Menu
Busca segunda, 30 de janeiro de 2023
(67) 99647-9098
Governo - Dengue Jan22
Política

Moro rebate nota da Polícia Federal que diz que ele mente

16 fevereiro 2022 - 13h41Méri Oliveira, com Folhapress
Gov Dengue - Jan23 Square - detalhe noticia

O presidenciável Sergio Moro (Podemos) rebateu nesta quarta-feira (16) as críticas feitas pela PF (Polícia Federal), que na segunda (15) acusou o ex-juiz de mentir em seus "ataques descabidos" à entidade. Como resposta, Moro disse que a corporação não prende "grandes tubarões" por crimes de corrupção.


"Não é só uma questão de quantidade, mas de quem está sendo preso. Prendeu o bagrinho da corrupção? Isso sempre teve. Prendeu lá um funcionário público que cobrou propina para conceder uma licença, um guarda que deixa de aplicar uma multa. Isso tem. Agora grande corrupção, os grandes tubarões... Não está tendo prisão nenhuma. A gente não ouve falar nada sobre isso", declarou Moro, em entrevista à Rádio Rio FM, de Aracaju.

Em comunicado divulgado na segunda, a PF disse que foram efetuadas "mais de mil prisões, apenas por crimes de corrupção, nos últimos três anos", durante o governo de Jair Bolsonaro (PL), adversário de Moro.

O pré-candidato à Presidência, no entanto, voltou a fazer críticas, mas dessa vez focando na direção da PF, que atualmente é comandada pelo delegado Paulo Maiurino. Segundo Moro, a nota divulgada não é da Polícia Federal, mas "da atual direção da Polícia Federal".

"Eu tenho grande respeito pelos delegados, pelos agentes, pelos escrivãos (sic), pelos partidos, pelos papiloscopistas e todos os servidores da Polícia Federal. Eu tenho grande respeito pela instituição. A direção atual não representa o que pensam essas pessoas", disse o ex-juiz.
 

Críticas a Bolsonaro

Na segunda-feira (14), em entrevista à Jovem Pan, Moro criticou aquilo que classifica como "interferências" de Bolsonaro na PF, às quais ele diz ter sido contra, e ressaltou que o próprio presidente "já falou publicamente que eu saí do governo porque não aceitava proteger a família dele".

Hoje, ele voltou a falar sobre o assunto. "Os delegados e os agentes não estão tendo a possibilidade de trabalhar. A gente tem ouvido de vários superintendentes sendo afastados. Teve aquele caso do Amazonas do Alexandre Saraiva, que foi afastado porque teve um processo que acabou batendo de frente com o ministro anterior do Meio Ambiente. Não lembro o nome dele", afirmou Moro.

O caso citado pelo ex-juiz é o do delegado Alexandre Saraiva, ex-superintendente da PF no Amazonas. Ele foi exonerado após enviar, em meados de abril do ano passado, uma notícia-crime ao STF (Supremo Tribunal Federal) contra o ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o senador Telmário Mota (Pros-RR).

Gov Dengue - Jan23 Square - detalhe noticia
Gov Dengue - Jan23 Square

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Entenda propostas de reforma tributária paradas no Congresso
Política
Governadores vão cobrar de Lula a compensação por perdas com ICMS
Política
Dino afirma que Esplanada será fechada durante a posse dos senadores e deputados
Política
PGR denuncia Carla Zambelli por porte ilegal de arma
Política
MPTCU pede investigação de quem utilizou indevidamente cartão presidencial
Política
Deputada exige que Bolsonaro devolva mais de R$ 182 mil gastos com motociatas
Política
Deputados se preparam para tomar posse e definir Mesa Diretora
Política
PP tem tarde de adesões
Política
Lula parte para primeira viagem internacional neste domingo
Política
Social marca início do governo Riedel

Mais Lidas

Polícia
Pai estupra a própria filha com deficiência no Jardim Carioca
Polícia
Marido apanha e se tranca no quarto para evitar confusão com mulher na Capital
Cidade
Um dia antes de morrer, Sophia teve problemas de saúde e mãe 'deu remedinho'
Polícia
Homem morre atropelado na Avenida Bandeirantes