Menu
Busca segunda, 17 de maio de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - maio21
Política

Pazuello entra em quarentena um dia antes de depor na CPI da Covid

O ex-ministro da saúde, teria tido contato com pessoas infectadas pela doença. A informação foi passada pelo presidente da CPI, o senador Omar Aziz (PSD-AM)

04 maio 2021 - 12h35Brenda Assis

O senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid, disse na abertura da sessão desta terça-feira (4) que o depoimento do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, deve ser adiado. O depoimento de Pazuello está marcado para a quarta-feira (5).

De acordo com o jornal O Globo, Aziz disse que foi informado de que Pazuello teve contato com dois coroneis infectados com Covid e, por isso, decidiu entrar em quarentena. Ainda segundo o senador, Pazuello deverá mandar um comunicado à CPI informando o fato. Pazuello teve a doença no ano passado.

“O ministro Pazuello, vai chegar um comunicado aqui, eu fui comunicado hoje [terça] de manhã. O ministro Pazuello teve contato com dois coronéis auxiliares dele esse final de semana que estão com Covid. Segundo a informação que eu tenho, ele vai entrar em quarentena e não virar depor amanhã [quarta]. Essa é a informação, não é oficial, é extraoficial”, afirmou Aziz.

O presidente da CPI deu a informação antes do início do depoimento desta terça, do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta.

Pelo cronograma da CPI, Mandetta falará nesta manhã e o sucessor dele no ministério, Nelson Teich, falaria na tarde desta terça.

De acordo com Aziz, se for confirmado o adiamento de Pazuello, a fala de Teich deve passar para a quarta-feira.

“Eu acho que se amanhã [quarta], caso não venha o ex-ministro Pazuello, eu estou pedindo para que, pedi para o meu gabinete entrar em contato com o ministro Teich para que fizéssemos com ele amanhã e hoje só ouviríamos o ministro Mandetta".

Expectativa para o depoimento

O depoimento de Pazuello é um dos mais esperados na CPI. General da ativa do Exército, ele assumiu o ministério após as saídas de dois ministros que não concordavam com as diretrizes do presidente Jair Bolsonaro: Mandetta e Teich.

Em outubro do ano passado, logo após ser desautorizado pelo presidente sobre compra da vacina CoronaVac (Bolsonaro era contra), Pazuello disse: "É simples assim: um manda e o outro obedece".

Pazuello era o ministro quando o governo recusou oferta de compra de 70 milhões de doses da vacina da Pfizer para serem recebidas em dezembro de 2020. Foi também durante a gestão dele que o sistema de saúde de Manaus entrou em colapso, registrando falta de oxigênio hospitalar e filas de vagas em UTIs.

Genetica 1

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Reinaldo lamenta morte de Bruno Covas
Política
"Não é favor, é missão nossa", diz Bolsonaro em entrega de títulos a assentados de MS
Política
Senado aprova redução de tarifa de energia com reembolso de tributos
Política
Rodolfo Nogueira com Bolsonaro amanhã em Terenos
Política
Após Datafolha, Bolsonaro chama Lula de 'ladrão de nove dedos'
Política
Câmara aprova titulo de "visitante ilustre" a Bolsonaro
Política
Riedel atuará com empresários em plano de recuperação econômica
Política
Câmara aprova projeto que institui Kit Merenda da Agricultura Familiar
Política
MDB se diz solidário a André
Política
Paulo Corrêa elogia trabalho e reafirma apoio à Polícia Civil em formatura

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio