Menu
Busca quarta, 20 de março de 2019
(67) 99647-9098
Geral

Violência nos presídios aumentou 40% em dezembro, diz sindicato

Agentes penitenciários fazem manifestação e exigem mais segurança e aumento do efetivo

11 dezembro 2018 - 09h06Da redação

Os agentes penitenciários de Campo Grande fazem manifestação em frente a Penitenciária de Segurança Máxima na manhã desta terça-feira (11). O Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária (Sinsap) exige mais segurança para os servidores e aumento de efetivo. Para eles, a violência no ambiente de trabalho é cada vez maior e a prevenção deve ocorrer o quanto antes.

Ao JD1 Notícias, Andre Luiz Santhiago, presidente do Sinsap, disse que a rotina de trabalho dos servidores é a terceira mais perigosa do planeta, e que o setor de segurança pública deve planejar ações de prevenção e não após a ocorrência de violência. “Nós queremos a regulamentação do uso de armamento para a categoria, a fim de visar a própria segurança e aumento de efetivo dos agentes penitenciários e da própria polícia militar que faz a segurança das muralhas”, explicou. 

André Luiz também disse que no mês de dezembro a violência e ocorrências dentro do Presídio aumentam aproximadamente 40%, enquanto os servidores tem apenas o apito. Ele explica que devido ao aumento de visitas e movimentação no local o risco é ainda maior. Para ele, o estado deve garantir a segurança para o servidor, para o dentento e para a familiares que frequentam o ambiente.

“Na semana passada um dos presos confeccionou uma chave com uma lamina de marmitex, dois servidores foram pegos de surpresa e agredidos, é um dos problemas que afetam a rotina, fora o risco de motim e rebeliões que são constantes”, exemplificou o presidente do Sindicato.

O sindicato apontou que no segundo semestre deste ano foram, constatadas sete agressões a servidores. Os casos aconteceram nas cidades de Corumbá, no mês de julho, em Três Lagoas, no mês de outubro e em Campo Grande.

Na capital, os episódios de violência ocorreram no Presídio de Segurança Máxima, sendo dois no mês de agosto, um no mês de setembro e dois nos primeiros dias do mês de dezembro. O número de agressões a servidores penitenciários cresceu exponencialmente.

Os servidores pedem equipamentos de proteção individual, coletes, escudos, caneleiras, capacetes, tonfas, spray de pimentas, bombas de efeito moral, taser, armas letais e não letais, munições, enfim, todos os meios necessários, para garantir e proporcionar segurança efetiva para todos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
"5º Costelão do Cotolengo Sul-Mato-Grossense" acontece em abril
Geral
Massacre em Suzano completa uma semana
Geral
Prefeito e governador entregam moradias no loteamento Bom Retiro
Geral
Drogasil e Drogaria São Leopoldo são autuadas pelo Procon
Geral
Superlua poderá ser vista hoje nas américas do Sul e Norte
Geral
Representantes de TV aberta discutem novas tecnologias na Fertel
Geral
DeMolay’s serão homenageados quinta-feira, na Assembleia
Geral
PSDB Mulher cobra posição da bancada feminina no Congresso
Geral
Três vítimas do massacre em Suzano continuam hospitalizadas
Geral
Ex-governador do Paraná, Beto Richa, é preso pela terceira vez

Mais Lidas

Polícia
Orgia em motel vira caso de polícia
Polícia
Imagens fortes - Mais um é executado em menos de 24 horas na fronteira
Polícia
Vídeo - Um morre e outro fica ferido em execução na fronteira
Polícia
Adolescente é estuprada por quatro homens em Aquidauana