Menu
Busca domingo, 29 de novembro de 2020
(67) 99647-9098
aguas guariroba - Águas em Ação 3
Política

"É uma operação de guerra”, diz Riedel sobre combate aos incêndios no Pantanal

Secretário enalteceu a parceria com o Governo Federal, com envio de aeronaves da FAB para auxiliar no trabalho

28 julho 2020 - 17h56Flávio Veras

O secretário de Governo e Gestão Estratégica de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, disse nesta terça-feira (28) que o combate aos incêndios no Pantanal se tornou uma "operação de guerra". Ainda conforme Riedel, o Governo Federal, por meio dos ministérios da Defesa, do Meio Ambiente e da Agricultura e Abastecimento, vem auxiliando as equipes locais com envio de aeronaves e militares das Forças Armadas, além de agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

As declarações foram feitas em entrevista à rádio Jovem Pan Brasil. O secretário citou a participação de cinco aeronaves: quatro helicópteros e um avião Hércules C-130, que tem a capacidade de levar 12 mil litros de águas por voo. Essas aeronaves trabalham nas ações integradas da Operação Pantanal II, desencadeada no último dia 26. Além dos militares e agentes federais, o trabalho ainda conta com o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar Ambiental (PMA) do estado.

N entrevista, o secretário citou o decreto de situação de emergência ambiental na área do Pantanal, por 180 dias, assinado na última sexta-feira (24) pelo governador Reinaldo Azambuja. Riedel, que esteve pela manhã na região verificando a situação, falou que o local é de difícil acesso, o que dificulta o trabalho das equipes.

“Os maiores focos de queimadas acontecem perto de Corumbá e outro mais ao norte, na Serra do Molar. Essa segunda região citada, exige muito das equipes de terra, pois a área é muito remota. Por esse motivo, na sexta, acionamos o ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente; da Defesa, Fernando Azevedo e Silva e do Meio Ambiente, Tereza Cristina. Eles se mobilizaram e mandaram o apoio das Forças Armadas para ajudar nosso efetivo, para que pudéssemos fazer uma frente ampla de combate a esses focos de incêndio”, disse Riedel.

O secretário ainda complementou a informação explicando que “vale lembrar que nesta época do ano a região tem como característica ter estiagem e tempo seco. Existe também muita ventania, o que ajuda na propagação dos focos de queimadas. Neste momento temos mais de 100 homens mobilizados nesta operação, ou seja, é uma operação de guerra. A qualidade do ar em Corumbá é muito ruim, quase não conseguimos pousar, devido a pouca visibilidade. Portanto, essa ação coordenada está sendo muito importante, pois teve um tempo de mobilização recorde”, finalizou.

Confira o vídeo da entrevista completa na integra:

Teia - Agronomia

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Ponta Grossa é a única cidade do Brasil a ter duas mulheres disputando o 2º turno
Política
Marquinhos anuncia 45 obras e prevê gastos de R$ 1,3 bilhão
Política
TRE-MS conquista pela primeira vez selo diamante do Conselho Nacional de Justiça
Política
Cinco cidades do Estado adquirem “Castramóvel”
Política
Bolsonaro estima que país possa encerrar 2020 com mais empregos do que em 2019
Política
Projeto pretende criar de canal para denúncias de maus-tratos de animais
Política
E-Título só estará disponível para baixar até as 23h59 de sábado
Política
Governador decreta luto de três dias em razão do falecimento de Roberto Orro
Política
TRE-MS anula votos dados a Harfouche e aumenta vantagem de Marquinhos
Política
Ex-vereador morre depois de ser picado por uma cobra em MS

Mais Lidas

Polícia
Jovem se esconde embaixo de cama após fugir da policia
Geral
Contran revoga Resolução que interrompia prazos de serviços e divulga calendário para CNH
Polícia
Argentino é preso no terminar rodoviário e confessa ter engolido 30 cápsulas de cocaína
Polícia
No Santa Luzia, dois homens são alvos de atirador em carro