Menu
Busca domingo, 25 de agosto de 2019
(67) 99647-9098
Internacional

Maduro diz que ajuda humanitária é "brincadeira de enganar bobo"

O presidente da Venezuela fez pronunciamento nesta tarde e desconfia da entrada de estrangeiros no país

23 fevereiro 2019 - 16h46G1

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, discursou na tarde deste sábado (23), na cidade de Caracas, para apoiadores. Em seu pronunciamento, Maduro afirmou que opositores que tentam entrar com ajuda humanitária são "traidores".

"Minha vida é consagrada totalmente à defesa da pátria, em qualquer circunstância. Nunca me dobrarei, sempre defenderei a minha pátria com a minha vida, se necessário for. É uma ordem que dou ao povo, aos militares patriotas, a todas as forças armadas bolivarianas. Se vocês amanhecerem um dia com a notícia de que fizeram algo com Nicolás Maduro, saiam as ruas", afirmou.

Em relação ao Brasil, Maduro disse que os venezuelanos não são maus pagadores. "Estamos dispostos como sempre estivemos a comprar todo o arroz, todo o açúcar, todo leite em pó que vocês quiserem vender. (...) Não somos maus pagadores, nem mendigos, somos gente honrada e que trabalha. Querem o que? Trazer caminhões com leite em pó? Eu compro agora", disse.

Maduro também chamou a ajuda humanitária de "brincadeira de enganar bobo". Ele criticou diretamente a qualidade e quantidade da ajuda. "Dois mortos que comeram dessa comida, centenas de pessoas envenenadas. Comida cancerígena, podre. E a quantidade? Se toda fosse distribuída, não chegaria nem a 15 mil municípios", disse Maduro.

"Estão bloqueando remédio, alimentos. Eu dei a lista completa das nossas necessidades e disse também vamos coordenar com a ONU, para ver se vocês cumprem essa oferta. (...) Será aceita a ajuda humanitária, se for legal. Não sou mendigo de nada, para título de mendigo fale com Guaidó", afirma.

Maduro também exaltou a importância da defesa das fronteiras, citando o fechamento como a mais importante ação em 200 anos.

Conclamando o povo, alertou que não é tempo de traição e atacou o presidente autoproclamado, Juan Guaidó, desafiando que ele convoque eleições.

Também criticou as ações na fronteira e a participação dos Estados Unidos. "Ajuda humanitária? A quem Donald Trump ajudou na vida dele?", afirmou. Ainda acusou os EUA de tramar golpes para interferir no poder da Venezuela e diz que um pequeno grupo sequestrou os rumos da oposição.

"Estão bloqueando remédio, alimentos. Eu dei a lista completa das nossas necessidades e disse também vamos coordenar com a ONU, para ver se vocês cumprem essa oferta. (...) Será aceita a ajuda humanitária, se for legal. Não sou mendigo de nada, para título de mendigo fale com Guaidó", afirma.

Maduro também exaltou a importância da defesa das fronteiras, citando o fechamento como a mais importante ação em 200 anos.

Conclamando o povo, alertou que não é tempo de traição e atacou o presidente autoproclamado, Juan Guaidó, desafiando que ele convoque eleições.

Também criticou as ações na fronteira e a participação dos Estados Unidos. "Ajuda humanitária? A quem Donald Trump ajudou na vida dele?", afirmou. Ainda acusou os EUA de tramar golpes para interferir no poder da Venezuela e diz que um pequeno grupo sequestrou os rumos da oposição.

"Eles não têm vontade própria. O que aconteceria com a Venezuela se caísse na mão dessa gente?", disse. "Minha vida está consagrada à defesa da pátria. Em qualquer circunstância. (...) A ordem que dou ao povo e aos militares patriotas: se algum dia vocês amanhecerem com a notícia de que fizeram algo contra Maduro, saiam às ruas", disse.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Internacional
França se opõe a acordo de exportação UE-Mercosul devido as queimadas na Amazônia
Internacional
Discussões sobre a Bioceânica avançam
Internacional
Reinaldo cede aeroporto de Corumbá para a Bolívia combater incêndio
Internacional
Estados Unidos testam míssil após deixar tratado nuclear
Internacional
Homem bomba mata 63 pessoas em festa de casamento
Internacional
Pouso de emergência deixa ao menos 20 feridos
Internacional
Estudantes paraguaios pedem julgamento de Mario Abdo
Internacional
Paraguai quer construir ferrovia paralela à Rota Bioceânica
Internacional
Argentinos vão às urnas em eleições primárias no domingo
Internacional
Escritora Toni Morrison morre aos 88 anos

Mais Lidas

Geral
Mulher tem dedo amputado enquanto fazia compras
Fim de Semana
Esquadrilha da Fumaça se apresenta em Campo Grande neste domingo
Geral
Rally dos Sertões continua neste sábado com ação social e show
Clima
Chuva deve chegar só em setembro