Menu
Busca quinta, 22 de agosto de 2019
(67) 99647-9098
Política

Barbosinha critica a política de investimentos Federal no MS

O deputado falou sobre a faixa de fronteira que é de 1.517 km com Paraguai e Bolívia

06 junho 2019 - 14h35Mauro Silva, com informações da assessoria

O deputado estadual Barbosinha (DEM-MS) criticou a política de investimento por parte do governo federal na segurança pública de Mato Grosso do Sul. A declaração do parlamentar foi feita durante sessão de quarta-feira (5) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (AL-MS).

O deputado destacou principalmente os investimentos na faixa de fronteira que, em MS, se estende por 1.517 km com o Paraguai e a Bolívia. "É uma política em completo desequilíbrio. A União se comporta como se o problema relacionado à fronteira e aos pertinentes às drogas, não fosse de competência dela”, criticou.

“Historicamente temos fronteiras abandonadas, sem investimentos por parte do governo federal. Essa responsabilidade tem que ser compartilhada e não pode ser atribuída exclusivamente aos estados", acrescentou.

Na avaliação do parlamentar a segurança pública não pode ser discutida apenas no reconhecimento do combate ao crime ou aumento e diminuição de pena. De acordo com o deputado é preciso ter uma política pública eficiente em que se construa novos presídios e trabalhe a recuperação e ressocialização dos apenados.

Outro ponto levantado por Barbosinha foi sobre o convênio firmado entre a União, por intermédio da Polícia Federal, e Mato Grosso do Sul, através da Sejusp, que tem por objeto a cooperação do Estado na execução dos serviços de prevenção e repressão aos crimes de tráfico ilícito. O acordo vencerá no dia 27 de julho deste ano.

"O governo estadual já notificou o Ministério da Justiça para que ocorra uma nova pactuação sob pena de o Estado, ao não ter esse convênio renovado, atribuir esta responsabilidade exclusivamente as forças federais, a quem, constitucionalmentem compete o combate e repressão às drogas", explicou.

Dados

Ao apresentar dados fornecidos pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública, o deputado Barbosinha disse que entre 2015 e maio de 2019 as forças policiais estaduais já apreenderam mais de 1.462 milhão de quilos de drogas. Em decorrência do volume de apreensões o estado possui cerca de 7.300 presos, ou seja, 40% da população carcerária, oriundas do crime transnacional do tráfico internacional. Atualmente o custo anual com estes presos é de R$ 133 milhões que saem exclusivamente dos cofres estaduais.

"É uma completa omissão do governo federal, como se esse problema efetivamente não existisse", ponderou.

O parlamentar lembrou também que os custos do tráfico, ao Estado, não param por aí. Após as apreensões, custo dos inquéritos e processos, análise dos materiais apreendidos em laboratórios de perícias, guarda dos bens e drogas apreendidas, são acrescidos às despesas finais.

Prefeitura - Niver CG

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Títulos de cidadão campo-grandense serão entregues em evento nesta quarta
Política
Reunião sobre Biomecânica reúne autoridades internacionais na capital
Política
Caixa anuncia financiamento habitacional corrigido
Política
Simone defende reformas com justiça social
Política
Haddad e “Caravana Lula Livre”, cancelam visita à Campo Grande
Política
Para Rogério Marinho, reforma pode recuperar confiança na economia
Política
Reforma “em construção há 25 anos” é necessária, diz ex-ministro
Política
Locadoras que utilizam veículos de outros estados podem ser penalizadas
Política
Simone prevê mudanças no texto da Reforma até o final de agosto
Política
Frente de combate à depressão e ao suicídio será lançada na Assembleia

Mais Lidas

Brasil
Policial passa mal e morre no dia que soube que seria pai
Polícia
Vídeo - Helicóptero da PRF cai e piloto fica ferido
Geral
Com salário de até R$ 2,6 mil prefeitura abre seleção para assistência social
Polícia
Após invadir escola, adolescente ataca alunos com golpes de machado