Menu
Busca sábado, 25 de janeiro de 2020
(67) 99647-9098
Perkal Topo - janeiro-20
Política

Em seminário no Uruguai Nelsinho Trad discute Rota Bioceânica

O senador disse que o novo caminho é um grande atrativo econômico para o Brasil e também aos países de fronteira

15 julho 2019 - 16h35Mauro Silva, com informações da assessoria

A Rota Biocêanica foi tema discutido em encontro que reuniu representantes de outros países da América do Sul nesta segunda-feira (15) em Montevidéu no Uruguai. O senador Nelsinho Trad (PSD-MS), membro do Parlamento do Mercosul (Parlasul), também participou do encontro e defendeu o interesse do Mato Grosso do Sul nessa rota vista como um grande atrativo econômico ao estado, além dos países que fazem fronteira com o Brasil.

Na Comissão de Infraestrutura, Transporte, Recursos Energéticos, Agricultura, Pecuária e Pesca, o parlamentar sul-mato-grossense defendeu os interesses de Mato Grosso do Sul. “Colocamos em discussão a importância da Rota Bioceânica que poderá se tornar a nova fronteira do turismo para quatro países: o Brasil, o Chile, o Paraguai e a Argentina”, afirmou Nelsinho.

“O corredor favorece principalmente Mato Grosso do Sul que terá acesso rodoviário ao Oceano Pacífico com a construção de uma ponte sobre o Rio Paraguai, ligando Porto Murtinho a Carmelo Peralta, no Paraguai”, explicou.

Durante a reunião, o parlamentar informou detalhes sobre o projeto e contribuiu para a elaboração da programação do I Seminário de Infraestrutura de Transporte Rodo-Ferroviário da América do Sul, previsto para o próximo dia 12 de agosto, em Assunção, no Paraguai.

“Na solenidade de abertura, teremos o presidente do Paraguai Mario Abdo Benitez, o presidente do Congresso Paraguaio, senador Bias Liano, o presidente do Parlasul Daniel Caggiani, o vice Tomás Bittar, o presidente da comissão de Infraestrutura Enzo Cardozo, o ministro de obras públicas Arnoldo Wiens e os governadores de Mato Grosso do Sul Reinaldo Azambuja, de Mato Grosso Mauro Mendes Ferreira e do Paraná Carlos Roberto Massa Júnior”, informou o senador.

Rota Bioceânica

O corretor bioceânico rodoviário terá 2.396 quilômetros, passando por Brasil, Paraguai, Argentina e Chile. A rota saí de Santos, passa por Mato Grosso do Sul e vai até Antofagasta (Chile) e liga o Atlântico ao Pacífico. “Concluído, haverá a redução de 8 mil kms marítimos de distância entre o Brasil e os países asiáticos, também 40% a menos dos fretes e geração de economia e renda para Mato Grosso do Sul e para todo o País”, enfatizou o senador Nelsinho Trad.

No próximo dia 20, o presidente paraguaio informou que estará em Carmelo Peralta para vistoriar a obra da TransChaco, trecho rodoviário fundamental para a consolidação da rota bioceânica. Nessa data será realizada a assinatura da licitação do projeto da ponte. “Há previsão de conclusão da obra até 2022 que vai ligar o nosso Mato Grosso do Sul, a partir de Porto Murtinho, ao Distrito Paraguaio Carmelo Peralta que será estratégico para Rota Bioceânica, ligando o Brasil aos portos do Oceano Pacífico”, esclareceu o senador Nelsinho Trad.?

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Nelsinho define estratégias para lançar “nomes competitivos” na capital e interior
Política
Fábio critica corte de verbas na fronteira e cobra vinda de Moro a MS
Política
Bolsonaro desponta em pesquisa e fica 12% a frente de Lula
Política
Nelsinho tenta liberar R$ 600 mi em financiamento para MS
Política
Coronel David classifica como grave a situação na fronteira
Política
Ministério Público denuncia Glenn Greenwald por ligação com hackers
Política
Prazo para regularização do título termina em maio
Política
Bolsonaro sanciona LOA de 2020
Política
Bolsonaro anuncia aumento de 12% no salário do professor do ensino básico
Política
Após declarações nazistas, Bolsonaro exonera Roberto Alvim

Mais Lidas

Polícia
Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em terreno
Esportes
Internacional vence Grêmio nos pênaltis e ganha Copa São Paulo de Juniores
Geral
Bruno Covas recebe alta após 7ª sessão de quimioterapia
Polícia
Casal é preso com mais de R$ 400 mil em celulares e relógios