Menu
Busca sexta, 17 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
Gov - Estado que Cresce (set21)
Política

CPI do Cachoeira vai quebrar sigilos bancário e telefônico da Delta em MS

18 maio 2012 - 11h07Reprodução

A CPI do Cachoeira, que investiga a Construtora Delta e as ligações do contraventor Carlinhos Cachoeira com políticos e empresários, determinou a quebra de sigilos bancário, fiscal e telefônico da empresa nas filiais de Mato Grosso do Sul, Tocantins, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal.

Conforme o jornal O Estado de São Paulo, foi poupada a matriz da Delta, que está em processo de negociação de venda para o grupo J&F Participações, o proprietário da empreiteira, Fernando Cavendish, e os governadores de Estado. Foram convocados 51 parentes e pessoas ligadas ao esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira.

A CPI aprovou a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico do ex-diretor da Delta, Cláudio Abreu, que atuava na região Centro-Oeste. O diretor seria o elo da Delta com Cachoeira. Cláudio está preso vai depor na comissão no próximo dia 29.

Mato Grosso do Sul
Nos últimos anos, a Delta firmou contratos de R$ 164 milhões com o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). Conforme relatório divulgado pela CGU (Controladoria-Geral da União), as obras são nas rodovias 158, 262, 267, 163. Já o governo do Estado teve dois contratos com a empresa, no valor de R$ 51 milhões.

A Construtora Delta ainda recebeu R$ 27,8 milhões de emendas parlamentares de políticos do Estado.O valor corresponde a 48 emendas que a União empenhou para as obras, tocadas pelo Dnit. Ontem, a Delta Construções foi confirmada como vencedora da licitação para obras na BR-163, no valor de R$ 30 milhões.

A licitação tinha valor máximo de R$ 35 milhões. No dia 15 de março, a Delta venceu, com proposta de R$ 30,9 milhões. A empreiteira apresentou a terceira melhor proposta, mas as outras duas empresas foram desclassificadas por não atenderem critérios do edital.

A obra faz parte do Crema 1ª etapa (programa de recuperação das estradas federais). O prazo de execução é de 720 dias.

Laranja
Conforme denúncias, um dos laranjas da Delta, no esquema com Cachoeira, mora em Dourados. A empreiteira é suspeita de montar uma rede para lavar dinheiro numa triangulação com outra construtora, a Alberto e Pantoja Construções e Transporte Ltda.

Dentre os principais destinatários do dinheiro do esquema está Pedro Batistoti Júnior, tecnólogo e ex-funcionário da Delta no Estado. Laudos da PF atestam que ele teria recebido R$ 300 mil. Ele nega a acusação.

Via Campograndenews

Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Vídeos
Vídeo: Ministro da saúde elogia Campo Grande
Política
Vídeo: Tereza Cristina destaca inovação e tecnologia do agro brasileiro na Itália
Política
Kemp fecha acordo e se retrata nas redes sociais
Política
CPI da Covid: Diretor de empresa acusada de prescrever 'kit Covid' depõe nesta quinta
Política
Ministro Dias Toffoli participará de evento no TRE-MS na sexta
Política
Ex-mulher de Bolsonaro é convocada a depor na CPI da Pandemia
Política
Ministro defende aumento "modesto e moderado" para Bolsa Família
Política
Justiça autoriza condução coercitiva de depoente na CPI da Pandemia
Política
Ranking Pesquisas mostra avaliação do Governo MS em Dourados
Política
Para Temer, "presidencialismo no Brasil está esfarrapado"

Mais Lidas

Geral
Vídeo: "Onda onda, olha a onda", Brasil pode ser atingido por tsunami
Geral
Esacheu perde eleição para Jary Castro na Santa Casa
Polícia
Pedreiro morre ao cair do segundo andar de obra no Alphaville 4
Polícia
Vídeo: Homem é flagrado “encoxando” mulher em coletivo na Capital