Menu
Busca sexta, 22 de março de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Questionado sobre corrupção, Cezário bloqueia jornal

Após suspeita de atos ilícitos na FFMS, deputado quer CPI para investigar a Federação

15 março 2019 - 16h33Marcos Tenório

A Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS) pode ser alvo de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), na Assembleia Legislativa. O pedido está sendo estudado pelo deputado estadual Evander Vendramini (PP).

Na sessão da última terça-feira (12), o parlamentar usou a tribuna e disse que é preciso apurar a destinação dos recursos públicos que são recebidos pela instituição. Em sua fala, o deputado relembrou os tempos gloriosos do futebol sul-mato-grossense e falou da decadência que o futebol no estado ficou. “Estádios vazios, clubes sem incentivo e jogadores desmotivados. Nos anos 80, o futebol sul-mato-grossense era destaque e, infelizmente, hoje o retrato é de abandono. A Federação Estadual sempre esteve na mão dos mesmos dirigentes, precisamos urgentemente reorganizá-la para retomar o crescimento e modernizar nossos clubes”, declarou.

O parlamentar defende uma investigação para apurar quais os valores recebidos do Estado pela Federação e como os recursos foram aplicados. Na sessão o deputado Cabo Almi (PT) concordou com a criação de uma CPI e fez um apelo para que o Governo do Estado interceda. “O Poder Executivo tem força para pedir aos empresários apoio aos clubes”.

Durante quatro dias, insistentemente, a reportagem do JD1 Notícias entrou em contato com o presidente da FFMS, Francisco Cezário de Oliveira, através de ligações e enviando mensagens pelo WhatsApp, mas até o momento não obteve respostas. 

Para o presidente Cezário, a reportagem perguntou via WhatsApp, “o que a FFMS recebe de recursos públicos e onde eles estão sendo aplicados?”; “O que a Federação te a dizer sobre uma possível CPI, que pode investigar a FFMS?”; “Quantos anos está à frente da FFMS?” e “O que é preciso ser feito para que o futebol do estado [MS] volte a brilhar como era nos anos 80?”.

Na tarde desta sexta-feira (15), foi constatado que o presidente bloqueou o número do WhatsApp do Jornal JD1 Notícias. Cezário não respondeu nenhuma pergunta feito pelo jornal.

Na imagem a baixo, é possível ver dois celulares abertos no WhatsApp do presidente da FFMS, o celular da esquerda é do jornal JD1 Notícia, nele é possível ver que a foto do perfil de Cezário não aparece. O celular da direita, de um funcionário do site, aparece a foto do perfil, nela, ele está sorrindo com dois amigos.


Sesc Novo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Agora é Lei: assistentes sociais vão trabalhar 30 horas semanais
Geral
Saúde do trabalhador de enfermagem será debatida em audiência
Geral
Trabalhadores protestam contra reforma da Previdência
Geral
Leroy Merlin é autuada por divergência de preços
Geral
Dengue hemorrágica mata garoto de 11 anos em Dourados
Esportes
Governador abre Fórum de Esporte em Campo Grande
Geral
Mulher compra linguiça e encontra surpresa desagradável
Geral
“Queremos respeitar a coletividade”, diz vereador sobre proibição do narguilé
Geral
Facebook expôs milhares de senhas de usuários à funcionários
Geral
Dois jacarés são capturados em área urbana de Coxim

Mais Lidas

Geral
Veja como se cadastrar para concorrer a sorteio de casas da Agehab
Polícia
Morre borracheiro que levou tiros nas costas, braço e rosto
Polícia
Mãe e pai são assassinados na frente dos filhos
Polícia
Homem leva tiros nas costas, braço e rosto em MS