Menu
Busca domingo, 26 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
Gov - Estado que Cresce (set21)
Agronegócio

Planos para o agro são debatidos com futura ministra Tereza Cristina

Foram debatidas as principais pautas para o desenvolvimento e fortalecimento do agro nos próximos anos

14 novembro 2018 - 13h11Da redação com assessoria

Integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) estiveram reunidos com Tereza Cristina (DEM-MS), ministra indicada para a nova gestão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O encontro foi realizado na terça-feira (13), com a presença de 28 parlamentares, além de representantes de entidades do setor produtivo nacional e teve o intuito de discutir sobre o setor.

A reunião presidida pela deputada federal, que é líder da FPA, foi marcada pelo debate das principais pautas. Para a nova ministra, uma política transversal e que alinhe áreas afins à agricultura – que hoje estão dispersas em outros ministérios e secretarias de governo – é uma das principais mudanças a serem feitas.

Pesca, agricultura familiar, irrigação e florestas plantadas são algumas dessas áreas que necessitam de uma gestão totalmente integrada ao Mapa, segundo a presidente da FPA, Tereza Cristina. A ideia é estudar a viabilidade de incorporar esses setores no Mapa. 

Licenciamento ambiental, Lei Kandir, crédito rural, direito de propriedade, segurança no campo, preservação ambiental aliada à produção agropecuária, infraestrutura e logística, defesa sanitária, política externa, além da abertura de mercado e licenciamento ambiental rápido e novos investimentos, também são temas primordiais para o setor produtivo brasileiro, e para o país.

No caso dos pequenos agricultores, Tereza Cristina afirmou que o foco é desenvolver a produção. “É um setor que precisa muito ser desenvolvido. A gente quer que esse segmento produza, tenha renda, que melhore e cresça”, afirmou a nova ministra do Mapa.

Para o vice-presidente da FPA, deputado Alceu Moreira (MDB/RS), é necessário ter uma câmara permanente e dinâmica para discutir temas que visem a evolução do setor agropecuário. “Precisamos descontruir modelos organizacionais que não possuam uma política integrada. Precisamos estabelecer prioridades, discutindo cada detalhe do processo. As pautas precisam ter gestão de tarefa, tempo e resultado”, disse Moreira.

O vice-presidente afirmou ainda que uma política de ocupação territorial no Brasil será uma das pautas prioritárias de sua gestão e que não haverá mais essa disputa de agricultura versus meio ambiente. 

 

Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agronegócio
Ciência deve ser acessível a todos os países, diz ministra Tereza Cristina
Política
Vídeo: Tereza Cristina destaca inovação e tecnologia do agro brasileiro na Itália
Agronegócio
Em 11 anos, agro de MS injetou R$ 12 bilhões em áreas agrícolas
Agronegócio
Casos atípicos de "vaca louca" podem impactar exportações de carne do MS
Agronegócio
Tereza Cristina é a nova presidente da Junta Interamericana de Agricultura
Agronegócio
Marcelo Bertoni assume Famasul e ressalta "qualificação"
Agronegócio
Nero no Cerrado: arrendatário é multado em R$ 97 mil por incêndio em pastagem
Agronegócio
Governo de MS consolida normas para segurança de Barragens no estado
Agronegócio
Feira Segura do Senar gerou mais de R$ 40 mil para produtores rurais
Agronegócio
Agricultura familiar terá auxílio

Mais Lidas

Brasil
Após cancelamentos constantes, Uber excluí motoristas; Veja a situação na Capital
Geral
Amigos do Parque: Pista estará aberta para receber a população hoje e amanhã
Brasil
Bolsa Família: Caixa lança nova versão de aplicativo
Saúde
Terceira dose para setor de saúde chega aos 40 anos