Menu
Busca quinta, 28 de janeiro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS Janeiro/21 juizado de transito
Esportes

Felipão vê méritos corintianos e evita falar sobre arbitragem

26 março 2012 - 11h58Fernando Borges/Terra

Enquanto os jogadores deixavam o gramado do Pacaembu lamentando o retorno apático para o segundo tempo do clássico deste domingo e a derrota por 2 a 1 para o Corinthians, Luiz Felipe Scolari preferiu deixar de lado o tom crítico. Reconhecendo as qualidades do adversário, que conseguiu reverter o placar em apenas seis minutos na etapa final, o treinador alviverde se recusou a fazer comentários sobre arbitragem e lembrou a "censura" por parte dos tribunais desportivos contra críticas feitas publicamente.

Mal se sentou na sala de entrevistas da equipe visitante no Pacaembu, Felipão foi questionado se compartilhava das críticas feitas pelos atletas palmeirenses. O meia Valdivia, por exemplo, disse que a equipe entrou "com sono" no segundo tempo, fator que teria sido decisivo para a virada corintiana, com gols de Paulinho aos 3min e Márcio Araújo (contra), aos 6min da etapa final.

"Seria demérito contra o Corinthians, que batalhou o jogo todo, teve um bom posicionamento e lutou pela virada. Não é normal o nosso time tomar os gols que tomou dessa forma (bola parada), então entendo que os atletas falem assim", ponderou Felipão. "Temos que estar preparados para isso. Não tiraremos os méritos deles", acrescentou.

Outro assunto sobre o qual Scolari foi questionado diversas vezes envolveu a arbitragem de Marcelo Rogério no clássico - especialmente sobre uma entrada dura do zagueiro Chicão sobre o atacante Hernán Barcos no primeiro tempo, punida com cartão amarelo, mas passível de expulsão segundo alguns. O treinador do Palmeiras, contudo, não alterou o conteúdo de seu discurso e se recusou a comentar a atuação do trio de mediadores da partida.

"Ah, eu não tenho nada a dizer sobre isso. Vocês já sabem que, se eu disser alguma coisa, recebo seis meses, um ano de suspensão, mais dois de cadeia... por isso não digo nada", esquivou-se o pentacampeão mundial, com um leve sorriso sob o bigode. "Quem tem que dizer, se quiser, são os nossos dirigentes. Não vamos ficar aqui achando desculpas para a derrota", repetiu.

Felipão foi novamente instigado a fazer comentários sobre a arbitragem quando interrogado sobre as dores sentidas por Barcos depois da falta cometida pelo corintiano. Quando perguntado por algum jornalista se a entrada de Chicão havia sido maldosa, o experiente treinador se esquivou. "Se foi ou não, não cabe a mim analisar", sintetizou.

Depois de perder a invencibilidade em 2012 e uma série de 22 jogos, que perdurava desde o ano passado, o Palmeiras volta a campo na próxima quarta-feira, pela 16ª rodada do Campeonato Paulista. A equipe alviverde vai a Jundiaí enfrentar o Paulista, às 22h (de Brasília).

Via Terra

senar janeiro21

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Corinthians tem surto de covid-19 antes do jogo contra o Bahia
Esportes
Zidane é diagnosticado com o novo covid-19, diz Real Madrid
Esportes
Futuro presidente da Federação de Tênis do MS depende de decisão judicial
Esportes
Inter vence São Paulo no Morumbi e volta à liderança do Brasileiro
Esportes
Verdão faz 4 a 0, humilha Corinthians e fica a 6 pontos do líder São Paulo
Esportes
Finalista da Libertadores, Santos duela com Botafogo em crise no Brasileiro
Esportes
COVID: Hernanes testa positivo e desfalca São Paulo contra Athletico
Esportes
Após nova condenação, Santos planeja rescisão de contrato com Robinho
Esportes
Palmeiras e Grêmio abrem hoje a 30ª rodada do Brasileirão
Esportes
O jogador Marcel Sabitzer tem contratação disputada por Arsenal e Tottenham

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio