Menu
Busca sábado, 20 de abril de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Manifestação fracassa de novo, mas aumento pode cair

Prefeito Marquinhos Trad não aprova aumento; cerca de oito vereadores sinalizam votar contra aumento

18 dezembro 2018 - 11h45Da redação

A presença de poucos manifestantes é vista na sessão da Câmara Municipal de Campo Grande, desta terça-feira (18). Comentários são de que parlamentares votarão contra o projeto de lei que trata de subsídio ao valor salarial do prefeito e secretários da capital.

Desde a primeira discussão, ocorrida há 15 dias, a população campo-grandense demonstrou descontentamento e houve manifesto na Casa de Leis, organizada por líderes filiados a partidos e alguns empresários.

No uso da tribuna o vereador Dr. Livio disse que os parlamentares foram colocados em uma “cortina de fumaça” e que “existem posições antagônicas”. Ele chegou a responder e questionar integrantes de manifestação que gritavam palavras de ordem no plenário.

A previsão de discussão dessa pauta é para quinta-feira, dia 20 de dezembro, mas se ocorrer hoje alguns parlamentares já se posicionaram contra. É o caso do vereador André Salineiro, que afirmou ser desfavorável devido à crise econômica do país. “Não que eles não mereçam, mas não é o momento adequado. O Brasil passa uma readequação financeira e seria inviável o aumento”, disse.

O líder do prefeito na Câmara, vereador Chiquinho Teles, que votou a favor na primeira discussão, disse que atendendo o clamor da população e pensando melhor mudou a opinião, assim como outros colegas. “Não é feio um homem atender ao clamor popular, nunca é tarde pra se voltar atrás, eu votei sim na primeira discussão e na segunda discussão eu votei contra”, informou. Na semana passada o prefeito Marquinhos Trad disse à imprensa que era contra o aumento do próprio salário.

O líder do manifesto Guto Scarpani, que concorreu às eleições 2018 para o cargo de deputado estadual pelo Novo, afirmou que existe a sensação de vitória, devido à repercussão do pequeno aglomerado na Câmara. “Se a gente não tivesse se manifestado na semana passada, talvez não tivesse a repercussão que tomou, o que fez com que os vereadores repensassem seu posicionamento. Acho que foi muito importante, foi um ganho significativo, segundo alguns cálculos de algumas pessoas entre sete e oito parlamentares já se posicionaram contra o aumento”, concluiu.

A sessão segue com a pauta prevista.

pmcg - prestação de contas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
CCR-MSVia é notificada por falta de guichês de atendimento e troco para usuário
Geral
Sindivarejo realiza treinamento para gestão de e-social em maio
Geral
Sete em cada dez internautas pretendem comprar chocolate na Páscoa
Geral
“Em tempos de crise a solução é inovar”, diz empresária
Geral
Unesul, São Luiz e Eucatur são autuadas por não concederem gratuidade a idosos
Geral
Ministério divulga regras para policiamento comunitário
Geral
PRF inicia a "Operação Semana Santa" nas rodovias federais de MS
Geral
Siqueira contesta financiamento para beneficiar caminhoneiros
Geral
Fiems apresenta projeto e firma parceria com Prefeitura de Ponta Porã
Geral
Guarda Metropolitana atua em esquema especial para evitar "massacres"

Mais Lidas

Polícia
Corpo de mulher é encontrado amarrado em árvore às margens da BR-262
Geral
“Em tempos de crise a solução é inovar”, diz empresária
Cidade
Morre no Rio, aos 40 anos, MC Sapão
Polícia
Jovem tem bicicleta furtada em estacionamento de supermercado