Menu
Busca quinta, 13 de maio de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - maio21
Agronegócio

Planos para o agro são debatidos com futura ministra Tereza Cristina

Foram debatidas as principais pautas para o desenvolvimento e fortalecimento do agro nos próximos anos

14 novembro 2018 - 13h11Da redação com assessoria

Integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) estiveram reunidos com Tereza Cristina (DEM-MS), ministra indicada para a nova gestão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O encontro foi realizado na terça-feira (13), com a presença de 28 parlamentares, além de representantes de entidades do setor produtivo nacional e teve o intuito de discutir sobre o setor.

A reunião presidida pela deputada federal, que é líder da FPA, foi marcada pelo debate das principais pautas. Para a nova ministra, uma política transversal e que alinhe áreas afins à agricultura – que hoje estão dispersas em outros ministérios e secretarias de governo – é uma das principais mudanças a serem feitas.

Pesca, agricultura familiar, irrigação e florestas plantadas são algumas dessas áreas que necessitam de uma gestão totalmente integrada ao Mapa, segundo a presidente da FPA, Tereza Cristina. A ideia é estudar a viabilidade de incorporar esses setores no Mapa. 

Licenciamento ambiental, Lei Kandir, crédito rural, direito de propriedade, segurança no campo, preservação ambiental aliada à produção agropecuária, infraestrutura e logística, defesa sanitária, política externa, além da abertura de mercado e licenciamento ambiental rápido e novos investimentos, também são temas primordiais para o setor produtivo brasileiro, e para o país.

No caso dos pequenos agricultores, Tereza Cristina afirmou que o foco é desenvolver a produção. “É um setor que precisa muito ser desenvolvido. A gente quer que esse segmento produza, tenha renda, que melhore e cresça”, afirmou a nova ministra do Mapa.

Para o vice-presidente da FPA, deputado Alceu Moreira (MDB/RS), é necessário ter uma câmara permanente e dinâmica para discutir temas que visem a evolução do setor agropecuário. “Precisamos descontruir modelos organizacionais que não possuam uma política integrada. Precisamos estabelecer prioridades, discutindo cada detalhe do processo. As pautas precisam ter gestão de tarefa, tempo e resultado”, disse Moreira.

O vice-presidente afirmou ainda que uma política de ocupação territorial no Brasil será uma das pautas prioritárias de sua gestão e que não haverá mais essa disputa de agricultura versus meio ambiente. 

 

Girafa

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agronegócio
Exportações crescem e MS acumula US$ 1,213 bi em balança comercial

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio