Menu
Busca segunda, 21 de junho de 2021
(67) 99647-9098
Governo - Feminicidio
Justiça

Justiça condena escola a pagar R$ 8 mil por discriminação

O estabelecimento de ensino recusou realizar a matrícula de criança com deficiência visual

14 dezembro 2018 - 12h35Da Redação com Assessoria

Nesta quinta-feira (13), foi publicada a decisão de um inquérito civil instaurado pela 67ª Promotoria de Justiça dos Direitos Humanos de Campo Grande em que se tratava de discriminação por parte de estabelecimento de ensino em face de criança com deficiência visual. 

Consta que em 2015, os pais da criança de apenas dois anos de idade procuraram a escola para ingressar no maternal. Foram atendidos por funcionária do estabelecimento que mostrou as dependências e informou acerca da existência de vagas sobrando no período matutino. De acordo com os autos, os pais informaram que a criança era deficiente visual, e a mesma afirmou que isso não afetaria a efetivação da matrícula, visto que a escola já havia tido alguns alunos com deficiência. 

Todavia, ao retornarem à escola para efetivar a matrícula, já com os materiais escolares adquiridos, foram surpreendidos pela coordenadora da escola, que condicionou a matrícula ao pagamento adicional mensal no valor de um salário-mínimo, para fins de contratação de um profissional para acompanhá-lo durante o tempo que estivesse na escola, por sua deficiência.

Os fatos foram averiguados e comprovados por meio de um inquérito cível instaurado pelo  Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MP-MS) junto à 67ª Promotoria de Justiça dos Direitos Humanos, que culminou na assinatura de um Termo de Compromisso de Ajuste de Conduta pela diretora da escola (TAC).

Na decisão proferida na data de hoje, o Juiz da 1ª vara Cível Residual Thiago Nagasawa Tanaka, julgou procedente os pedidos formulados na inicial para condenar a escola ao pagamento de indenização por dano moral no valor de R$ 8 mil.

13 de Dezembro

Também conhecido como o Dia Nacional do Deficiente Visual, a data tem o objetivo de conscientizar a população contra o preconceito e discriminação, incentivando o espírito de solidariedade humana.
A cegueira ou deficiência visual é caracterizada pela perda total ou parcial da visão, seja por consequências congênitas (com o nascimento) ou adquirida ao longo da vida.

Uma das principais conquistas nos últimos anos foi a implantação de legislações que garantissem métodos de ensino específicos para crianças e adultos com deficiência visual, através do sistema braile, para exigir das escolas particulares a inclusão e o atendimento.

A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (13.146/2015) foi sancionada em 2015 e alinha a Justiça brasileira às determinações da Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, da ONU.

Senar - square junho21

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Audiência de conciliação sobre pandemia na capital é cancelada
Justiça
Justiça determina audiência sobre pandemia na terça-feira
Justiça
Funcionários denunciam Hospital Adventista por intolerância religiosa
Justiça
Energisa perde e Justiça permite que medidores sejam periciados
Justiça
STJ mantém André réu na 'Coffe Break'
Justiça
Com recurso negado, Comércio terá mais uma tentativa para barrar decreto
Justiça
Justiça discute na quarta, recurso da Energisa que barra perícias
Justiça
TJMS distribuiu mais de 6 mil processos em maio
Justiça
Comércio formaliza mandado de segurança para barrar decreto do Prosseguir
Justiça
STF começa a julgar pedidos para suspender Copa América no Brasil

Mais Lidas

Polícia
Mulher é levada para dentro da mata por bandidos e morta com tiro na cabeça
Polícia
Casal briga e vizinho tenta intervir mas passa mal e morre
Saúde
Jovem de 17 anos, sem comorbidades, está entre as 38 vítimas da covid em 24h
Saúde
Lote com 97.500 doses de vacina contra covid chegam hoje a MS