Menu
Busca terça, 07 de fevereiro de 2023
(67) 99647-9098
Política

Renan diz que não houve crime de Dilma em 2016 e reforça apoio a Lula

17 fevereiro 2022 - 15h39Méri Oliveira, com Folhapress
Sebrae Materia

O senador Renan Calheiros (AL) disse que não houve crime de responsabilidade para fundamentar o impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT) e que o MDB não apoiaria o afastamento, caso o processo ocorresse hoje. Ele também defende apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já no primeiro turno da disputa presidencial, caso Simone Tebet (MS) não avance até maio.

"Acho que o próprio MDB não repetiria uma circunstância daquela. Aquilo é um fato para não ser repetido jamais na história do Brasil", disse, em entrevista à coluna de Guilherme Amado, no site Metrópoles.

Calheiros, que votou a favor do impeachment, diz que esse processo não pode se repetir. "Sinceramente, não acredito que o Senado hoje aprovaria o impeachment da presidente por crime de responsabilidade fiscal que não houve. Aquilo foi circunstância que não pode se repetir."

Durante a entrevista, Renan Calheiros também reforçou que setores do MDB já discutem o apoio a Lula no primeiro turno, caso a campanha de Tebet não decole. "Se ela não crescer, ela própria vai entender essa realidade. Ficamos de conversar com alguns setores do MDB, que com essa avaliação, admitem possibilidade de apoiar Lula desde o primeiro turno."

Em janeiro, quando se reuniu com Lula em São Paulo ao lado de Renan Filho (MDB-AL), Calheiros já havia dito que a sigla poderia apoiar o ex-presidente ainda no primeiro turno. "Tivemos uma conversa com o presidente Lula sobre democracia, institucionalidade, economia e eleição. Inclusive a última, que elegeu Bolsonaro e quebrou o Brasil. Pessoalmente, defendo que, se o MDB não tiver um candidato competitivo, é mais consequente uma aliança com Lula."

Tebet nem pontua em pesquisa PoderData divulgada ontem. Lula aparece com 40% das intenções de voto, à frente do presidente Jair Bolsonaro (PL), que ficou com 31%. Em terceiro lugar está o ex-juiz Sergio Moro (Podemos), que oscilou dois pontos para cima em relação à pesquisa anterior, e agora soma 9% das intenções de voto.

Sebrae Materia

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Projeto quer transformar Pelé em herói do Brasil
Política
Marcio Fernandes quer presidir MDB
Política
Deputado propõe 8 de janeiro como o Dia de Combate ao Terrorismo
Política
STF abre inquérito para investigar Carla Zambelli
Polícia
Colisão entre carro e viatura do Batalhão do choque deixa feridos na Capital
Política
Riedel tem café com André
Política
CGU revisará sigilos de 100 anos impostos por Bolsonaro a 234 processos
Política
Lula diz cogitar reeleição em caso de 'situação delicada' no país
Política
Marcos do Val acusa Silveira e Bolsonaro de terem planejado golpe após eleições
Política
JD1TV: Na Câmara, Adriane fala em "trabalho conjunto por Campo Grande"

Mais Lidas

Geral
Melhores do ano CG: especialista alerta para golpe no Instagram
Polícia
JD1TV: Depoimento de motorista de aplicativo desmente relato da mãe de Sophia
Polícia
Polícia fecha boca de fumo e prende quatro envolvidos no Parque Lageado
Polícia
Delegada revela que mãe e padrasto de Sophia planejaram mentir para a polícia