Menu
Busca quarta, 22 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Saúde

“Para não interromper serviços”, Resende adota ação emergencial no HR

O decreto que institui o plano foi publicado hoje no Diário Oficial

28 fevereiro 2019 - 11h16Da redação

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Rezende, adotou ação emergencial para regularizar os estoques de medicamentos, de insumos e demais materiais necessários ao atendimento dos pacientes do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul.

O decreto que institui o plano emergencial para o hospital foi publicado nesta quinta-feira (28), no Diário Oficial. Rezende destaca que a medida irá tornar mais rápidos os procedimentos administrativos para a compra de medicamentos, insumos e materiais utilizados. “Desta forma, vamos regularizar os estoques desta unidade hospitalar que presta um serviço de alta qualidade em diversas especialidades”, disse.

Uma Comissão Especial de Trabalho composta por quatro membros titulares e quatro suplentes será formada com o intuito de dar celeridade a todos os procedimentos e aos fluxos administrativos necessários ao atendimento do plano emergencial. A comissão será composta por integrantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Fundação de Serviços de Saúde (Funsau), Secretaria de Estado de Administração (SAD) e Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz). Os integrantes da comissão deverão ser indicados no prazo de 48 horas a partir da publicação do decreto

Devido à urgência da situação apresentada, a comissão irá utilizar do procedimento de contratação direta de bens e de serviços indispensáveis à manutenção da prestação de serviços de saúde pelo HR-MS, por dispensa de licitação.

O diretor-presidente do Hospital Regional, Márcio Pereira, disse que a falta de medicamentos no hospital é um problema crônico. “Pelo fato de eu conhecer o hospital a muito tempo, é um problema que já conheço desde quando assumi o comando da unidade e entramos com o intuito de resolver o problema de imediato”, disse o diretor ao destacar que o problema se agravou quando alguns fornecedores deixaram de abastecer o hospital. Márcio disse ainda que o gasto com o abastecimento durante a ação emergencial que deve acontecer durante os próximos seis meses não vai passar do que o hospital gasta por mês na compra de medicamentos e insumos, que é aproximadamente R$ 6 milhões mensais.

Durante a implementação do Plano de Ação Emergencial, será produzido relatório bimestral com as ações e as medidas adotadas para normalizar os serviços de saúde no Hospital Regional.

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
No sábado, Santa Casa realizará exames gratuitos de prevenção ao glaucoma
Saúde
Oito pediatras atendem em duas UPAs nesta manhã de terça-feira
Polícia
Mulher se esfaqueia para separar briga entre filho e namorada
Saúde
Nove pediatras atendem nesta manhã na capital
Saúde
Outono pede cuidados especiais com a pele e cabelos
Saúde
Pesquisa aponta que 24% dos moradores de capitais são hipertensos
Saúde
Quatro UPAs têm pediatra nesta manhã de sábado
Saúde
“Baixa adesão a vacinação pode comprometer hospitais”, diz Mandetta
Saúde
Apenas UPA Coronel Antonino tem pediatra nesta manhã
Saúde
Frio espanta doadores de sangue; estoque de O- está em baixa

Mais Lidas

Polícia
Troca de tiros termina com homem morto e PM ferido
Educação
Estão abertas as Inscrições para o Encceja
Polícia
Guarda municipal responsável pelo transporte de arsenal é preso
Geral
Motociclista morre em acidente na BR-163