Menu
Busca quinta, 02 de dezembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS nov21
Política

Deputados precisam aprovar a reforma administrativa antes do recesso

Parlamentares devem analisar também a previdência complementar dos futuros servidores

10 dezembro 2018 - 09h13Da Redação

Com apenas seis sessões antes do recesso parlamentar, deputados vão votar projetos importantes encaminhados pelo Executivo estadual. Uma das propostas será a apreciação da previdência complementar para os futuros servidores. A matéria foi aprovada em primeira votação na semana passada e deverá ser votada em plenário nesta terça-feira (11).

Além da Previdência Complementar, outro projeto que será debatido em plenário será a Reforma Administrativa do Governo do Estado, porém a proposta ainda não foi encaminhada para o Legislativo e, de acordo com o secretário de Governo, Eduardo Riedel, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), ainda está fazendo ajustes, mas que mudanças vão ocorrer.

Anteriormente, os dez secretários das dez secretarias do estado redigiram cartas agradecendo a oportunidade de participarem da gestão de Azambuja e colocaram seus cargos à disposição para eventuais trocas. "Isso é de praxe, eles quiseram mostrar que não terá problemas com eventuais mudanças na nova gestão", explicou o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Rinaldo Modesto (PSDB).

O projeto de lei da previdência complementar, que ainda vai a segunda votação na Casa, prevê a criação da Fundação de Previdência Complementar dos Servidores de Mato Grosso do Sul (MS-Previcom), que será responsável pela administração dos planos previdenciários. Servidores com salários maiores de R$ 5,6 mil podem aderir à Previdência Complementar em outros bancos. Militares estaduais foram retirados da proposta.

Embora guarde semelhanças com a Lei Federal n.º 12.618/2012, que criou o Regime de Previdência Complementar Federal, no projeto estadual, toda gestão do plano ficará a cargo do Executivo, inclusive a indicação de todos os membros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal da Fundação, por dois anos, até que seja possibilitada eleição, após já terem indicado os integrantes da diretoria executiva, cujo mandado seria de três anos.

A proposta prevê ainda a autorização de um aporte de R$ 20 milhões à Previcom, como antecipação de contribuição, para funcionamento inicial da entidade. Sendo a primeira parte de, no mínimo, R$ 5 milhões, repassada em até 60 dias após a instituição da fundação.

Os projetos precisam ser aprovados antes do recesso que começa dia 21 de dezembro de 2018 para que entrem em vigor em 2019.

Asa - anestesistas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Bolsonaro adia vinda a Porto Murtinho
Política
Londres Machado pede apoio à candidatura de Riedel a governador
Política
Azambuja defende união entre os estados para incentivar a vacinação contra Covid
Política
Presidente Bolsonaro assina filiação ao PL
Política
Azambuja vai a Curitiba para reunião com governadores do Codesul
Política
Governador anuncia curso novo na UEMS e investimento de R$7 milhões
Política
Sabatina de André Mendonça é marcada para quarta-feira no Senado
Política
Pesquisa IPR mostra quadro eleitoral em MS
Política
Doria diz é "possível" uma aliança com Moro em 2022
Política
"Bolsonaro não tem nenhum poder", diz Sara Winter

Mais Lidas

Brasil
Carteiro é baleado ao fazer entrega em condomínio; assista
Vídeos
Homem se masturba na frente de crianças em condomínio; assista
Polícia
Mulher encontra corpo de bebê escondido em sacola ao descongelar geladeira
Internacional
Perereca suicida? Modelo atira na própria vagina ao gravar vídeo erótico