Menu
Busca segunda, 20 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Cultura

Som da Concha apresenta Plano Zero e o rock “experiente” do The Rockfeller

07 julho 2011 - 10h24Divulgação

O Som da Concha deste domingo (10) será de pleno rock na Concha Acústica Helena Meirellles, no Parque das Nações Indígenas, na Capital. As bandas Plano Zero e Rockfeller agitam o público com influências diferentes, mas muita pegada. Os shows começam a partir das 17h30 e a entrada é franca.

Formada por César Yule (vocal), Alexandre Glaychman (contra-baixo e voz), Murillo Brem (guitarra), Thiago Vercelino (violão e voz) e Flávio Tsujisaki (bateria), Plano Zero possui um som que criou raízes nas baladas do pop rock. Mescla influências que vão desde o grunge de Pearl Jam aos melódicos violões de artistas regionais como Geraldo Rocca e Almir Sater.

Ao longo das apresentações, canções de bandas e artistas como U2, Ben Harper, Foo Fighters, Goo Goo Dolls e Maroon 5 se misturam às de consagrados artistas nacionais, como Papas da Língua, Cássia Eller, Nando Reis, Armandinho, Jota Quest e Skank, entre outros.

Rockfeller

Sua origem aponta para uma das mais conceituais bandas de rock do Estado, o Medarock. Ainda em 1994, remanescentes do antigo grupo juntam-se a dois jovens músicos. Assim nascia o The Rockfeller. Com Alex Cavalheri, nos teclados, Luís Henrique no contrabaixo, Rodrigo Tosetti nos vocais, Marcio Armoa na guitarra e Zé na bateria, a banda teve como primeiro compromisso a abertura do show da antiga Blues Band. De um repertório de apenas 5 músicas, ampliou-se para 50. Após alguns meses, Rodrigo Tosetti resolve deixar a banda e entrar para o Bando do Velho Jack. Com seu vocal único e performático, Paulo Afonso, seguidor da banda, ganhou, a simpatia dos integrantes e público.

Depois de quatro anos de atividade, a banda resolve dar uma parada, voltando a ativa somente em janeiro de 2001. Mais experientes, os músicos mergulham no estilo que sempre marcou suas apresentações: o Rock Progressivo. No final de 2002 o baterista Zé Antônio sai e em seu lugar é recrutado Alex Kundera.

Após 10 anos de existência, a banda começa a apresentar seus trabalhos próprios, que ficavam somente reservados aos ensaios e festivais. O grande catalisador foi o convite para a coletânea Bonustrack. "Tudo o que eu não precisava", uma legítima composição de rock progressivo de 7 minutos é a escolhida para mostrar a essência The Rockfeller no álbum.

Essa essência foi levada ao show de lançamento do álbum, no teatro Aracy Balabanian. Além dessa, "Espelhos", "Meus amigos me fizeram uma linda canção" e "Viagem ao nada" são apresentadas ao público junto ao um "pequeno medley" de 25 minutos com sucessos que influenciaram a The Rockfeller. Esta apresentação transformou-se no álbum "Ao vivo no Bônus", um marco para a banda, que aposta tudo no som autoral único.

A Concha Acústica Helena Meirelles fica no Parque das Nações Indígenas, na Rua Antonio Maria Coelho, nº 6000. Outras informações pelo telefone (67) 3314-2031. A entrada para os shows é franca. Outras informações pelo telefone (67) 3314-2031

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cultura
Sesc Morada tem samba, pop, forró e show de Patrícia e Adriana
Cultura
Festa do Milho acontece no próximo sábado em Jateí
Cultura
Filme em homenagem a Nietzsche nesta segunda, no MIS
Cultura
Festa do Queijo atrai milhares para Rochedinho
Cultura
Comunidade Tia Eva inicia comemorações do centenário
Cultura
Cine Café apresenta “O Cavalo de Turim”, na segunda-feira
Cultura
Festa do Queijo movimenta Rochedinho neste sábado
Cultura
Maria Gadú participará de sarau em Campo Grande
Cultura
Capital recebe integrantes da Legião Urbana e Rodrigo Santos, eterno Barão Vermelho
Cultura
Campo-grandense lança livro de fantasia científica mirando mercado global

Mais Lidas

Polícia
Travesti é encontrada morta na madrugada deste domingo
Cidade
Inscrições para sorteio de apartamentos na capital encerram terça-feira
Polícia
Troca de tiros termina com homem morto e PM ferido
Educação
Estão abertas as Inscrições para o Encceja