Menu
Busca domingo, 19 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Política

André vê estados unidos por reforma tributária mais justa

11 agosto 2011 - 11h23Arquivo

A reunião realizada ontem em Brasília com governadores ou representantes dos governos do Centro-Oeste, Norte e Nordeste fortaleceu a posição a favor de uma reforma tributária que não prejudique tanto as regiões menos desenvolvidas.

A avaliação é do governador André Puccinelli, que destacou como positivo o fato de haverem ao menos seis pontos importantes de consenso a serem defendidos pelos estados junto ao Governo Federal. Esses itens constam da Carta de Brasília, que vai ser entregue à presidente Dilma Roussef.

Ao participar nesta quarta-feira (10) do lançamento de um projeto educativo em parceria com o TRE, o governador destacou que a participação direta ou de representantes de vinte governadores no encontro mostra a preocupação e a união dos estados para que a reforma tributária não aconteça com prejuízo para a arrecadação da grande maioria dos estados.

"Nos preocupa. É muito maior do que vislumbrávamos essa reforma tributária, da forma como está colocada", disse André em conversa hoje com os jornalistas. "Em resumo, em cinco de 22 pontos há unanimidade total, por causa das perdas dos estados".

Nos seis tópicos comuns elencados na Carta de Brasília, os governos defendem a repartição dos royalties do pré-sal; o ressarcimento das perdas com a Lei Kandir; apoio para aprovar lei complementar que muda a metodologia de aprovação de propostas no Conselho Nacional de Política Fazendária; apoio à modificação da tributação do comércio não presencial; mudança no índice que serve de indexador para o pagamento das dívidas dos estados com a União; e ainda manifestam preocupação com mudanças em legislação que aumentam as despesas e vinculações orçamentárias dos estados.

Na mudança do sistema de tributação, os governadores querem evitar que a redução da carga de impostos impacte diretamente no principal tributo estadual e pedem que a União divida o ônus dessa revisão.

"A reforma, conforme a pretendemos e conforme justificamos, é a em que o governo federal inclua também os seus tributos. Porque somente o ICMS? Se for assim, vai ser uma reforma do ICMS e não uma reforma tributária", disse, sintetizando preocupação e questionamento do conjunto de governadores.

Segundo o governador de Mato Grosso do Sul, na reunião em Brasília, alguns estados expuseram riscos de ocorrerem situações dramáticas caso a reforma aprovada seja o modelo até agora proposto. Como o Piauí, onde a redução de empresas contribuintes seria quase total. "Nós [MS] estamos no bloco intermediário, nem totalmente prejudicados, nem totalmente isentos", avaliou.

André deu indicação de que os governadores poderão mobilizar suas bancadas no Senado para ajustar o projeto de reforma de modo a atender às demandas defendidas pelos estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
PSD municipal terá Antônio Lacerda no comando
Política
Homem se joga na frente de caminhão e morre em rodovia
Política
Em reunião, parlamentares estudam o não fechamento de comarca
Política
Advertência de Barbosinha
Política
Marçal é o preferido em Dourados, diz Instituto Ranking
Política
Fábio Trad elogiou proposta de emenda à Constituição
Política
Rose Modesto cobra de ministro retomada de investimentos na educação
Política
Vereadores aprovam recursos para obras em Campo Grande
Política
Estabelecimentos de MS podem ser obrigados a fornecer copos biodegradáveis
Política
Nelsinho Trad solicita liberação de R$ 168 milhões para MS

Mais Lidas

Polícia
Ex-marido esfaqueia mulher em boate ao ver localização em rede social
Geral
Vídeo - Após mulher trocar senha do wi-fi, vizinhos apedrajam casa
Polícia
Homem toma arma de policial, troca tiros com outros e morre em telhado de casa
Cidade
Inscrições para sorteio de apartamentos na capital encerram terça-feira