Menu
Busca terça, 25 de fevereiro de 2020
(67) 99647-9098
tj ms topo
Geral

Com chuvas intensas, Rio Aquidauana está quase em nível de alerta

Segundo o coordenador da Defesa Civil Estadual falta menos de dois metros para o nível chegar em estado de alerta

24 janeiro 2020 - 09h52Sarah Chaves

O nível do Rio Aquidauana que chegou à 4,49 metros, está perto do nível de alerta, de acordo com o coordenador da Defesa Civil de Mato Grosso do Sul, tenente-coronel Fabio Catarinelli, que explicou ao JD1 Noticías que falta pouco menos de 2 metros para isso acontecer.

Segundo Fábio, a Defesa Civil do Estado, atua no monitoramento dos rios dos municípios de Mato Grosso do Sul, e que a prefeitura de Aquidauana juntamente com o órgão municipal já estão se organizando para possíveis alagamentos. “A gente tem acompanhado a situação, vai depender da chuva que vier, e dependendo da chuva se o rio atingir a cota de emergência, quando nível da casa e a população ribeirinha caba sendo afetada”, falou.

Ele explica que o nível de alerta do Rio Aquidauana é de 6 metros e o nível de emergência é de 8. “Quando o nível dos rios, está próximo de chegar na cota de alerta, nós enviamos um sms para a população informando. Se houver uma coisa mais grave o município começa o atendimento aos moradores e se for mais grave a defesa civil do estado complementa ações do município de atendimento à população, os enviando para abrigos”, explicou.

Para receber o sms da Defesa Civil Estadual, a pessoa precisa enviar uma mensagem de texto para o número 40199 com o CEP da residência e em seguida receberá um sms da operadora falando que o morador está cadastrado para receber o alerta da defesa civil.

O coordenador esclarece que o alagamento e enchente ocorre quando o nível de chuva é alto em um período curto de tempo. “Depende não é preciso, 40 milímetros durante o dia todo é diferente de 40 milímetros em meia hora, se chover esse volume em tempo maior ele vai sendo escoado naturalmente, é gradativo", exemplificou, “1 milímetro de chuva é equivalente a 1 litro de água por metro quadrado, então depende do volume e do tempo que essa água vai cair, se ela cair em um tempo muito curto tem a tendência de demorar para escoar, agora se cair num período mais prolongado a possibilidade de transbordar é menor”, alegou.

Fábio ainda comenta que em comparação com os anos anteriores apesar no nível da chuva ser maior, houve menos alagamentos nas regiões urbanas dos municípios do Estado. “Esse ano teve chuva bem maiores teve município que choveu quase 100 milímetro, mas com ações de drenagem o problema dinimuiu bastante.

Esse ano no Estado, além do Rio Aquidauana, outro rio que chegou perto do nível de alerta foi o Taquari em Coxim, porém segundo Fábio, a chuva estabilizou e o nível da torrente acabou diminuindo.

O alerta fica para a população se atentar com o descarte de lixo nas ruas. “É importante que a população se conscientize para não jogar lixo na rua, pra evitar que o sistema de drenagem fique entupido, porque mesmo um sistema muito bom pode ter problemas se ele for obstruído”, finalizou o coordenador da Defesa Civil de Mato Grosso do Sul, Fabio Catarinelli.

 

Jacarezão

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Morte de Lanzarini causa comoção no mundo político
Geral
Mulheres do MS passam média nacional e ocupam 38% dos negócios
Geral
Falece o ex-prefeito Dirceu Lanzarini
Geral
Finalizada: Procon-MS divulga pesquisa de preços de combustíveis
Geral
Lanzarini será transferido para Campo Grande
Geral
Na mesa de operação, ex-prefeito Dirceu Lanzarini luta pela vida
Geral
Refis seguirá com descontos do programa após o feriado
Geral
Riedel diz que “iniciativas garantem eficiência da segurança “
Geral
Senador Cid Gomes recebe alta e continua reabilitação em casa
Geral
Rio Taquari atinge nível de emergência e alerta em Coxim

Mais Lidas

Cidade
Passarela do samba está pronta para o primeiro dia de desfile
Internacional
Competição mundial de natação é cancelada por coronavírus
Geral
Morte de Lanzarini causa comoção no mundo político
Brasil
"Está sob controle", diz Moro sobre situação no Ceará