Menu
Busca segunda, 03 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Esportes

'Chuva de cocô' poderá atrasar obras do Maracanã

10 novembro 2012 - 12h43Débora Agualuza/Divulgação

Deputados vão tentar anular na Justiça a audiência pública sobre a licitação para gestão e reforma do Complexo do Maracanã feita quinta-feira sob protesto de atletas, estudantes e indígenas.

Grupos contrários à demolição do Estádio de Atletismo Célio de Barros, do Parque Aquático Júlio Delamare, do Museu do Índio e da Escola Municipal Friedenreich impediram o debate entre governo e representantes da sociedade civil.

“Vamos recorrer ao Ministério Público segunda para que nova audiência seja marcada”, disse a deputada estadual Clarissa Garotinho (PR), que sugeriu ao governo fazer plebiscito para a população decidir o futuro das instalações.

Banana, papel, ovo e cocô
Na audiência, seguranças abriram guarda-chuva para proteger secretários de estado de cascas de banana, bolinhas de papel e até sacos de cocô.

Mesmo sem conseguir falar, o secretário da Casa Civil, Regis Fichtner, que foi atingido por ovo, deu a audiência por encerrada: “Cumprimos a etapa prevista em lei. Vamos lançar o edital”.

Nesta sexta-feira, índios e estudantes fecharam pista da Radial Oeste. “Não vamos deixar que apaguem nossa memória”, disse o cacique José Guajajara Urutau.

Segundo Fichtner, o edital para a concessão por 35 anos do Maracanã à iniciativa privada sai em dez dias úteis. A empresa vencedora terá que investir R$ 469 milhões no complexo que terá estacionamentos e restaurantes.

Nova sede da escola precisa ser adaptada
A Secretaria Municipal de Educação informou que os alunos da Escola Municipal Friedenreich só serão transferidos quando o prédio da antiga escola de veterinária do Exército, em São Cristóvão, estiver totalmente adaptado para receber a unidade.

Na nota, a secretaria garante que toda a estrutura pedagógica, a direção e professores serão mantidos, “sem qualquer prejuízo para a qualidade do ensino”.

Oito mil atletas sem destino
O destino dos oito mil atletas que usam as instalações do Estádio Célio de Barros e do Parque Aquático Júlio Delamare ainda é incerto. O Governo do Estado afirmou que a transferência de todos os esportistas só será definida após a divulgação do edital de concessão.

A Federação de Atletismo do Estado do Rio (Farj) lamentou, em nota, a derrubada dos estádios históricos. “Sugere um desperdício econômico e a insensibilidade com a memória esportiva do país”, critica o texto.

Via O Dia
 

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Campo-grandense vira “herói” da classificação corintiana para final
Esportes
Jorge Jesus será anunciado oficialmente no Benfica nesta segunda
Esportes
Comentarista de futebol emite comentário racista contra jogador do Santos
Esportes
Clube perde único patrocinador após contratar Bruno
Esportes
Jogos entre quarta e quinta definem semifinalistas do Paulistão
Esportes
F1 cancela GP Brasil no Autódromo de Interlagos devido ao coronavírus
Esportes
“Jesus foi o homem certo no momento certo no Flamengo”, diz ex-jogador Rivaldo
Esportes
CBF divulga tabela completa do Brasileirão 2020; confira
Esportes
Timão x Palmeiras? Quem leva a melhor no duelo sem público hoje
Esportes
Coronavírus: Bola de Ouro é cancelado pela primeira vez desde 1956

Mais Lidas

Geral
Thiago Bueno foi encontrado e está bem, confirma esposa
Geral
Três jovens mortos em acidente na BR-277 seguiam para grupo de oração
Dois deles eram casados e tinham deixado a filha deles, uma bebê, na casa da avó materna
Saúde
Delcídio recebe alta seis dias após segunda internação
Polícia
Homem mata amigo após confundi-lo com javali durante caça