Menu
Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2024
Secovi
Política

Rose diz que "tem que ser na legalidade"

Ex-deputada e Soraya Thronicke vivem briga "de gato e rato" por mando no União Brasil

07 abril 2023 - 14h20Pedro Molina     atualizado em 07/04/2023 às 16h16

A ex-deputada federal Rose Modesto, junto de outros 16 membros do União Brasil, foram pegos de surpresa ao serem excluídos, sem nenhum motivo aparente, da executiva do diretório estadual por ordem da senadora Soraya Thronicke, atual presidente da sigla em MS.

Ao JD1, Rose disse que nunca fez política com brigas e desentendimentos, mas que lutará para garantir que a eleição para presidência da sigla ocorra dentro da legalidade.

“Então, fiquei sabendo dessa situação pelas 17 pessoas que são membros do União Brasil que a senadora tirou da executiva do Partido, inclusive eu. Tirou sem nenhuma razão legal. Tirou 17 membros que não acompanharia ela na eleição e colocou de forma ilegal 14 novos membros”, explicou a ex-parlamentar.

Rose ainda afirmou que, apesar da situação, continuará no partido e irá disputar a presidência do partido. “Ganhar e perder faz parte, mas tem que ser no voto, na transparência e legalidade. É isso que os membros do partido União Brasil querem e tem direito”, comentou.

Entenda a situação

A senadora Soraya Thronicke, atual presidente do União Brasil em Mato Grosso do Sul, expulsou, pouco tempo antes das eleições para presidência do partido, 17 membros da executiva do diretório estadual e os substituiu por outros 14 membros.

No entanto, as ações da senadora foram anuladas logo em seguida por meio de uma decisão judicial do juiz Fábio Saad Peron, da 15ª Vara Cível de Campo Grande, que determinou que a sigla suspenda a eleição e se abstenha “de promover a alteração da composição da comissão estadual para que seja assegurado o direito ao voto dos membros e dos diretores inativados/excluídos indicados e que não sejam computados os votos dos membros ativados/incluídos relacionados”.

Além disso, o magistrado determinou que os membros sejam restituídos imediatamente aos cargos. O União Brasil seguiu o entendimento do juiz e determinou que Rose e os demais membros sejam renomeados.

 

Tenha em seu celular o aplicativo do JD1 e acompanhe em tempo real todas as notícias. Para baixar no IOS, clique aqui. E aqui para Android.

Reportar Erro
Assembleia - Maio24

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRE-MS desaprova contas do PSOL/MS e exige devolução de R$ 23 mil
Justiça
TRE-MS desaprova contas do PSOL/MS e exige devolução de R$ 23 mil
Rose Modesto deverá apresentar modelo de Plano de Governo
Política
Rose lança pré-candidatura nesta sexta
Sede do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul - TCE/MS
Justiça
TCE-MS orienta gestores sobre condutas vedadas em ano eleitoral
Posse de Livio é suspensa e Gian Sandim deve assumir
Política
Posse de Livio é suspensa e Gian Sandim deve assumir
Centro recebe o Café com os Conselheiros Regionais neste sábado
Política
Centro recebe o Café com os Conselheiros Regionais neste sábado
Deputados decidem sobre plano de assistência médico-social para delegados de MS
Política
Deputados decidem sobre plano de assistência médico-social para delegados de MS
Vereadores analisam projeto para proteção de migrantes na Capital
Política
Vereadores analisam projeto para proteção de migrantes na Capital
Comissão da Câmara aprova moção de repúdio contra show da Madonna no RJ
Política
Comissão da Câmara aprova moção de repúdio contra show da Madonna no RJ
Projeto é de autoria do deputado Marcos Pollon (PL-MS)
Política
Câmara aprova projeto que veta acesso à benefícios para invasores de terra
Comissão do Senado aprova projeto para castração química
Política
Comissão do Senado aprova projeto para castração química

Mais Lidas

Amalha era corretora de imóveis
Polícia
Mulher encontrada morta no Porto Seco era corretora de imóveis
Frio em Mato Grosso do Sul
Clima
Mínima de 7°C: MS pode registrar 'o dia mais frio do ano' nos próximos dias
Carro da corretora é encontrado no Indubrasil
Polícia
JD1TV AGORA: Carro de corretora morta é encontrado no Indubrasil
Amalha trabalhava como corretora de imóveis
Polícia
Corretora assassinada iria encontrar 'ex-paquera' para cobrar dívida de R$ 20 mil