Menu
Busca segunda, 27 de janeiro de 2020
(67) 99647-9098
Perkal Topo - janeiro-20
Saúde

Segundo governo e pesquisadores, vacina de HPV não tem problemas

Mais de US$ 300 milhões foram gastos em todo o mundo para examinar a eficácia da vacina contra o HPV

01 dezembro 2019 - 09h46Marya Eduarda Lobo, com informações da Agência Brasil

O Ministério da Saúde defendeu o resultado da avaliação de uma equipe de médicos da Universidade de São Paulo (USP) sobre o caso de reações adversas a vacinas contra HPV em jovens no Acre. Segundo os profissionais, os pacientes tiveram uma crise “psicogênica”, e não um problema em decorrência da substância aplicada na imunização.

 Mais de 80 jovens apresentaram diversos sintomas após tomar a vacina, dando origem a suspeitas disseminadas em redes sociais.

A apresentação ocorreu nessa semana, em Rio Branco, e contou com a presença de representantes da Secretaria de Saúde, do Ministério Público e da Assembleia Legislativa do estado

Os sintomas teriam emergido em razão de um conjunto de fatores, desde o receio em relação à própria vacina até condições socioeconômicas. A crise se espraiou entre as pessoas da região.

O médico da USP, Renato Luiz Marchetti disse, ‘’ O fator estressante emocional é a vacinação. Não apenas o ato da vacinação, mas a crença compartilhada por aquele grupo de que a vacina pode ser perigosa. Essa apreensão provoca nas pessoas que já são vulneráveis o surgimento dos sintomas, que são agravados por estímulos que vão reforçando a ocorrência das crises’’.

A consultora da Organização Pan-americana de Saúde (Opas) Maria Teresa da Costa ressaltou que mais de US$ 300 milhões foram gastos em todo o mundo para examinar a eficácia da vacina contra o HPV, que atestaram o caráter seguro dela. Os eventos que ela pode produzir, acrescentou, são locais e de resolução espontânea, como dores, febre e mal estar localizados.

O representante do Ministério da Saúde no evento, Júlio Groda, reforçou a análise da equipe médica e criticou a suspeição sobre o diagnóstico. Ele lembrou que o órgão possui um canal para fornecer esclarecimentos sobre notícias falsas acerca de temas sobre saúde. O canal pode ser acessado tanto site quanto pelo Whatsapp, no número (61) 9 9289-4640.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Prefeitura entrega obra de revitalização da base do SAMU
Saúde
Sociedade Brasileira de Infectologia esclarece dúvidas sobre Coronavírus
Saúde
UPAs atendem com 41 médicos nesta manhã
Saúde
Vídeo - Veja mercado onde coronavírus teria se originado
Saúde
Anvisa transmite alerta sobre coronavírus em aeroportos brasileiros
Saúde
Sábado conta com 22 pediatras e 45 clínicos atendendo pela manhã
Saúde
Fumacê contra a dengue começa a passar por bairros da Capital
Saúde
Software para diagnosticar melanoma é desenvolvido por pesquisadores
Saúde
Prefeitura inicia combate a escorpião em áreas de risco
Saúde
Ministério da Saúde descarta suspeita de coronavírus no Brasil

Mais Lidas

Polícia
"Morri, porque matei inocentes", dizia bilhete encontrado com jovem executado
Geral
Banco do Brasil cria contas para doações a vítimas de enchentes
Geral
LinkedIn, Facebook, Instagram e Tinder; entenda como a “modinha” começou
Economia
Longen defende aproximação de MS com os EUA durante reunião com cônsul