Menu
Busca sábado, 25 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Saúde

Pacientes com Down merecem atenção especial no dentista

Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) orienta sobre a importância de cuidados odontológicos específicos

17 março 2019 - 11h08Da redação com assessoria

 Pessoas com Síndrome de Down possuem alteração genética por conta de material extra do cromossomo 21 (trissomia). Essa variação resulta em algumas características na anatomia e fisiologia bucal, exigindo cuidados odontológicos especiais.  

A atenção com a saúde bucal da pessoa com a síndrome deve começar bem cedo e acompanhar os demais tratamentos médicos. “O profissional da odontologia deve estar inserido na equipe multidisciplinar de acolhimento ao paciente com Síndrome de Down, para assim, proporcionar uma boa saúde geral”, explica a cirurgiã-dentista Adriana Zink, presidente da Câmara Técnica de Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP).

Os problemas bucais mais comuns nesses pacientes são cárie, doença periodontal e alteração salivar, causados muitas vezes por maus hábitos alimentares. A respiração bucal, o posicionamento da língua e a hipotonia muscular (diminuição da força muscular) também podem levar à má oclusão dentária.

As visitas frequentes ao cirurgião dentista serão essenciais para cuidar e prevenir esses problemas, pois o profissional poderá montar um programa preventivo regular para controlar a dieta alimentar do paciente, incentivar a higiene bucal diária e em alguns casos, fazer a aplicação tópica de flúor.

Prevenir é sempre o melhor remédio

Medidas diárias são fundamentais para manter uma boa saúde bucal, pois “em média, 40% das pessoas com Síndrome de Down apresentam cardiopatias, o que intensifica mais ainda a necessidade da manutenção da saúde bucal,” afirma Adriana Zink. A higienização feita corretamente em toda a cavidade oral, ao acordar e após todas as refeições é o primeiro cuidado básico. Se for necessário, o paciente pode utilizar recursos para facilitar, como escovas com adaptadores e passa fio.

Em alguns casos, os pacientes não possuem coordenação motora suficiente para realizar a limpeza bucal de forma independente e correta. O cirurgião dentista poderá educar e conscientizar os pais e responsáveis para a necessidade de manter a saúde bucal em dia desses pacientes, pois essa participação durante esses cuidados podem prevenir possíveis problemas e trazer sucesso ao tratamento odontológico.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Apenas 65% do público alvo foi vacinado contra a gripe, na capital
Saúde
UPAs Universitário e Coronel Antonio atendem com pediatra nesta manhã
Saúde
Fisioterapeuta ministra palestra gratuita na capital
Saúde
Saúde da capital terá reforço de 31 médicos
Saúde
Onze pediatras atendem nesta manhã de quinta-feira
Saúde
Governo distribui medicação de alto custo para esclerose múltipla
Saúde
No sábado, Santa Casa realizará exames gratuitos de prevenção ao glaucoma
Saúde
Oito pediatras atendem em duas UPAs nesta manhã de terça-feira
Polícia
Mulher se esfaqueia para separar briga entre filho e namorada
Saúde
Nove pediatras atendem nesta manhã na capital

Mais Lidas

Cidade
Restaurante Bamboo Sushi é autuado por cobrança excessiva
Polícia
Homem bêbado pede para descansar e morre no sofá do vizinho
Geral
Ciclista tem a cabeça esmagada por carreta em acidente
Geral
Marginal usa OLX para aplicar golpe com WhatsApp de anunciante