Menu
Busca segunda, 27 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS setembro21
Esportes

Estádio Mané Garrincha, em Brasília, vai custar R$ 1 bilhão

27 dezembro 2012 - 10h30Mary Leal/GDF

A reforma do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha vai custar pouco mais de R$ 1 bilhão, de acordo com a nova matriz de responsabilidades para a Copa do Mundo de 2014, publicada nesta quarta no Diário Oficial da União. O documento é um compromisso de obras que o governo tem com a Fifa e é atualizado a pedido de estados e municípios. Por estas informações, a arena da capital do país será a mais cara do evento. Na atualização estão ainda a inclusão de oito projetos, a maioria de menor porte, e a retirada de seis, de grande impacto.

A matriz de responsabilidades inclui as obras de estádios, mobilidade urbana, entorno das arenas, aeroportos, portos, telecomunicações, segurança e infraestrutura turística. Os investimentos previstos somam R$ 25,5 bilhões, sendo R$ 6,3 bilhões do governo federal, R$ 8,63 bilhões com financiamento federal, R$ 6,35 bilhões de governos estaduais e municipais e R$ 4,25 bilhões da iniciativa privada.

Em relação aos estádios, o de Brasília passa a ser o mais caro de todos, de acordo com o documento oficial. O valor da obra registrado pelo governo do Distrito Federal é de R$ 1,015 bilhão. A justificativa para a atualização dos valores é um aumento acima de 25% do custo da obra. O acréscimo do valor ocorreu porque as licitações foram feitas de forma isolada para cobertura, gramado e cadeiras e não havia essa previsão de gastos na matriz original, datada de 2010.

Apesar de prever no documento oficial o valor bilionário, o governo do DF afirma que o custo final do estádio será menor porque o orçamento informado não levaria em conta os abatimentos permitidos pelo Recopa, regime diferenciado de tributação que concede isenção dos principais tributos federais para a construção de arenas para os eventos da Fifa.

Ainda segundo o governo, essas deduções podem levar a um custo final de cerca de R$ 850 milhões.

Pela matriz de responsabilidades, o Itaquerão, em São Paulo, e o Maracanã, no Rio, têm os maiores orçamentos depois de Brasília, com R$ 820 milhões e R$ 808,4 milhões, respectivamente. No total, os estádios da Copa deverão consumir R$ 7 bilhões, mais da metade com financiamento federal por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Menos de 10% dos investimentos em arenas virão da iniciativa privada, R$ 612 milhões. Em nove das doze sedes os recursos para estádios virão integralmente dos cofres públicos.

Mobilidade urbana
Apontadas inicialmente como o grande legado do evento, as intervenções de mobilidade urbana são as que mais sofrem alteração. Desta vez, foram cinco obras retiradas. Deixaram de fazer parte do compromisso do governo brasileiro o monotrilho do Morumbi, em São Paulo, o corredor metropolitano de Curitiba, a reestruturação da Avenida Engenheiro Roberto Freire, em Natal, além das únicas duas obras antes previstas para Manaus, o BRT Eixo Leste/Centro e o Monotrilho Norte/Centro. Com isso, a capital amazonense passa a ser a única que não possui qualquer obra de mobilidade urbana no documento.

Itaquerão
Foi retirado ainda do compromisso a previsão de obras de ampliação do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. A atualização incluiu ainda obras de pequeno porte no entorno dos estádios nas cidades de Porto Alegre, Recife, Rio e Salvador. Passa também a constar do compromisso intervenções viárias no entorno do Itaquerão, na capital paulista, no valor de R$ 317,7 milhões.

Via Estadão

Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Atleta de MS representará o Brasil nos jogos Pan-Americanos Junior
Esportes
Público aos estádios a partir de outubro em São Paulo
Esportes
Medalhista paralímpico Phelipe Rodrigues velejará para ajudar em ação solidária
Esportes
Tite convoca seleção brasileira para jogos eliminatórios do Catar 2022
Esportes
Dardistas de MS são convocados para os Sul-Americanos Sub-18 e Sub-23 de Atletismo
Esportes
Marta passa Pelé na artilharia da Seleção
Esportes
Atletas da capital vão representar MS em Campeonato Jiu-Jitsu
Esportes
Yeltsin Jaques "fez história na Paralimpíadas de Tóquio", diz Rose Modesto
Esportes
Yeltsin Jacques é recepcionado pelo Corpo de Bombeiros no Aeroporto nesta terça-feira
Esportes
Tóquio 2020: Cerimônia de encerramento encanta com a beleza da diversidade

Mais Lidas

Cidade
Incêndio atinge margens do rio Paraguai em Corumbá
Clima
Tempestade faz temperatura despencar 15 graus e destelha apartamento em Campo Grande
Polícia
Mulher é agredida e esfaqueia pênis de marido
Polícia
Homem é assassinado a tiros por dívida de R$ 100,00