Menu
Busca quinta, 05 de dezembro de 2019
(67) 99647-9098
Saúde

Agepen realiza testes para detecção de doenças infectocontagiosas

Além da Máxima e do semiaberto feminino da capital, reeducandos dos três presídios de Ponta Porã também serão atendidos

04 dezembro 2018 - 15h56Da Redação com Assessoria

Com o objetivo de prevenir a disseminação de doenças infectocontagiosas, testes rápidos para detecção de HIV, sífilis e hepatites B e C estão sendo aplicados, esta semana, em internos da Penitenciária de Segurança Máxima e do Estabelecimento Penal Feminino de Regime Semiaberto de Campo Grande. O mutirão integra um trabalho conjunto entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Ministério da Saúde, Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e Secretaria de Estado de Saúde (SES).

A aplicação dos exames aconteceu na unidade semiaberta feminina, nessa segunda-feira (3) e segue até sexta-feira (7) na penitenciária masculina. Os trabalhos são uma continuidade ao mutirão realizado no Instituto Penal de Campo Grande e no Estabelecimento Penal Feminino Irmã Irma Zorzi, em julho deste ano.

Paralelamente a esses trabalhos, em outra frente, também estão sendo aplicados testes rápidos no Presídio de Trânsito e Centro de Triagem, através do Módulo de Saúde da Agepen, com o apoio da Sociedade de Infectologia de Mato Grosso do Sul e das secretarias Estadual e Municipal de Saúde.

De acordo com a chefe da Divisão de Saúde da Agepen, Maria de Lourdes Delgado Alves, além da Máxima e do semiaberto feminino da Capital, reeducandos dos três presídios de Ponta Porã também serão atendidos pelo mutirão federal. “Lá, a aplicação dos testes rápidos está programada para a próxima semana”, informa.

Após a realização dos exames e elaboração de relatórios, as equipes de saúde retornarão às unidades prisionais envolvidas para procederem as notificações e encaminhamentos devidos. A meta é que sejam atendidos cerca de 3.800 custodiados nos cinco presídios.

Segundo o coordenador substituto de Saúde do Depen, Kléber Carlos Morais, a aplicação de testes rápidos será realizada após a sensibilização e conscientização dos internos referente à ação. “Nossa meta é atender 100% dos custodiados dessas unidades penais e, em caso de resultados positivos, serão feitos o aconselhamento e os encaminhamentos necessários para o devido tratamento por meio da equipe do médico infectologista Maurício Pompilio, juntamente com um profissional do Ministério da Saúde”, explica.

Além de fornecer mais de 13 mil testes rápidos, o Ministério da Saúde também realizará o acompanhamento dos resultados e os encaminhamentos que deverão ser feitos. Em casos positivos, é necessária a realização de exames complementares. Os servidores penitenciários das três unidades também terão a oportunidade de participar da ação.

Para o diretor da Penitenciária de Segurança Máxima, Paulo Godoy, essa parceria entre a Agepen e o Depen tem impacto extremamente positivo em complementação às ações já desenvolvidas pelo setor de saúde da unidade. “Possibilita que tenhamos um mapeamento das doenças infectocontagiosas e com isso possamos realizar um trabalho preventivo visando à promoção da saúde dos internos da unidade prisional”, comenta. 

Já a diretora da unidade semiaberta feminina (em substituição legal), Cleide Nascimento, a ação foi de grande valia para a rotina do local, já que reduz também a necessidade  de encaminhamentos para unidades básicas de saúde fora do presídio, facilitando o acesso de todas aos exames..”Quando diagnosticadas essas doenças precocemente inicia-se assim um tratamento para evitar complicações futuras”, enfatiza.

Caarapó

No Estabelecimento Penal de Caarapó um mutirão promovido pela Agepen em parceria com a Secretaria de Saúde do Município, nesta terça-feira (4), também está realizando junto aos detentos a coleta de amostras para a detecção de HIV, sífilis e hepatites, e posterior encaminhamento para tratamento, nos casos necessários. Além disso, os reeducandos também receberam exames de PSA para detecção precocemente de casos de câncer de próstata  e outras condições, como a hiperplasia prostática benigna e a prostatite.

De acordo com a direção da unidade prisional, a meta é atender a todos os 68 internos do local. “Esse tipo de medida, além de ser positivo para o custodiado, já que permite que ele seja encaminhado ao tratamento adequado, também é bom para a segurança no trabalho dos agentes’, avalia o diretor do presídio,  José Hauber.

O diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, destaca que a atenção à saúde da população carcerária em Mato Grosso do Sul é constante, prova disso são as inúmeras ações desenvolvidas. “Além de mutirões e inclusão em todas às campanhas realizada com a população externa, temos inciativas específicas, como as de prevenção e combate à tuberculose”, finaliza.

As ações de saúde prisional em Mato Grosso do Sul são coordenadas pela Diretoria de Assistência Penitenciária, por meio da Divisão de Saúde da Agepen.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Dez pediatras atendem nesta manhã de quinta-feira
Saúde
ANS realiza campanha para sensibilizar sobre importância do parto normal
Saúde
Santa Casa inaugura novo CTI pediátrico
A inauguração acontecerá nesta quinta-feira (5), às 8h30
Saúde
Bolsonaro elogia aprovação de medicamentos à base da Cannabis
Saúde
Nove pediatras antenderão nesta manhã de quarta-feira
Saúde
Dez pediatras e 45 clínicos gerais atendem nesta manhã na capital
Saúde
Segundo governo e pesquisadores, vacina de HPV não tem problemas
Saúde
Capital conta com 22 pediatras e 41 clínicos nesta manhã de sábado
Saúde
Compra compartilhada de medicamentos garantirá agilidade aos pacientes
Saúde
Ministério da saúde faz campanha incentivando diagnóstico precoce do vírus HIV

Mais Lidas

Polícia
Baiano Zé de Lessa, líder da facção BDM, é morto pela polícia de MS
Polícia
Duas mulheres e uma adolescente são mortas a tiros
Polícia
Mulher é espancada ao cobrar dívida de funcionária de salão de beleza
Geral
Pague Menos faz promoção enganosa e é pega pelo Procon-MS