Menu
Busca quinta, 17 de outubro de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Violência nos presídios aumentou 40% em dezembro, diz sindicato

Agentes penitenciários fazem manifestação e exigem mais segurança e aumento do efetivo

11 dezembro 2018 - 09h06Da redação

Os agentes penitenciários de Campo Grande fazem manifestação em frente a Penitenciária de Segurança Máxima na manhã desta terça-feira (11). O Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária (Sinsap) exige mais segurança para os servidores e aumento de efetivo. Para eles, a violência no ambiente de trabalho é cada vez maior e a prevenção deve ocorrer o quanto antes.

Ao JD1 Notícias, Andre Luiz Santhiago, presidente do Sinsap, disse que a rotina de trabalho dos servidores é a terceira mais perigosa do planeta, e que o setor de segurança pública deve planejar ações de prevenção e não após a ocorrência de violência. “Nós queremos a regulamentação do uso de armamento para a categoria, a fim de visar a própria segurança e aumento de efetivo dos agentes penitenciários e da própria polícia militar que faz a segurança das muralhas”, explicou. 

André Luiz também disse que no mês de dezembro a violência e ocorrências dentro do Presídio aumentam aproximadamente 40%, enquanto os servidores tem apenas o apito. Ele explica que devido ao aumento de visitas e movimentação no local o risco é ainda maior. Para ele, o estado deve garantir a segurança para o servidor, para o dentento e para a familiares que frequentam o ambiente.

“Na semana passada um dos presos confeccionou uma chave com uma lamina de marmitex, dois servidores foram pegos de surpresa e agredidos, é um dos problemas que afetam a rotina, fora o risco de motim e rebeliões que são constantes”, exemplificou o presidente do Sindicato.

O sindicato apontou que no segundo semestre deste ano foram, constatadas sete agressões a servidores. Os casos aconteceram nas cidades de Corumbá, no mês de julho, em Três Lagoas, no mês de outubro e em Campo Grande.

Na capital, os episódios de violência ocorreram no Presídio de Segurança Máxima, sendo dois no mês de agosto, um no mês de setembro e dois nos primeiros dias do mês de dezembro. O número de agressões a servidores penitenciários cresceu exponencialmente.

Os servidores pedem equipamentos de proteção individual, coletes, escudos, caneleiras, capacetes, tonfas, spray de pimentas, bombas de efeito moral, taser, armas letais e não letais, munições, enfim, todos os meios necessários, para garantir e proporcionar segurança efetiva para todos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
UEMS e PM realizam primeiro encontro do Proerd
Geral
Economista do agronegócio Geraldo Melo assumirá Incra
Geral
Aeroporto atua sem cancelamentos e atrasos nesta manhã
Geral
PIS/Pasep: Caixa e BB começam nova fase de pagamento
Geral
Criança tem parte do pênis amputado em cirurgia de fimose
Geral
Prevenção ao abuso sexual infantil se torna lei nas escolas da capital
Geral
Vídeo - Léo Santana é barrado na Smart Fit da capital
Geral
Vídeo - Negligentes, motociclistas aumentam número de vítimas no trânsito
Geral
UEMS abre incrições de concurso para vagas de nível médio e superior
Geral
Aprovados no processo seletivo para merendeiros são convocados

Mais Lidas

Geral
Vídeo - Léo Santana é barrado na Smart Fit da capital
Política
Sem André, MDB deve minguar em 2020
Polícia
Cansada de agressões, mulher mata e arranca o pênis do marido
Polícia
Homem comete triplo homicídio porque teriam zombado da "coragem" dele