Menu
Busca quinta, 28 de maio de 2020
(67) 99647-9098
Polícia

Comerciante é executado na fronteira

Leandro foi perseguido por pistoleiros nesta manhã

19 outubro 2019 - 13h44Joilson Francelino

Leandro Calonga Bobadilha, 25 anos, o “Leco” foi executado na manhã deste sábado (19), em um bairro de Ponta Porã, cidade que faz fronteira com o Paraguai.

De acordo com informações do site Porã News, a vítima transitava em seu veículo junto com seu sócio quando foi abordado por pistoleiros que efetuaram diversos disparos contra o veículo. 

Os pistoleiros estavam a bordo de uma motocicleta e dispararam 15 vezes contra a vítima que tentou fugir, mas não conseguiu. O sócio não ficou ferido.

A vítima era um comerciante que a dois meses teria aberto um local de venda de pizza na cidade de Ponta Porã e na manha de hoje teria se dirigido a uma oficina a fim de consertar um problema mecânico em seu veiculo e ao sair do local teria sido seguido pelos pistoleiros.

Até o momento se desconhece as motivações para a brutal execução.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Esfaqueado pela esposa, homem se tranca no banheiro para sobreviver
Polícia
Moraes determina quebra de sigilo de investigados e bloqueio de perfis na internet
Polícia
Jovem tenta se matar, liga pra ex, é impedido e xinga policiais
Polícia
Idoso é espancado ao negar vender cigarros à 50 centavos
Polícia
Bandido invade UBS na madrugada levando botijão e liquidificador
Polícia
Homem é encontrado morto em fazenda de MS
Polícia
Após perseguição jovem é preso com drogas e diz ser do PCC
Polícia
Vídeo – Motoqueiro é socorrido após colidir com carreta
Polícia
Vídeo – carro pega fogo no meio da rua
Polícia
Servidor federal é preso utilizando viatura para traficar maconha

Mais Lidas

Geral
Há um ano, tragédia que matou o campo-grandense Gabriel Diniz comovia o Brasil
Economia
Governo quer emprestar US$ 4,01 bilhões de bancos internacionais
Justiça
Ary Raghiant Neto será empossado Vice-Presidente do Conselho de Colégios da OAB do Mercosul
Política
“Não entendo o porquê a Energisa questiona a CPI se não existem irregularidades”, diz Orro