Menu
Busca sexta, 13 de dezembro de 2019
(67) 99647-9098
TJMS Dezembro-19
Internacional

Presidente autoproclamada disse que em breve Bolívia terá eleições

Após quase um mês de manifestações, 23 pessoas já morreram em conflitos

18 novembro 2019 - 14h32Vitória Ribeiro, com informações Agência Brasil

Jeanine Áñez, presidente autoproclamada da Bolívia afirmou que em breve anunciará convocações de novas eleições. O comunicado ocorreu no domingo (17), após quase um mês de manifestações nas ruas. Por causa dos conflitos, 23 pessoas morreram. Em La Paz, em razão do bloqueio de estradas está havendo escassez de alimentos e combustíveis.

Sem definir data, Áñez disse que seu governo está ciente da urgência de realização de novas eleições no país. Os presidentes da Câmara e do Senado convocaram sessão para terça-feira (19), no intuito de dar início ao processo eleitoral. Existe a possibilidade de convocação de eleições por decreto, caso as negociações no legislativo não avançem.

"Informamos que em breve daremos notícias sobre a convocação de eleições transparentes e a recuperação da credibilidade democrática de nosso país", afirmou Áñez.

Há uma tentativa de diálogo no país, inclusive com o apoio da União Europeia, mas ainda sem resultados concretos. Prosseguem os conflitos nas ruas entre os apoiadores de Evo Morales e os opositores do ex-presidente. Enquanto Morales acusa o atual governo de cometer crimes contra a humanidade, Jeanine Áñez afirma que Morales está incentivando o ódio.

"Se o presidente Morales [quer] voltar [à Bolívia], que volte, mas ele sabe também que terá que responder à Justiça. Vamos exigir que a justiça boliviana faça seu trabalho, não faça uma perseguição política, pois isso é o que viemos sofrendo nos últimos 14 anos, a judicialização da política ou a politização da justiça", afirmou Áñez.

Evo Morales afirmou hoje no twitter que o atual governo instalou uma ditadura. "Em vez de pacificação, ordenam difamação e repressão contra os irmãos do campo que denunciam o golpe de estado. Após o massacre de 24 indígenas, eles agora preparam um Estado de Sítio. Seria a confirmação de que, pedindo democracia, eles instalaram uma ditadura", disse.

O representante da União Europeia na Bolívia, León de la Torre, afirmou em encontro que teve ontem (17) com Áñez, que a UE está disposta a apoiar a realização de novas eleições, inclusive com o envio de observadores para garantir a transparência do processo. Além disso, ele alertou que "cada morte dificulta a paz".

“Cada morte é uma desgraça, complica as coisas, é preciso ser claro. É por isso que fizemos um chamado desde Bruxelas pedindo a todos para que não exerçam a violência, [e sim] o debate democrático, com troca de ideias”, afirmou De la Torre.

 

PMCG - Cidade do Natal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
Ator e dançarino de 14 anos de série da Netflix é encontrado morto
Internacional
Continuam as buscas por aeronave chilena que desapareceu na Antártica
Internacional
Brasil envia navio polar para ajudar nas buscas por avião chileno
Internacional
Marie Fredriksson vocalista do Roxette morre vítima de câncer
Internacional
Avião militar desaparece com 38 pessoas a bordo
Internacional
Greve deixa Paris congestionada e sem transporte público
Internacional
EUA e Talibã do Afeganistão retomam negociação de paz
Internacional
Ex-integrante do É O Tchan aparece trabalhando no Canadá
Internacional
Base Aérea Naval é fechada devido a ataque de atirador
Internacional
Hospital manda recém-nascidos para casa em meias de Natal

Mais Lidas

Geral
Pintor fica pendurado no 17º andar de prédio central
Cidade
Familiares continuam as buscas por pedreiro desaparecido no domingo
Cidade
No bairro do Sossego, moradora fica sem energia há uma semana
Geral
Durante inauguração, Azambuja destaca política de incentivo à energia limpa