Menu
Busca quarta, 23 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Aguas - super banner
Esportes

'Rei das viagens' na Copa, EUA ignoram distâncias e elogiam CT do São Paulo

15 janeiro 2014 - 11h05Via Terra
Não há seleção na Copa do Mundo de 2014 que terá que viajar mais na fase de grupos do que os Estados Unidos. A equipe americana faz sua estreia em Natal, segue para Manaus e viaja ao Recife para seu terceiro jogo. Isso totaliza um percurso de 5608 km pelas regiões Norte e Nordeste, e mesmo assim a preparação para o Mundial ocorrerá em São Paulo. Para Jurgen Klinsmann, não é problema.

O treinador dos Estados Unidos comanda desde essa terça-feira período de treinos no CT da Barra Funda, que pertence ao São Paulo, como forma de testar jogadores e acostumar elenco e comissão técnica com as peculiaridades do Brasil. Em entrevista após o primeiro treinamento, o técnico classificou os longos trajetos como um desafio a ser vencido.

"A viagem será um desafio. Teremos provavelmente o pior trajeto de todos os times, mas veremos como um desafio. Estamos muito orgulhosos de treinar em São Paulo, não podemos deixar essa oportunidade passar. Mas pensaremos em soluções. Talvez entre um jogo ou outro vamos ficar em outro lugar, vamos trabalhar nisso. Estamos acostumados a viajar longas distâncias, os jogadores americanos estão acostumados, mas ainda queremos minimizar os problemas com isso", explicou o alemão Klinsmann.

O treinador da equipe americana também minimizou a possibilidade de enfrentar altas temperaturas durante a primeira fase. "Não estamos com medo do calor. É sempre bom jogar no mesmo clima. Vai ser desafiante. Estaremos bem preparados, mas será difícil para os dois times. Os adversários terão as mesmas dificuldades. Jogamos na América Central com condições similares e estaremos preparados", avisou.

Klinsmann aproveitou ainda para elogiar a estrutura do São Paulo na Barra Funda e disse para que seus jogadores aproveitassem o fato de treinar em um CT pelo qual passaram grandes jogadores. "Estamos muito animados em treinar e ficar em um dos maiores clubes do mundo. Vim aqui um tempo atrás e tentei o máximo para que pudéssemos ficar aqui. Disse antes do treino para os jogadores que aproveitassem por treinar em um lugar em que passaram tantos grandes jogadores. Daqui a cinco meses vamos nos ver de novo e queremos jogar um grande futebol", afirmou.

O treinador dos Estados Unidos explicou que a escolha pelo CT são-paulino havia sido feita antes do sorteio, que definiu que a equipe jogaria longe da capital paulista. Entretanto, o comandante descartou uma mudança por conta da estrutura que encontrou em São Paulo.

"Não dá para esperar até a Copa para escolher seu CT, senão não acha bons. Cada seleção já tinha escolhido, mas para nós nunca teve a ver com o sorteio. Quando vim aqui há dois anos foi por conta de um seminário organizado pelo Carlos Alberto Parreira no Rio (Footecon). Vi instalações pelo Brasil inteiro e aqui era o melhor de todos. Estamos muito orgulhosos de estar aqui durante a Copa do Mundo. É nosso trabalho se adaptar", resumiu Klinsmann.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Esportes
Covid-19: com seis infectados, Flamengo encara Barcelona-EQU nesta terça
Esportes
Com uma novidade de Tite em convocação para início das Eliminatórias
Esportes
Em emendas parlamentares, esporte de MS recebe R$ 1,64 milhão
Esportes
Vídeo: Corinthians é recebido com protesto pela torcida no aeroporto
Esportes
Vídeo - Neymar é expulso por dar tapa em jogador que o chamou de "macaco"
Esportes
Projeto Amigos do Parque volta neste final de semana
Esportes
Moreninha lll ganhará pista de skate e quadra de areia
Esportes
Messi se reapresenta ao Barcelona após tentativa frustrada de saída
Esportes
São Paulo e Fluminense se enfrentam pelo Brasileirão neste domingo
Esportes
Brasileirão deste sábado tem Flamengo, Corinthians e Santos

Mais Lidas

Geral
Pastor Mauro terá cortejo fúnebre e enterro só para a família
Geral
Loubet, Patrícia & Adriana marcam retomada de eventos com público
Geral
Rudel do Detran, diz que novas regras de trânsito "reduzem burocracia"
Saúde
Santa Casa recorre ao CRM contra colapso