Menu
Menu
Busca domingo, 16 de junho de 2024
Senar Junho24
Política

Órgãos em MS prometem se adequar à Lei da Informação em 60 dias

19 junho 2012 - 11h51Reprodução

Um mês depois que a Lei da Informação entrou em vigor no Brasil, órgãos de Mato Grosso do Sul ainda não se adequaram ou divulgam parcialmente dados considerados públicos. O Legislativo, Executivo, Tribunal de Contas, Ministério Público e Defensoria Pública Estadual prometem se adequar em 60 dias, conforme decreto publicado em Diário Oficial no dia 14 de junho. A prefeitura e câmara dos vereadores de Campo Grande não disponibilizam, por exemplo, o salário de cada servidor.

Governo estadual, assembleia, câmara e prefeitura informaram ao G1 que cada um tem seu próprio portal da transparência, onde alguns dados são disponibilizados, como licitações, gastos gerais, etc. No entanto, no site da assembleia, informações relacionadas à relação de funcionários exige senha para ser aberta.

A assessoria desse órgão confirmou que os vencimentos dos funcionários públicos não estão disponíveis e que após esses 60 dias será decidido se esses dados continuarão a ser mantidos em sigilo. O governo criou uma comissão de representantes dos órgãos que precisam se adequar para determinar quais procedimentos que serão adotados para que a Lei da Informação seja cumprida.

Conforme a assessoria de imprensa da câmara, o portal da transparência do órgão disponibiliza um arquivo com os nomes de cada um dos funcionários cedidos, estagiários, comissionados, efetivos e terceirizados, bem como a lotação, cargo e data da admissão, porém, sem o valor dos salários. No entanto, outro arquivo mostra os valores dos vencimentos de cargos efetivos e comissionados por função. Ainda de acordo com a assessoria, o portal foi criado com o apoio do Ministério Público Estadual e os valores não foram divulgados porque tal informação foi considerada pessoal.

A situação é semelhante ao portal da transparência da prefeitura, em que os valores são mostrados por função e não por pessoa. A assessoria de imprensa não soube informar o motivo dessas informações não estarem sendo publicadas e disse que somente o secretário de finanças, Paulo Nahas, poderia responder ao questionamento. O G1 entrou em contato e aguarda retorno.

Via G1

Reportar Erro

Deixe seu Comentário

Leia Também

Lula está cumprindo agenda no exterior, mas não deixou de comentar projeto polêmico
Política
Lula classifica de insanidade proposta que equipara aborto a homicídio
Imagem da urna eleitoral eletrônica /
Política
PM candidato é alvo do MP Eleitoral por propaganda antecipada na Capital
Foto: Douglas Gomes
Política
Para evitar "pressão", deputada de centro deve relatar PL do aborto
Câmara aprova urgência de projeto que equipara aborto ao homicídio
Política
Câmara aprova urgência de projeto que equipara aborto ao homicídio
Deputado federal Chiquinho Brazão, preso desde março sob a suspeita de ser um dos mandantes do assassinato de Marielle Franco
Política
Relatora de caso contra Chiquinho Brazão pede mais tempo para analisar documentos
Câmara aprova projeto que irá punir deputados que se envolvam em brigas
Política
Câmara aprova projeto que irá punir deputados que se envolvam em brigas
Secretário Jaime Verruck e o governador Eduardo Riedel
Política
Riedel participa de reunião sobre o FCO para 2025
Valdemar diz que está com "saudades" de conversar com Bolsonaro
Política
Valdemar diz que está com "saudades" de conversar com Bolsonaro
CCJ da Câmara em sessão que aprovou PEC das Drogas
Política
PEC das drogas é aprovada com placar de 47 a 17
Matérias que versam sobre a saúde e proteção da mulher foram aprovadas hoje em segunda discussão
Política
Deputados aprovam semana de mobilização dos homens contra a violência

Mais Lidas

IMAGENS FORTES: mulher morre após ser devorada por rottweilers em casa de prostituição
Polícia
IMAGENS FORTES: mulher morre após ser devorada por rottweilers em casa de prostituição
JD1TV: Jovens morrem ao caírem de 12 metros de altura enquanto esperavam show em boate
Internacional
JD1TV: Jovens morrem ao caírem de 12 metros de altura enquanto esperavam show em boate
À polícia, homem contou que disparo foi acidental, versão que é contestada por amigos da vítima
Polícia
Homem que deu tiro na cabeça de esposa passou em bar antes de voltar para local do crime
Vítima, que era pessoa com deficiência, não tinha família na Capital e era próxima dos vizinhos
Polícia
Marido de mulher baleada na cabeça já havia quebrado perna da vítima