Menu
Busca segunda, 14 de outubro de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Manifestação fracassa de novo, mas aumento pode cair

Prefeito Marquinhos Trad não aprova aumento; cerca de oito vereadores sinalizam votar contra aumento

18 dezembro 2018 - 11h45Da redação

A presença de poucos manifestantes é vista na sessão da Câmara Municipal de Campo Grande, desta terça-feira (18). Comentários são de que parlamentares votarão contra o projeto de lei que trata de subsídio ao valor salarial do prefeito e secretários da capital.

Desde a primeira discussão, ocorrida há 15 dias, a população campo-grandense demonstrou descontentamento e houve manifesto na Casa de Leis, organizada por líderes filiados a partidos e alguns empresários.

No uso da tribuna o vereador Dr. Livio disse que os parlamentares foram colocados em uma “cortina de fumaça” e que “existem posições antagônicas”. Ele chegou a responder e questionar integrantes de manifestação que gritavam palavras de ordem no plenário.

A previsão de discussão dessa pauta é para quinta-feira, dia 20 de dezembro, mas se ocorrer hoje alguns parlamentares já se posicionaram contra. É o caso do vereador André Salineiro, que afirmou ser desfavorável devido à crise econômica do país. “Não que eles não mereçam, mas não é o momento adequado. O Brasil passa uma readequação financeira e seria inviável o aumento”, disse.

O líder do prefeito na Câmara, vereador Chiquinho Teles, que votou a favor na primeira discussão, disse que atendendo o clamor da população e pensando melhor mudou a opinião, assim como outros colegas. “Não é feio um homem atender ao clamor popular, nunca é tarde pra se voltar atrás, eu votei sim na primeira discussão e na segunda discussão eu votei contra”, informou. Na semana passada o prefeito Marquinhos Trad disse à imprensa que era contra o aumento do próprio salário.

O líder do manifesto Guto Scarpani, que concorreu às eleições 2018 para o cargo de deputado estadual pelo Novo, afirmou que existe a sensação de vitória, devido à repercussão do pequeno aglomerado na Câmara. “Se a gente não tivesse se manifestado na semana passada, talvez não tivesse a repercussão que tomou, o que fez com que os vereadores repensassem seu posicionamento. Acho que foi muito importante, foi um ganho significativo, segundo alguns cálculos de algumas pessoas entre sete e oito parlamentares já se posicionaram contra o aumento”, concluiu.

A sessão segue com a pauta prevista.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Lista de materiais coloca escolas particulares na mira do Procon
Geral
Morre o empresário Antônio Farias, o "Baiano"
Geral
Mulher morre por descarga elétrica ao tentar ligar máquina de lavar
Geral
Motociclista morre dois dias depois de bater em veículo parado
Geral
Thiaguinho e Fernanda Souza estão separados
Geral
Governo institui Dia Estadual de Combate à Mortalidade Materna no MS
Geral
"Quero agradecer por tanta oração", diz jovem que caiu da sacada de apartamento
Geral
Servidores nascidos em julho e agosto devem fazer recadastramento bancário
Geral
Aposentados do INSS devem fazer "prova de vida" para não perder benefício
Geral
Gilmar Mendes quer retomar julgamento que envolve Moro

Mais Lidas

Polícia
Jaime Valler estava na lista da milícia para morrer
Geral
Pai encontra filho morto, enforcado com fio de nylon
Polícia
Adolescentes são apreendidos por necrofilia com cadáver de idosa
Polícia
Bêbado, motorista atropela e mata garoto de 15 anos na capital