Menu
Menu
Busca quarta, 24 de julho de 2024
TJMS Jul24
Saúde

Mais de 1 milhão foram atendidos nas unidades de saúde da capital, em 2018

Levantamento revela que 70% dos atendimentos foram adultos e 30% pediátricos

03 janeiro 2019 - 17h33Da redação

De janeiro a novembro de 2018, as seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e quatro Centros Regionais de Saúde (CRSs) de Campo Grande registraram 1.063.566 atendimentos, segundo levantamento da Coordenadoria de Urgência e Emergência (CUR) da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau).

Se comparado ao mesmo período de 2017, quando foram registrados 1.030.982 atendimentos, percebe-se um crescimento de pouco mais de 32 mil. Confira no gráfico abaixo o comparativo mensal dos dois anos citados:

O levantamento ainda revela que o atendimento adulto representa mais de 70% do volume total, sendo menos de 30% pediátrico. O resultado também aponta número expressivo de pacientes atendidos nas unidades de urgência classificados como azul e verde, ou seja, de menor gravidade que, em tese, poderiam ter o caso resolvido na atenção básica, na prevenção de enfermidades. 60% dos atendimentos se encaixam nesta categoria.

Para o coordenador de urgência da Sesau, Yama Albuquerque Higa, esse é o reflexo da “urgencialização”. “O paciente tem por hábito procurar diretamente uma UPA e ou CRS, porque ele espera que lá seja atendido, tenha o problema resolvido e seja liberado. Porém, o uso correto dos aparelhos de saúde é extremamente importante.  Assim ele evita de chegar a uma unidade de urgência e ficar horas e horas para ser atendido, o que, consequentemente, gera desconforto e reclamação”, pondera. Para o coordenador, é importante que a população esteja sempre atenta à saúde, realizando exames com frequência e observando se sua saúde está em dia.

Classificação de risco

A classificação de risco é uma ferramenta utilizada nos serviços de urgência e emergência, que visa avaliar e identificar os pacientes que necessitam de atendimento prioritário, de acordo com a gravidade clínica, potencial de risco, agravos à saúde ou grau de sofrimento. Ou seja, trata-se da priorização do atendimento, após uma complexa avaliação do paciente, realizada por um profissional devidamente capacitado, do ponto de vista técnico e científico.

O coordenador explica que a ferramenta é importante para definir a prioridade do atendimento e dar uma melhor assistência ao paciente que naquele momento está mais necessitado.

Reportar Erro
Digix - Julho24

Deixe seu Comentário

Leia Também

Teste Covid-19
Saúde
Covid-19 em MS: após mais de um mês sem mortes, MS registra duas novas vítimas
Divulgação/ HRMS
Saúde
Hospital Regional terá 'Dia D' para cadastro de doadores de medula óssea
Pronto Atendimento Infantil está no Centro Regional de Saúde, localizado no Bairro Tiradentes
Saúde
Pronto Atendimento Infantil no Tiradentes tem atendido 100 crianças por dia
Ministério da Saúde
Saúde
Ministério da Saúde retoma obras em Mato Grosso do Sul
Ilustrativa
Cidade
Prefeitura de Campo Grande oferece R$ 250 mil para programa de castração de animais
O participante deve, obrigatoriamente, portar jaleco
Saúde
Prova do 'Revalida' para médicos ocorre neste fim de semana
Vacina contra a covid
Saúde
Shopping e mercado: veja onde se vacinar neste sábado na Capital
Hospital Regional de Mato Grosso do Sul
Saúde
Funsau convoca mais 20 enfermeiros para o Hospital Regional
Capital tem plantão de vacinação em shoppings no fim de semana
Saúde
Capital tem plantão de vacinação em shoppings no fim de semana
Teste de Covid-19
Saúde
Covid-19 em MS: sem mortes pela quarta semana, Estado tem queda nos casos

Mais Lidas

Cabo da PMMS é condenado por realizar "bicos" durante licença médica
Justiça
Cabo da PMMS é condenado por realizar "bicos" durante licença médica
Escola Sesi oferta 104 vagas de gratuidade integral na educação básica
Educação
Escola Sesi oferta 104 vagas de gratuidade integral na educação básica
Lulu Oliveira
Comportamento
Aos 41 anos, Lulu Oliveira representará MS no Miss Universo Brasil 2024
Sala de atendimento da DEPCA
Polícia
Adolescente é esfaqueado pela mãe e fica com as vísceras expostas na Capital