Menu
Busca sábado, 15 de maio de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - maio21
Geral

MS vai receber 164,7 mil para aparelhamento da saúde materno-infantil no sistema penitenciário

23 julho 2012 - 09h35Keila de Oliveira

Mato Grosso do Sul será um dos 17 estados contemplados com recursos do Ministério da Justiça, por meio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) para estruturar os serviços de assistência às mulheres encarceradas que estejam gestantes ou que deram à luz recentemente, e aos seus filhos recém-nascidos.

Conforme projeto elaborado pela equipe da Divisão de Saúde da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), MS receberá do Depen o valor R$ 164.794,00, e outros R$ 15.546,00 deverão ser investidos pelo governo estadual, para o aparelhamento de seis presídios femininos de regime fechado, nas cidades de Campo Grande, Corumbá, Jateí, Rio Brilhante, Três Lagoas e Ponta Porã.

Segundo a chefe da Divisão de Saúde da Agepen, Maria de Lourdes Delgado Alves, o apoio financeiro se destina à aquisição de materiais permanentes como: itens para primeiros cuidados na assistência à saúde de mulheres e crianças; módulos assistenciais para saúde bucal; kits de urgência e emergência; equipamentos que possibilitem a realização de coletas de materiais, exames básicos e ginecológicos; móveis para berçário, e itens para compor um ambiente necessário ao acolhimento, à integração familiar e ao cuidado das crianças e mães que estão no sistema prisional.

O objetivo da ação é criar mais condições favoráveis para a oferta da atenção primária à saúde de gestantes, parturientes, nutrizes e crianças que, em função do encarceramento e da singularidade da sua condição de saúde e psicossocial, carecem de tais serviços específicos.

Lourdes destaca que esse aparelhamento da assistência materno-infantil nos presídios irá aprimorar os atendimentos que já são prestados no estado por meio dos programas do Sistema Único de Saúde (SUS), como o “Rede Cegonha”. “Mato Grosso do Sul já é referência nesse tipo de atendimento, mas com essa estruturação poderemos prestar uma assistência com mais qualidade, sendo mais célere e efetiva”, comenta.

A chefe da Divisão de Saúde salienta que, além da melhoria no atendimento à saúde das detentas e dos bebês, o investimento irá refletir diretamente nas ações de segurança, pois, com um melhor atendimento básico, haverá diminuição nas saídas de presas para atendimentos médicos de média e alta complexidade, reduzindo, assim, a utilização da Escolta de Saúde da Polícia Militar.

Pelo projeto, todos os equipamentos já deverão ter sido comprados e estar em pleno funcionamento até, no máximo, 30 de junho do ano que vem.

Via Notícias MS

Girafa

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Mãe de Henry continuará em cela isolada, ela alega "temer pela vida"
Saúde
Covid-19: Governo compra 100 milhões de doses da vacina da Pfizer
Geral
AO VIVO: Busca pela segunda dose é baixa nesta sexta
Brasil
Depois de 16 anos na Record, jornalista Carla Cecato é demitida por e-mail
Brasil
Maioria do STF vota a favor da obrigação do governo de realizar Censo em 2022
Geral
Cancelamento: passageiros reclamam e motoristas justificam
Geral
Juliette não renova com a Globo e pode aceitar outras propostas
Saúde
Novo lote com 13 mil doses chegou hoje em MS
Saúde
Butantan entrega 1,1 milhão de doses e paralisa produção de vacinas
Geral
Consórcio Brasil Central autoriza importação da vacina Sputnik V

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio