobre nova data para o Enem termina hoje

Mais Lidas

Brasil
Instrutor e aluno estavam em helicóptero que caiu nesta tarde
Polícia
Policiais militares são presos por tráfico de drogas em Campo Grande
Polícia
Mãe pede ajuda para encontrar adolescente que sumiu no São Conrado
Educação
A partir de hoje, estudantes com Fies podem suspender parcelas