Menu
Busca segunda, 21 de junho de 2021
(67) 99647-9098
Governo - Feminicidio
Justiça

Decisão do STF não contempla fábrica de fertilizantes de MS

A Petrobras afirmou que a UFN III, de Três Lagoas, não foi contemplada com a suspensão da liminar

15 janeiro 2019 - 10h50Da redação

A Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN III) de Três Lagoas que teve  as obras paralisadas em 2014, com 81% da estrutura construída, ainda não poderá ter venda efetivada para os russos da Acron. As informações são do G1 e constam que a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffolli, que suspendeu no final de semana a liminar que dificultava a venda de parte dos ativos da Petrobras, não contempla a o processo de venda da UFN III.

A possibilidade de conclusão da venda e retomada da obra foi anunciada pelo secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck, no Bom Dia MS exibido na segunda-feira (14).  No entanto, por volta das 18h58, a Petrobrás enviou uma nota dizendo que "A liminar não tem relação com a UFN-3, que é uma unidade industrial, e sim, com campos de Exploração e Produção [...] Dessa forma, por enquanto, não há alteração em relação ao cenário que envolve a UFN-3".

Em nota a Semagro disse que a princípio, o governo entendeu que a UFN III estaria contemplada, porém, após a entrevista, percebeu o equívoco. Informou ainda que "o governo tem esperanças que, na mesma linha de raciocínio, a ação que proíbe a venda também da UFN III tenha a liminar derrubada o mais rápido possível".

A “novela” da retomada de obras se estende há anos, e em maio do ano passado o Governo do Estado e a prefeitura de Três Lagoas chegaram a anunciar as negociações com o grupo Acron. Ao mesmo tempo empresas da região ocuparam a Câmara do município exigindo os pagamentos e indenizações que restaram após o fechamento da obra em 2014.

Desde junho de 2017, existe uma liminar do ministro Ricardo Lewandowski contra a reativação das obras, e que proíbe qualquer negociação.

Vai di Vinho

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Audiência de conciliação sobre pandemia na capital é cancelada
Justiça
Justiça determina audiência sobre pandemia na terça-feira
Justiça
Funcionários denunciam Hospital Adventista por intolerância religiosa
Justiça
Energisa perde e Justiça permite que medidores sejam periciados
Justiça
STJ mantém André réu na 'Coffe Break'
Justiça
Com recurso negado, Comércio terá mais uma tentativa para barrar decreto
Justiça
Justiça discute na quarta, recurso da Energisa que barra perícias
Justiça
TJMS distribuiu mais de 6 mil processos em maio
Justiça
Comércio formaliza mandado de segurança para barrar decreto do Prosseguir
Justiça
STF começa a julgar pedidos para suspender Copa América no Brasil

Mais Lidas

Polícia
Mulher é levada para dentro da mata por bandidos e morta com tiro na cabeça
Polícia
Casal briga e vizinho tenta intervir mas passa mal e morre
Saúde
Jovem de 17 anos, sem comorbidades, está entre as 38 vítimas da covid em 24h
Saúde
Lote com 97.500 doses de vacina contra covid chegam hoje a MS