Menu
Busca sexta, 18 de junho de 2021
(67) 99647-9098
FIEMS - julho21
Agronegócio

Começa segunda fase da campanha contra febre aftosa em MS

Meta é de imunização de oito milhões de bovinos e bubalinos

02 novembro 2018 - 09h44Da Redação com Assessoria

O Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro) e da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), deu início nesta quinta-feira (1º),  à segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa em Mato Grosso do Sul.

A meta é vacinar cerca de oito milhões de bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade nas regiões do Planalto e de Fronteira e na do Pantanal, de mamando a caducando, para os produtores que optaram pela vacinação somente em novembro.

As vacinas devem ser adquiridas e aplicadas entre os dias 1º e 30 de novembro nas regiões de Fronteira e do Planalto e o registro deve ser realizado até 15 de dezembro. Já na região do Pantanal as vacinas devem ser aplicadas até 15 de dezembro e o registro até dia 30 de dezembro.

Nas três regiões, o registro da vacinação deve ser realizado diretamente pelo produtor no site da Iagro, ou em casos específicos, e a critério da Iagro, em seus escritórios locais.

REGIÃO VACINAÇÃO REGISTRO  
Fronteira 1/11 a 30/11 01/11 a 15/12 Animais até 24 meses
Planalto 1/11 a 30/11  01/11 a 15/12 Animais até 24 meses
Pantanal  1/11 a 15/12  01/11 a 30/12 Todo o rebanho

O diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, observa que nas três regiões, os animais destinados ao abate poderão transitar sem a vacinação da etapa vigente até o registro da CT-13 da propriedade, após este prazo todos deverão estar vacinados. Para maiores esclarecimentos a Agência dispõe do Disk Aftosa: 0800 67 9120.

Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA)

Mato Grosso do Sul, que tem se mantido entre os três estados com melhor percentual de cobertura vacinal do País, e é destaque no Brasil pela excelência do serviço oficial de defesa agropecuária, vem trabalhando com afinco na agenda do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa) que prevê a retirada definitiva da vacinação até 2023.

O programa está alinhado com o Código Sanitário para os Animais Terrestres, da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), e as diretrizes do Programa Hemisférico de Erradicação da Febre Aftosa (Phefa), em prol também da erradicação da doença na América do Sul.

Blocos

Para execução do Pnefa, os Estados foram divididos em cinco blocos pecuários para que seja feita a transição de área livre da aftosa com vacinação para sem vacinação. Integram:

Bloco I: Acre e Rondônia;
Bloco II: Amazonas, Amapá, Pará e Roraima;
Bloco III: Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte;
Bloco IV: Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Sergipe e Tocantins;
Bloco V: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Vai di Vinho

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agronegócio
Em doze meses, preço pago pelo litro do leite ao produtor de MS aumenta 28%
Agronegócio
AO VIVO - Acompanhe a agenda de Bolsonaro em MS
Agronegócio
Exportações crescem e MS acumula US$ 1,213 bi em balança comercial

Mais Lidas

Polícia
Tio engravida sobrinha de 13 anos e tia tenta fazer aborto, mas criança nasce
Geral
Ciclista morre ao ser atropelado voltando do serviço
Geral
Agente penitenciário é mais uma vítima da Covid-19 na capital
Polícia
Pastor preso por estupro de adolescentes, já foi detido por violência doméstica