Menu
Busca quinta, 06 de maio de 2021
(67) 99647-9098
Sebrae
Geral

Gelo no Ártico derreteu em ritmo recorde em 2012, alerta ONU

05 maio 2013 - 07h24WMO

O gelo do oceano Ártico derreteu em ritmo recorde em 2012, o nono ano mais quente desde o início dos registros, anunciou nesta semana a OMM (Organização Meteorológica Mundial), uma agência da ONU.

No relatório sobre o ano de 2012, a OMM afirma que, em agosto e setembro do ano passado, as zonas geladas do Ártico cobriam apenas 3,4 milhões de quilômetros quadrados, 18% a menos que em 2007, quando havia sido registrado o recorde anterior.

Para o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud, este é um "preocupante sinal da mudança climática".

"O ano de 2012 também registrou outros extremos, como secas e ciclones tropicais. A variabilidade natural do clima sempre resultou em extremos deste tipo, mas a mudança climática determina cada vez mais as características físicas dos acontecimentos meteorológicos e climáticos extremos", disse.

"Por exemplo, dado que os níveis globais do mar são atualmente 20 centímetros maiores que o que eram em 1880, tempestades como o furacão Sandy estão produzindo mais inundações costeiras", completou.

A OMM afirma que a temperatura global média de terras e superfícies marinhas é estimada 0,45°C acima da média do período que vai de 1961 a 1990, que é de 14 graus Celsius.

Este foi o nono ano mais quente desde 1850, primeiro do qual se tem registro, e o 27º ano consecutivo no qual a temperatura de terras e superfícies marinhas supera a média de 1961-1990.

"A tendência continua de alta das concentrações atmosféricas de gases do efeito estufa confirma que o aquecimento prosseguirá", disse Jarraud.

Planeta mais quente
Temperaturas superiores à média foram registradas em quase todo o planeta, particularmente na América do Norte, Europa meridional, Rússia ocidental, partes do norte da África e América do Sul meridional, destacou a OMM.

Paralelamente, foram registradas temperaturas inferiores à média no Alasca, em partes do Norte e Leste da Austrália e na Ásia Central.

As precipitações também mudaram, com condições mais secas que a média, no Nordeste do Brasil, em grande parte do centro dos Estados Unidos, no México setentrional, no centro da Rússia e no centro-sul da Austrália.

A umidade aumentou no Norte da Europa, no Oeste da África, no centro-norte da Argentina, no Oeste do Alasca e na maior parte do Norte da China.

Furacão Sandy
O furacão Sandy afetou primeiro o Caribe e depois a costa leste dos Estados Unidos no fim de outubro. Pelo menos 300 pessoas morreram na região e foram registradas perdas materiais de mais de US$ 75 bilhões apenas nos Estados Unidos.

A destruição provocada pelo Sandy levou a OMM a retirar este nome da lista rotativa de nomes de tempestades, informou a agência da ONU. "Sandy" será substituída por "Sara", depois que os meteorologistas decidiram que o uso futuro do nome poderia gerar tristeza.

"Sandy" é o 77º nome retirado da lista de tempestades tropicais do Atlântico, como já havia acontecido nos casos "Irene" (2011), Igor e Tomás (2010), Gustav e Paloma (2008) e Denis, Katrina, Rita e Wilma (2005).

Via Uol

Girafa

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Olarte é preso novamente
Geral
Professora de 42 anos morre em acidente na BR-163
Geral
Corpo de Paulo Gustavo será cremado em cerimônia restrita ainda hoje
Geral
Motoristas de aplicativo podem ser inclusos na vacinação contra covid-19
Geral
Sozinho, apostador leva R$ 37 milhões da Mega-Sena
Geral
Comércio vê "oportunidade de aumentar as vendas" no Dia das Mães
Geral
Dourados também terá toque de recolher às 22h até domingo
Geral
Vítimas de atentado em escola são veladas nesta quarta
Geral
Marun diz que ponte de Murtinho não sofrerá atrasos
Geral
Juliette é a campeã do BBB21 com 90,15% dos votos

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio