Menu
Busca quarta, 16 de junho de 2021
(67) 99647-9098
FIEMS - julho21
Saúde

Mamografias periódicas evitam mortes por câncer de mama, diz estudo

Segundo o levantamento, a redução da mortalidade foi de 47% em 20 anos

10 fevereiro 2019 - 17h16Agência Brasil

Um estudo sueco mostrou que mulheres com câncer de mama que faziam a mamografia periodicamente apresentaram redução de 60% na taxa de mortalidade – 10 anos após o diagnóstico – em comparação àquelas que não faziam o exame regularmente. Segundo o levantamento, a redução da mortalidade foi de 47% em 20 anos após o diagnóstico, usando a mesma base de comparação. 

O estudo, publicado por uma revista científica internacional, está sendo destacado pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) para lembrar o Dia da Mamografia, a ser comemorado amanhã (5). A entidade chama a atenção das mulheres para a necessidade de fazer o exame com frequência, já que a pesquisa indicou que as mulheres que fizeram o rastreamento tiveram a vantagem adicional da detecção precoce e receberam benefícios muito maiores, como terapias menos agressivas e menos mutiladoras.

“A diferença é atribuída à detecção precoce e ao tratamento em uma fase inicial da história natural do câncer de mama entre as mulheres que realizavam mamografia regularmente. Embora tenha sido dada muita atenção aos potenciais danos da participação de rastreamento mamográfico regular, pouca atenção foi dada aos danos de não participar do rastreamento regular”, disse o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), Antonio Frasson. 

Segundo Frasson, o maior dano por não fazer a mamografia regularmente é o aumento significativo do risco de morte, além de aumentar a possibilidade de a mulher ter um câncer de mama avançado, com necessidade de cirurgias mais extensas, com mais riscos e radioterapia e quimioterapia mais agressivas. 

"Essas mulheres experimentam efeitos físicos e cognitivos adversos significativos e duradouros. Para cada morte por câncer de mama evitada pelo rastreamento mamográfico, uma mulher será poupada dos estágios terminais da doença e ganhará uma média de 16,5 anos de vida”, explicou.

A SBM recomenda que a mamografia seja feita anualmente para as mulheres a partir dos 40 anos.

Vai di Vinho

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
"Não pedimos lockdown", diz Geraldo
Saúde
No 4º dia sem vacinas, Capital registra mais 30 mortes por Covid-19
Saúde
Vacina da gripe está disponível para profissionais de segurança
Saúde
Veja as UPAs que terão atendimento completo de clínicos e pediatras
Saúde
Anvisa autoriza importação excepcional da vacina Sputnik V para 7 estados
Saúde
“Não precisa que professores estejam vacinados”, diz Queiroga sobre aulas presenciais
Saúde
Na luta contra covid, MS transfere mais três pacientes para Rondônia
Saúde
Em 24 horas, mais 1.387 pessoas foram infectadas e 52 morreram de covid-19
Saúde
Nesta manhã, 14 pediatras e 46 clínicos atendem nas UPAs da capital
Saúde
Mais três pacientes covid são transferidos de MS por falta de leitos de UTI

Mais Lidas

Cidade
Foi selecionado? Prefeitura convoca 51 candidatos aprovados em seleção
Geral
Dois meses após vencer a Covid-19, médico ainda se recupera e agradece orações
Brasil
Polícia encontra corpo de ex-parceiro de dupla de Cristiano Araújo
Economia
Auxílio Emergencial: Governo antecipa pagamento da 3ª parcela; veja novas datas