Menu
Busca sábado, 24 de agosto de 2019
(67) 99647-9098
Política

"Não acredito em preservação ambiental com miséria", diz Tereza Cristina

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina defende que produtores rurais sejam recompensados pelas áreas que conservarem

22 julho 2019 - 09h55Priscilla Porangaba, com informações da Folha de S.Paulo

“Onde tem miséria você não vai preservar”, afirmou em entrevista à Folha de São Paulo, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, ao defender que produtores rurais sejam recompensados pelas áreas que conservarem.

A ministra reconheceu que o Brasil tem uma imagem ruim no exterior sobre a preservação ambiental e argumentou que muitas vezes o setor agrícola europeu usa isso como justificativa para proteger seus produtores rurais de mercadorias brasileiras. 

A ministra é uma das principais negociadoras do acordo de livre-comércio assinado entre o Mercosul e a União Europeia. Ela argumenta que os setores nacionais mais vulneráveis terão um tempo para se adaptar. 

Ela prega ainda “pragmatismo” nas relações comerciais do país e diz que não ouve mais ninguém do governo falar sobre mudança da embaixada em Israel de Tel Aviv para Jerusalém —o que gerou ameaças de boicote de árabes às exportações brasileiras de carne de frango. 

Sobre o acordo entre a União Europeia e o Mercosul, ela é categórica em afirmar que “acordo é acordo,  Cada um tem que trabalhar a sua parte para honrar aquilo que está sendo discutido há 20 anos”.

Já sobre as medidas que o governo vai usar para proteger os setores  mais vulneráveis ela disse que conversou com vários setores que têm mais fragilidade para esse acordo. “Agora começa uma nova fase. Temos a parte legal, a parte dos Congressos do Mercosul; eles [europeus] têm lá a fase deles.”

Sobre os dados do Inpe que mostrou que o desmatamento na Amazônia foi 57% maior do que no mesmo mês do ano passado, a ministra disse que primeiro tem que usar ciência, e ter dados concretos.

Quanto a imagem do presidente da república Jair Bolsonaro no exterior sobre o ambiente, a ministra disse que a imagem do país é ruim faz tempo.

Quanto às propostas do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de mudar regras do Fundo Amazônia, Tereza ela afirmou  que “ O ministro é muito preocupado [com o ambiente] e stá fazendo ajustes que precisam ser feitos para ajudar a agricultura. Nunca o vi defendendo ilegalidade”, finalizou.

A entrevista foi finalizada com  a afirmação que de ela não vai se permitir intrigar com o  chanceler Ernesto Araújo por causa de declarações sobre a China, já que ele tem sido muito parceiro com o ministério.

Ela ainda disse que o tema sobre a mudança de embaixada da Tel-Aviv para Jerusalém já foi superada. Que destituiu o presidente da  Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) porque precisava mudar o modelo para uma diretoria mais afinada.

Por fim a ministra não existe privatização e que a indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixador do Brasil em Washington é uma indicação diferente. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, durante entrevista em seu gabinete

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Câmara proporá incentivos fiscais a comerciantes
Política
“Seria um sonho ser prefeito de Campo Grande”, diz Waldeli
Política
Agronegócio não é causador de incêndio, diz Tereza Cristina
Política
Pesquisa mostra David como deputado mais atuante
Política
Avanço histórico - Sancionada lei do Alvará imediato
Política
Bioceânica: "Porta de saída do Brasil para o Futuro”, diz Riedel
Política
Governo estuda enviar Exército para combater queimadas na Amazônia
Política
Noite de homenagens na Câmara Municipal
Política
Barbosinha exige da União investimentos de R$ 89 mi à Segurança de MS
Política
Reinaldo e Bolsonaro são bem avaliados em MS, diz pesquisa

Mais Lidas

Polícia
Polícia apresenta acusado de estupro e roubo no Jardim Carioca
Polícia
Família encontra jovem morto e suspeita é de suicídio
Polícia
Confusão em tabacaria da Moreninha termina em morte
Polícia
Rapaz é contatado por aplicativo para fazer corrida e desaparece