Menu
Menu
Busca quarta, 24 de abril de 2024
Política

Moro chama de gafe verbal comentário de Kim sobre partido nazista

Moro comparou governo Bolsonaro a uma biruta de aeroporto que muda de posição conforme o vento

11 fevereiro 2022 - 13h29Méri Oliveira, com FOLHAPRESS    atualizado em 11/02/2022 às 13h45

O pré-candidato a presidente Sergio Moro (Podemos) classificou os comentários de Kim Kataguiri (DEM-SP) contra a criminalização do nazismo na Alemanha, como erro brutal e gafe verbal.

"Ele tem um histórico como parlamentar. Não vamos apagar esse histórico porque ele cometeu esse erro brutal. Mas não reflete o que ele pensa, foi uma gafe verbal", afirmou Moro em entrevista a jornalistas da TV Meio Norte.

Sergio Moro ainda destacou que o deputado federal -que é um de seus principais aliados na corrida presidencial- pediu desculpas sobre os comentários. Disse ainda que não pode responder pela fala de outras pessoas e reafirmou que o nazismo deve ser repudiado.

"A questão do deputado Kim, isso tem que perguntar para ele. Ele já pediu desculpas. Eu acho que ele se equivocou profundamente em relação a essa fala e ele já pediu as escusas, pediu as desculpas a todas as pessoas, como tem que ser", disse o presidenciável.

Questionado por uma jornalista se Kataguiri havia cometido um crime ou uma gafe, Moro voltou a classificar o episódio como um erro brutal e disse que o nazismo é um crime abominável.

"Eu deixei muito claro minha posição a esse tema. Nazismo é um erro. É um erro não, é um crime abominável. É uma ofensa contra o povo judeu e à humanidade", disse.

A fala de Kataguiri aconteceu em entrevista ao Flow Podcast na segunda-feira (7). Na ocasião, o apresentador Monark defendeu o direito de existência de um partido nazista -ele acabou desligado do canal. A deputada federal Tabata Amaral (PSB-SP) rebateu e questinou se Kim achava errado a Alemanha ter criminalizado o nazismo. O deputado respondeu que sim.

Diferentes grupos políticos na Câmara dos Deputados decidiram representar no Conselho de Ética contra o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) por ele ter afirmado, no Flow Podcast, que nazismo não deveria ser considerado crime no Brasil.

Na quarta-feira (9), Kataguiri (DEM-SP) se desculpou por sua fala no Flow Podcast: "Eu errei. Eu disse algo que ofende a comunidade judaica. Que faz com que ela se sinta ameaçada", disse em uma transmissão na internet ao lado do deputado estadual Heni Ozi Cukier (Novo-SP).

Moro encerrou nesta quinta-feira (10) um périplo pelos estados do Ceará e Piauí. Esta é a segunda visita de Moro ao Nordeste neste ano. Em janeiro, ele esteve na Paraíba, onde iniciou sua articulação para a montagem de palanques e busca aliados para a sua campanha presidencial neste ano.

Entre seus aliados, estão parlamentares que se elegeram em 2018 na onda bolsonarista, mas romperam ou se afastaram o presidente Jair Bolsonaro (PL) ao longo da atual legislatura.

Na segunda-feira (7), ele lançou uma carta na qual defende a atual lei que restringe as situações em que o aborto é permitido e promete manter a imunidade tributária das igrejas.

O ex-ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro (PL) fez críticas ao governo, comparando a uma biruta de aeroporto que muda de posição conforme o vento. Também foi alvo de um protesto solitário de um bolsonarista que o chamou de traidor e gritou o nome do presidente.

Moro voltou a mirar ex-presidente Lula (PT), seu potencial adversário nas eleições de outubro, e criticou o discurso do petista.

"Quando você ouve, por exemplo, o Lula, parece que dia 1º de janeiro de 2023 vai começar a chover picanha e jorrar cerveja da torneira [...] Olha, se chover picanha, só vai chover picanha se for na casa dos membros do PT, porque não vai chover picanha para a população", afirmou.

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Sessão ordinária desta quarta-feira (24)
Política
Deputados aprovam e projeto sobre diagnóstico precoce do autismo vai à sanção
Waldecy Batista Nunes, o "Chocolate" -
Cidade
Ex-vereador "Chocolate" assume cargo na Câmara Municipal de Campo Grande
Foto: Luciana Nassar/Alems
Política
Assembleia vota nesta quarta-feira projeto de reajuste aos servidores da Casa
Foto: Câmara Municipal
Política
Claudinho Serra desmente renúncia
Sessão da Câmara
Política
Vereadores aprovam projeto que permite entrada de água em shows na Capital
Sessão ordinária desta terça-feira (23)
Política
Deputados aprovam projeto que prevê exame gratuito precoce de pacientes com autismo
Prefeita de Sidrolândia Vanda Camilo -
Política
Vereadores de Sidrolândia aprovam CPI contra prefeita após escândalo de corrupção
Fernando Haddad
Política
Governo adiará um dos projetos da regulamentação da reforma tributária
Presidente do TRE-MS, Desembargador Paschoal Carmello Leandro -
Justiça
JD1TV: TRE faz campanha sobre regularização de títulos de eleitor
Câmara analisa projeto que permite entrada com água para consumo em shows
Política
Câmara analisa projeto que permite entrada com água para consumo em shows

Mais Lidas

AGORA: Capitão do Batalhão de Choque morre na Capital
Polícia
AGORA: Capitão do Batalhão de Choque morre na Capital
Capitão Leonardo Mense partiu durante a noite de sábado (21)
Polícia
'Imenso legado': Capitão Mense é homenageado por autoridades e instituições de MS
 Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) -
Justiça
MPMS investiga fraude em concurso da prefeitura de Sonora e recomenda suspensão
"Eu não tenho dúvida que o Beto Pereira terá capacidade, se eleito for, de fazer as grandes transformações e reformas que Campo Grande precisa", enfatiza ex-governador.
Política
JD1TV: Reinaldo diz que problemas locais "pesarão mais" que Bolsonaro