Menu
Menu
Busca quarta, 28 de fevereiro de 2024
Política

Balanço da Operação Eleições 2022 registra 15 ocorrências de crimes eleitorais

Comparado ao primeiro turno, neste segundo turno foram 13 ocorrências a mais

31 outubro 2022 - 13h30Da Redação, com assessoria

Com reforço de mais de 8 mil homens e mulheres das forças estaduais de segurança pública, em Mato Grosso do Sul a Operação Eleições 2022 registraram 15 ocorrências de crimes eleitorais neste segundo turno, quando os eleitores foram às urnas para elegerem o novo governador do Estado e o novo presidente da República. O balanço foi feito pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) na manhã de hoje (31).

Em um comparativo quanto ao primeiro turno, foram registradas duas ocorrências de crimes eleitorais - do eleitor que tirou "selfie" na cabine de votação e o indivíduo que colou as teclas de uma das urnas - enquanto no segundo turno,  foram registradas pelas forças estaduais de segurança quatro desobediências às ordens da Justiça eleitoral, uma em Nioaque, uma em Bandeirantes, uma em Miranda e outra em Vicentina;  duas prisões de eleitores, em Campo Grande, duas em Três Lagoas, uma em Laguna Carapã e outra em Chapadão do Sul; uma apreensão de material de campanha, em ocorrência de boca de urna, em Sete Quedas; quatro violações ou tentativa de violação do sigilo do voto, uma em Japorã, Antônio João, uma em Chapadão do Sul e outra em Coxim. Além do grande efetivo, a Secretaria empregou na Operação, mais de 3 mil viaturas, bem como embarcações e aeronaves em todo o Estado.

As ações da segurança pública foram intensificadas especialmente nos locais e espaços que possuem relação direta com o pleito eleitoral, como cartórios eleitorais, locais de votação, locais de totalização/apuração, vias públicas e estações de transporte público. Para tanto, cada instituição de segurança elaborou seu próprio planejamento específico de ações, protocolos e planos operacionais integrados.

Todas as atividades foram monitoradas e coordenadas pelo Centro Integrado de Comando e Controle Estadual (CICC-E), em Campo Grande, que atuou de forma integrada com o Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICC-N) de Brasília, com o objetivo de prevenir, coibir e reprimir crimes eleitorais como compras de votos, transporte ilegal de eleitores, boca de urna, etc.

Conforme o secretário Adjunto de Justiça e Segurança Pública, Coronel Ary Carlos Barbosa, a avaliação quanto as eleições são tranquilas em MS. “É resultado do trabalho integrado entre todas as forças, de inteligência e principalmente dos policiais da ponta, que tiveram atuação firme neste domingo”, disse.

 

Tenha em seu celular o aplicativo do JD1 e acompanhe em tempo real todas as notícias. Para baixar no IOS, clique aqui. E aqui para Android.

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Gleisi Hoffmann apoia Camila na capital e Tiago Botelho em Dourados
Política
Deputados votam PL sobre encaminhamentos do Samu para hospital particular
Política
Comissão de Educação do Senado aprova o marco legal dos jogos eletrônicos
Política
Isenção de impostos para igrejas avança no Congresso
Política
Vereadores mantêm veto sobre 'Drive-Thru da Reciclagem' no calendário oficial
Política
Conscientização sobre entrega legal para adoção é aprovada por deputados de MS
Política
Assembleia quer garantir agilidade na Rota Bioceânica
Justiça
Camila Jara enfrenta batalha jurídica no TRE
Política
Deputados votam projeto de conscientização sobre entrega voluntária para adoção
Política
Vereadores analisam veto sobre Drive-Thru da reciclagem em calendário oficial

Mais Lidas

Vídeos
Vídeo: Travesti bate em jovem e tribunal a pune
Justiça
Ex-secretários de saúde de Glória de Dourados são condenados pelo TCE-MS
Geral
Mulher de 33 anos morre após se queimar fritando ovo em casa
Justiça
Camila Jara enfrenta batalha jurídica no TRE